Abrir menu principal

Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros

Luís Carlos
Nascimento 10 de abril de 1880
Rio de Janeiro, Município Neutro
Morte 16 de setembro de 1932 (52 anos)
Rio de Janeiro, Bandeira do Distrito Federal (Brasil) (1891–1960).gif Distrito Federal
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Engenheiro civil e poeta

Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros, mais conhecido por Luís Carlos (Rio de Janeiro, 10 de abril de 1880 — Rio de Janeiro, 16 de setembro de 1932) foi um engenheiro civil e poeta brasileiro.

Era filho de Eugênio Augusto de Miranda Monteiro de Barros e de Francisca Carolina Werna da Fonseca Monteiro de Barros. Após o casamento mudou-se para Minas Gerais, e depois transferiu-se para São Paulo, onde foi trabalhar na Estrada de Ferro Central do Brasil e, finalmente, voltou para o Rio de Janeiro.

Fundou a Hora Literária e, com ela, começou a aparecer no cenário literário da cidade, como membro da última geração dos poetas parnasianos brasileiros, com uma mistura de romantismo que diferencia do estilo parnaso, puro e simples. Seus poemas, cada vez mais, ganharam espaços nos jornais e revistas da época. Entretanto, só publicou o seu primeiro livro em 1920.

ObrasEditar

  • Colunas (poesia, 1920)
  • Encruzilhada (prosa, 1922)
  • Astros e abismos (poesia, 1924)
  • Rosal de ritmos (resumo histórico sobre a evolução da poesia brasileira, 1924)
  • Amplidão (poesia, 1933, póstumo)
  • Poesias escolhidas (poesias, 1970, póstumo)

Olivenkranz.pngAcademia Brasileira de LetrasEditar

Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 20 de maio de 1926, para a cadeira 18 (da qual foi o quarto ocupante), na sucessão de Alberto Faria, recebido em 21 de dezembro de 1926 pelo acadêmico Osório Duque-Estrada.

Ligações externasEditar