Abrir menu principal

Lusitânia Expresso (serviço ferroviário)

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o serviço ferroviário entre Portugal e Espanha. Para o ferry-boat, veja Lusitânia Expresso.

O Lusitânia Expresso, conhecido como Lusitania Express em Espanhol, foi um serviço ferroviário, que ligou, entre 1943[1] e 1995, as localidades de Lisboa, em Portugal, e Madrid, em Espanha.

Lusitânia Expresso
Estação de Lisboa - Santa Apolónia
Estação de Lisboa - Santa Apolónia
Unknown route-map component "exKBHFa"
Lisboa-Santa Apolónia
Unknown route-map component "exSTR+GRZq"
PortugalEspanha
Unknown route-map component "exDST"
Val. de Alcántara(mud. de loco.)
Unknown route-map component "exBHF"
Cáceres
Unknown route-map component "exKBHFe"
Madrid-Chamartín

CaracterizaçãoEditar

Este serviço unia as cidades de Madrid e Lisboa, em comboios efectuados de noite.[2] Era considerado um comboio de luxo, sendo composto por carruagens metálicas de primeira e segunda classes, e carruagens camas.[3] Os comboios deste serviço faziam normalmente cruzamento em Cáceres.[2] Em Valência de Alcântara, efectuava-se uma troca de locomotivas, sendo em 1993 as locomotivas utilizadas no trajecto espanhol da Série 333 ou 319.3 da Red Nacional de Ferrocarriles Españoles.[2] Entre o material motor utilizado em Portugal, encontraram-se as locomotivas da Série 1300.[4]

HistóriaEditar

 
Estação de Madrid - Chamartín, em 1991.

Antecedentes e inauguraçãoEditar

Em 1937, realizou-se uma conferência entre as operadoras CP e Renfe, e a Compagnie Internationale des Wagons-Lits, com o objectivo de criar um serviço combinado entre os dois países, para facilitar o transporte de passageiros e mercadorias.[5] Este comboio foi inaugurado em 23 de Julho de 1943.[3]

OperaçãoEditar

Em 1969, foram realizadas viagens a Madrid e Lisboa para jornalistas, no Lusitânia Expresso e no TER Lisboa Expresso, no âmbito das iniciativas de promoção turística "Primavera en España" e "Primavera em Portugal", organizadas em conjunto pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses e pela operadora Red Nacional de Ferrocarriles Españoles.[6] O objectivo destas campanhas era anunciar os serviços de refeições a bordo, sem acréscimo nos preços dos bilhetes, de forma a captar mais clientes.[7]

Em 16 de Março de 1972, dá-se uma reunião em Salamanca entre as operadoras Caminhos de Ferro Portugueses e Red Nacional de Ferrocarriles Españoles, para alterar os horários deste serviço.[3]

Em 1986, com a introdução de carruagens climatizadas, este serviço mudou de nome para Estrella Lusitânia, permanecendo, no entanto, com o mesmo percurso e natureza nocturna.[2] No ano seguinte, foi iniciada a modalidade auto-expresso neste serviço.[8]

ExtinçãoEditar

Em 1995, foi substituído, junto com o Talgo Luís de Camões, pelo Lusitânia Comboio Hotel.[9]

Ver tambémEditar

Referências

  1. REIS et al, 2006:62
  2. a b c d GUTIÉRREZ, Jorge Arturo Venegas (1995). «Caceres: estación y nudo ferroviario». Maquetren (em espanhol). 4 (37). Madrid: Resistor, S. A. p. 52 
  3. a b c «Cronologia». Comboios de Portugal. Consultado em 30 de Novembro de 2014 
  4. REIS et al, 2006:118
  5. «Caminhos de Ferro Espanhois» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1180). 16 de Fevereiro de 1937. p. 104. Consultado em 23 de Dezembro de 2014 
  6. «Primavera en España y Portugal». Via Libre (em espanhol). 6 (65). Madrid: RENFE. 1 de Maio de 1969. p. 20-21 
  7. REIS et al, 2006:137
  8. «Noticias». Carril (em espanhol) (20). Barcelona: Associació d'Amics del Ferrocarril. 1987. p. 51 
  9. REIS et al, 2006:150

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 


  Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.