Mário Mascarenhas

Mário Mascarenhas
Nascimento 21 de janeiro de 1929
Cataguases
Morte 1992 (63 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil

Mário Mascarenhas (Cataguases, Nasceu 21 de janeiro de 1929 e Faleceu em 1992) foi um acordeonista e compositor brasileiro.[1]

Iniciou seus estudos de acordeão aos 15 anos de idade, na sua cidade natal.[1] Serviu na Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial, participando das ações da Força Expedicionária Brasileira na Itália.[1] Durante a guerra feriu-se e foi transferido para os Estados Unidos, onde aprendeu alguns métodos de acordeão e aperfeiçoou seu domínio sobre o instrumento. Morou por três anos nos Estados Unidos, inclusive recebendo certificado pelo aprendizado do acordeão.[1] Também morou por dois anos na Argentina, onde recebeu maiores instruções sobre o instrumento e recebeu outro certificado.[1]

Logo após criou métodos de aprendizagem de acordeão,[2] piano, flauta doce (principalmente com forma didática para crianças), violão e teclado, além de criar arranjos e coletâneas de obras consagradas, muitas vezes simplificando-as. O modo como seu método é apresentado nas obras varia desde músicas folclóricas brasileiras e estrangeiras, adaptações e cópias de músicas clássicas e eruditas.

Durante a década de 1950, no Brasil, o acordeão foi um instrumento muito popular, devido ao grande sucesso de Luiz Gonzaga; com isso, os métodos de Mário Mascarenhas e suas aulas foram procurados com grande frequência,[1] fazendo com que ele reunisse professores e estudantes de suas academias de acordeão em um concerto de mil acordeões no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.[3]

Marcos Valle, Edu Lobo, Gilberto Gil, Roberto Menescal, Eumir Deodato e Francis Hime iniciaram seu aprendizado musical tocando acordeão com Mário Mascarenhas.[3]

DiscografiaEditar

  • 1958 - Tequila/Yo lo quiero • RCA Victor • 78
  • 1957 - Caprichos de amor/Choro de criança • RCA Victor • 78
  • 1957 - Brasil, jardim do mundo/Espalha brasa • RCA Victor • 78
  • 1956 - O califa de Copacabana/Rapsódia sueca • RCA Victor • 78
  • 1956 - Pedido de casamento/Pássaro azul • RCA Victor • 78
  • 1956 - Tango do desejo/Só com você tenho paz • RCA Victor • 78
  • 1955 - Salomé/Coração de Conchita • RCA Victor • 78
  • 1955 - Um português no Brasil/Polca dos beijos • RCA Victor • 78
  • 1955 - Iara/Salamaleque • RCA Victor • 78
  • 1954 - Amor cigano/Marrocos • RCA Victor • 78
  • 1954 - Carrapicho/O assobiador • RCA Victor • 78
  • 1954 - Festa de aniversário/Eu quero é confusão • RCA Victor
  • 1954 - Deus! Salve o Brasil/Alma cigana • RCA Victor • 78
  • 1953 - Escorregue o pé/Linda guaxiny • Continental • 78
  • 1953 - Vagabundo/Lá vai Maria Fumaça • RCA Victor • 78
  • 1953 - Glórias de toureiro/Ranchinho encantado • RCA Victor • 78
  • 1953 - Briga de marimbondo/Centenário glorioso • RCA Victor •

Referências

  1. a b c d e f «Mário Mascarenhas». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  2. HPG. «Método de Acordeão Mario Mascarenhas». HPG. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  3. a b «"ROBERTO CARLOS EM DETALHES" - PAULO CÉSAR DE ARAÚJO - PARTE 6». www.prasemprerobertocarlos.com.br. Consultado em 30 de dezembro de 2016 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.