Abrir menu principal

Manuel Franco da Costa de Oliveira Falcão

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Manuel Franco da Costa de Oliveira Falcão
Nascimento 10 de novembro de 1922
Lisboa
Morte 21 de fevereiro de 2012 (89 anos)
Beja
Cidadania Portugal
Ocupação padre católico
Religião Igreja Católica

Manuel Franco da Costa de Oliveira Falcão, (Lisboa, 10 de novembro de 1922 - Beja, 21 de fevereiro de 2012), foi um bispo português.

BiografiaEditar

Nasceu na freguesia de São Mamede, Lisboa, em 10 de Novembro de 1922, filho de Manuel da Costa Falcão e de Maria Felismina Falcão.

Após ter completado os estudos primários e secundários, tirou o Curso de Engenharia Mecânica do I.S.T. e entrou no Seminário dos Olivais em 1945.

Ordenado sacerdote a 29 de Junho de 1951 pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Gonçalves Cerejeira. Devido à sua grande cultura e poder de organização, tornou-se perito no âmbito da sociologia religiosa, e estudou a remodelação paroquial da cidade de Lisboa, organizou o Secretariado das novas Igrejas e preside à Comissão preparatória da reestruturação pastoral do Patriarcado de Lisboa.

Bispo Auxiliar do Patriarcado de LisboaEditar

A 16 de Dezembro de 1966 é nomeado Bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa, sendo ordenado Bispo em 22 de Janeiro de 1967, por D. Manuel Gonçalves Cerejeira, e tendo como co-sagrantes o Arcebispo D. António de Castro Xavier Monteiro, (Bispo de Lamego) e D. António de Campos, (Bispo Auxiliar de Lisboa).

Bispo de BejaEditar

Por nomeação Pontifícia de Paulo VI, a 27 de Novembro de 1974 é nomeado Bispo Coadjutor com direito de sucessão de D. Manuel dos Santos Rocha, tomando posse a 22 de Janeiro de 1975. Com a resignação do seu antecessor em 1980, assume plenamente o governo da Diocese de Beja passando a bispo residencial em 8 de Setembro desse ano.

A sua acção foi caracterizada pela aplicação dos princípios científicos da Sociologia religiosa aos Planos e Programas de acção pastoral, ao mesmo tempo que prestou grandes serviços à Conferência Episcopal Portuguesa.

A partir de 1980 até 1990, promoveu e acompanha as Missões Populares, estabelecendo um diálogo critico e objectivo com a sociedade, o que provocou respeito e admiração pela sua pessoa.

Em 1984 criou o Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja (DPHA) com a finalidade de dar a conhecer e proteger o património artístico e religioso da Diocese.

O Papa João Paulo II aceitou a sua resignação a 25 de Janeiro de 1999.

Faleceu a 21 de Fevereiro de 2012 na cidade de Beja. Jaz no jazigo dos Bispos de Beja, no cemitério daquela cidade.


Precedido por
D. Manuel dos Santos Rocha
 
Bispo de Beja

19801999
Sucedido por
D. Fr. António Vitalino Fernandes Dantas