Manuel Mendes (escritor)

escritor e político português (1906-1969)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o compositor português, veja Manuel Mendes (compositor).

Manuel Joaquim Mendes (Lisboa, 18 de janeiro de 1906Lisboa, 7 de maio de 1969) foi um escritor, escultor e político português.[1][2]

Manuel Joaquim Mendes
Manuel Mendes, 1944
Nascimento 18 de janeiro de 1906
Lisboa, Portugal
Morte 7 de maio de 1969 (63 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Escritor, escultor e político
Magnum opus Pedro, romance de um vagabundo

BiografiaEditar

Manuel Mendes estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Não terminou o seu curso em história e filosofia devido à greve estudantil de 1931.[2]

A 30 de outubro de 1987, foi agraciado, a título póstumo, com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade.[3]

Como políticoEditar

 
Manuel Mendes: Fotografia do processo da PIDE

Teve papel importante na formação do Movimento de Unidade Democrática (MUD), ao ser um dos organizadores da reunião efetuada em 8 de agosto de 1945,[2] que deu origem a esse movimento.

A sua atividade política levou-o a ser detido pela PIDE:

  • Em 31 de janeiro de 1948, devido à sua participação no MUD, tendo sido libertado em 28 de fevereiro de 1948, sem ser sujeito a julgamento;
  • Em 15 de fevereiro de 1949, devido à sua participação na propaganda da oposição durante as eleições presidenciais de 1949, tendo sido libertado em 23 de março de 1949, sem ser sujeito a julgamento;
  • Em 16 de dezembro de 1949, «para averiguações» e libertado no mesmo dia.[4]

Como escritorEditar

Publicou diversas obras de ficção,[2] crónicas e estudos sobre artistas plásticos[2] e sobre diversos escritores.[2]

Como escultorEditar

Participou em exposições como as Exposições Gerais de Artes Plásticas[2] nos anos de 1946 e 1947 e também na exposição do Salão dos Independentes.[2]

ObrasEditar

ContosEditar

  • Bairro (1945)
  • Estrada (1952)
  • Segundo Livro do Bairro (1958)
  • Terceiro Livro do Bairro (1961)

RomancesEditar

  • Pedro, romance de um vagabundo (1954)
  • Alvorada (1955)

CrónicasEditar

  • Roteiro Sentimental:
    • I - Douro. Lisboa: Sociedade de Expansão Cultural, 1964.
    • II - A Sul do Tejo. Lisboa: Sociedade de Expansão Cultural, 1965.
    • III - Os Ofícios. Lisboa : Seara Nova, 1967.

BiografiasEditar

  • Machado de Castro. Lisboa : Cosmos, 1942. Coleção Biblioteca Cosmos, n.º 13.

PrémiosEditar

  • Prémio Rodrigues Sampaio em 1960, atribuído pela Associação de Jornalistas e Homens de Letras.[2]

Referências

  1. Bilhte de Identidade de Manuel Mendes.
  2. a b c d e f g h i Grande Livro dos Portugueses ISBN 972-42-0143-0
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Manuel Mendes". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 28 de julho de 2019 
  4. Cf. Documentos referentes à prisão.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar