Manuel Pimentel

Cosmógrafo português

Manuel Pimentel (Lisboa, 10 de Março de 1650 - 19 de Abril de 1719)[1], ou Manoel Pimentel, foi Cosmógrafo-Mor de Portugal.

Manuel Pimentel
Nascimento 10 de março de 1650
Lisboa
Morte 19 de abril de 1719 (69 anos)
Ocupação hidrógrafo

BiografiaEditar

Segundo filho de Luís Serrão Pimentel também ele Cosmógrafo-Mor. Formou-se na Universidade de Coimbra em 1674.[1]

Sucedeu em 1680 a seu pai na função de Cosmógrafo-Mor, por recusa do irmão mais velho, mas só foi conduzido oficialmente em 1687

"(...) se fez perito na Cosmografia, que quotidianamente ouvia praticar na casa de seu pay o qual fallecendo infaustamente da queda de hum cavallo a 13 de Dezembro de 1679, foy provido na serventia de Cosmógrafo mór em o anno de 1680 por seu irmaõ naõ querer o exercicio deste lugar." (...) "Passados seis annos da serventia do Officio de Cosmografo mór lhe foy concedida a propriedade no anno de 1687(...)" [1]

Esteve na comissão que defendeu face a Espanha a posse portuguesa nos territórios do Uruguai, em particular a Colónia do Sacramento:

Para compor as controversias agitadas entre ElRey de Portugal, e o de Castella sobre a demarcaçao dos dominios da Colonia do Sacramento entre os Geografos, e Jurisconsultos nomeados para a decisao de taõ grave controversia, foy elle eleito com o P. Joaõ Duarte da Costa douto Mathematico, e os Dezembargadores Sebastiao Cardoso de Sampayo, e Manoel Lopes de Oliveira. No espaço de tres mezes que assistio em Elvas, em cujo tempo alternadamente vinhaõ a esta Cidade os Castelhanos, e passavaõ os Portuguezes a Badajoz, compoz doutos Tratados em que solidamente estabelecia o direito da Coroa Portugueza naquelles dominios.[1]

Foi ainda mestre de Geografia e Náutica do Príncipe do Brasil, D. José:

No anno de 1718, foy eleito Mestre do Serenissimo Principe do Brasil o Senhor D. Jozé a quem instruio com algumas licoens de Geografia, e Nautica. Acometido de huma colirica que lhe permittio receber os Sacramentos espirou piamente a 19 de Abril de 1719, quando contava 69 annos de idade. Jaz sepultado no Claustro do Convento de Nossa Senhora do Carmo desta Corte no jazigo da sua Casa.[1]

No cargo de Cosmógrafo-Mor seria sucedido pelo filho Luís Francisco Serrão de Miranda, interinamente em 1713, e depois efectivamente após sua morte em 1719.[2]

ObraEditar

Referências

  1. a b c d e f g Diogo Barbosa Machado - Bibliotheca Lusitana, 1752 Vol 3 - pag.338
  2. Nuno Alexandre Martins Ferreira. Luís Serrão Pimentel (1613-1679):Cosmógrafo Mor e Engenheiro Mor de Portugal. Tese de Mestrado em História dos Descobrimentos e da Expansão. Universidade de Lisboa, 2009.


Precedido por
Luís Serrão Pimentel
Cosmógrafo-mor
1680 - (1713) 1719
Sucedido por
Luís Francisco Serrão de Miranda