Marcial de Auvérnia

poeta francês

Marcial de Auvérnia ou de Paris (em francês: Martial d'Auvergne; Paris, c. 1430–35 — 1508) foi um poeta francês que escreveu prosas sobre o rei Carlos VII de França. Originário de Auvérnia, ele atuou como notário no Châtelet, e depois como advogado (procureur) para o parlamento de Paris.[1]

Sua obra mais importante é Vigílias de Carlos VII a nove salmos e nove lições (Vigilles de Charles VII à neuf psaumes et neuf leçons) (1493, editado em 1724), uma crônica versificada da Guerra dos Cem Anos. Nesta obra, explorou os salmos e as lições do Ofício de Defuntos. Em Manhãs da Virgem (Matines de la Vierge), Marcial explorou as do Ofício da Virgem.[1]

Seus outros trabalhos incluem Louvores da Benta Virgem Maria (Les Louenges de la benoiste Vierge Marie) (1492), um poema devocional dedicado a Maria e o satírico As Paradas do Amor (Les Arrêts d’amour) (não datado, em prosa) e O amante feito franciscano para a Observância do Amor (L’Amant rendu cordelier à l’Observance d’amour) (1490, em versos).

Notas

  1. a b Armstrong, Adrian; Quainton, Malcolm (2007). Book and Text in France, 1400-1600: Poetry on the Page. Farnham, RU: Ashgate Publishing, Ltd. ISBN 0754655903 

ReferênciasEditar

  • Charles Bataillard, Martial de Paris, dit Martial d'Auvergne. Notice sur sa vie et ses ouvrages, A. Hardel, Caen, 1862.
  • Gérard Gros, Martial d'Auvergne et les Matines de la Vierge : étude sur les formes de la dévotion mariale au temps de Louis XI, 1994.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Marcial de Auvérnia