Marco Apônio Saturnino

Marco Apônio Saturnino (em latim: Marcus Aponius Saturninus) foi um senador romano que, segundo Tácito, foi cônsul, mas não se sabe a data.[1] Seus pais eram muito ricos e possuíam extensas propriedades no Egito.[2]

Primeiros anosEditar

Saturnino foi mencionado na Acta Arvalia em 57; o historiador Ronald Syme sugere que ele foi admitido entre os irmãos arvais por causa da influência de Sêneca.[3] Em 66, Tácito menciona que ele participou de sacrifícios no Capitólio com o imperador Nero.[1] Não se sabe ao certo quando ele foi cônsul; Ronald Syme argumenta que é possível que tenha sido em 55[2] enquanto que Paul Gallivan acredita que ele tenha sido cônsul sufecto entre 63 e 66, período no qual sabe-se que ele aparece como promagistrado.[4]

Ano dos quatro imperadoresEditar

 Ver artigo principal: Ano dos quatro imperadores

Depois do consulado, sabe-se que Saturnino foi governador da Mésia em 69, possivelmente nomeado por Galba.[2] Durante seu mandato, repeliu um ataque dos sármatas, que haviam invadido a província, o que lhe valeu uma estátua triunfal no começo do reinado de Otão. Na disputa entre Vitélio e Vespasiano durante o ano dos quatro imperadores, Saturnino primeiro bandeou-se para o lado de Vitélio com Caio Dílio Aponiano, que era um parente; ele aparece relatando o progresso da revolta numa carta a Vitélio.[5] Aparentemente, Saturnino só apostou em Vitélio enquanto ele estava ganhando e mudou rapidamente para o lado de Vespasiano quando a fortuna dele mudou. Logo que pôde, atravessou os Alpes para se juntar a Marco Antônio Primo no norte da Itália.[6] Na confusão das lealdades que rapidamente mudavam de lado, Saturnino tentou assassinar o popular Técio Juliano, um partidário de Vespasiano em sua legião e cunhado do ministro das finanças dele, com a desculpa de que ele seria um viteliano disfarçado.[7][8] Primo, que também ambicionava o comando supremo na região, iniciou um motim entre os soldados contra Saturnino, que acabou obrigado a fugir do acampamento sem conseguir seu intento.[5]

Anos finaisEditar

Seu destino depois disto é incerto. Sabe-se que ele foi nomeado procônsul da Ásia entre 73 e 74 segundo alguns estudiosos.[9] Porém, Syme levantou alguns pontos fracos nesta tese e argumenta que a data correta seria 67 e 68.[10] Com base nesta última data proposta e no fato de ele aparecer nos registros dos irmãos arvais pela última vez em janeiro de 69,[11] é possível que ele tenha morrido não muito depois de ter sido expulso por sua legião.

Saturnino e CalígulaEditar

As fontes antigas contam a história de um homem chamado "Apônio Saturnino" durante o reinado do imperador Calígula, que pode ser o mesma pessoa. Nesta história, Calígula, ansioso para encher novamente o tesouro romano que ele mesmo havia esvaziado, decidiu leiloar alguns gladiadores imperiais. Durante o leilão, Apônio Saturnino cochilou. Calígula percebeu e pediu para que o leiloeiro considerasse cada uma das cochiladas de Apônio como um lance. Quando ele finalmente foi acordado, Apônio havia comprado treze gladiadores pela quantia astronômica de 9 milhões de sestércios.[12]

Referências

  1. a b Tácito, Histórias 1.79, 2.85, 96, 3.5, 9, 11
  2. a b c Syme, Ronald (1983). «Antistius Rusticus. A Consular from Corduba». Historia: Zeitschrift Für Alte Geschichte (em inglês). 32. 372 páginas. JSTOR 4435856 
  3. Syme, Some Arval Brethren (Oxford: Clarendon Press, 1980), p. 67
  4. Gallivan, "Some Comments on the Fasti for the Reign of Nero", Classical Quarterly, 24 (1974), p. 308
  5. a b Fields, Nic (2014). AD69: Emperors, Armies and Anarchy (em English). [S.l.]: Pen and Sword. ISBN 9781473838147. Consultado em 4 de junho de 2016 
  6. Levick, Barbara (2005). Vespasian. Col: Roman Imperial Biographies Series (em English). [S.l.]: Routledge. ISBN 9780415338660. Consultado em 4 de junho de 2016 
  7. Jones, Brian (2002). The Emperor Domitian. Col: Roman Imperial Biographies Series (em English). [S.l.]: Routledge. 15 páginas. ISBN 9781134853137. Consultado em 4 de junho de 2016 
  8. Dando-Collins, Stephen (2011). Mark Antony's Heroes: How the Third Gallica Legion Saved an Apostle and Created an Emperor (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons. 171 páginas. ISBN 9781118040805. Consultado em 4 de junho de 2016 
  9. Knapp, Robert C. (1983). Roman Córdoba. Col: Classical studies (em English). [S.l.]: University of California Press. 42 páginas. ISBN 9780520096769. Consultado em 4 de junho de 2016 
  10. Syme, Some Arval Brethren, pp. 68f
  11. Syme, Some Arval Brethren, p. 6
  12. Dunkle, Roger (2013). Gladiators: Violence and Spectacle in Ancient Rome (em inglês). [S.l.]: Routledge. 54 páginas. ISBN 9781317905219. Consultado em 4 de junho de 2016 

Ligações externasEditar