Abrir menu principal

Maria João Pires

Pianista com dupla nacionalidade
Maria João Pires
Maria João Pires (2009)
Informação geral
Nome completo Maria João Alexandre Barbosa Pires
Nascimento 23 de julho de 1944 (75 anos)
Origem Lisboa
País Portugal Portugal / Suíça
Gênero(s) música clássica
Instrumento(s) Piano
Gravadora(s) Deutsche Grammophon

Maria João Alexandre Barbosa Pires DmSEGCSEComIH (Lisboa, Pena, 23 de Julho de 1944) é uma pianista portuguesa com dupla nacionalidade portuguesa e suíça, residente em Portugal.

BiografiaEditar

Filha póstuma de João Baptista Pires (Mogadouro, Mogadouro, Carviçais, 1898 - 1 de Julho de 1944) e de sua mulher Alzira dos Santos Alexandre Barbosa (Porto, 20 de Fevereiro de 1910 - 1 de Julho de 1994) e irmã de Hugo Alexandre Barbosa Pires, Maria Regina Alexandre Barbosa Pires e Maria Helena Alexandre Barbosa Pires.

Muito cedo aprendeu a tocar piano: aos cinco anos deu o seu primeiro recital e aos sete tocou publicamente concertos de Mozart. Com nove anos recebeu o prémio da Juventude Musical Portuguesa. Entre 1953 e 1960 estuda com o Professor Campos Coelho no Conservatório de Lisboa. Prossegue os estudos musicais na Alemanha, primeiro na Musikakademie em Munique com Rosl Schmid e depois em Hanôver com Karl Engel.

Maria João Pires torna-se reconhecida internacionalmente ao vencer o concurso internacional do bicentenário de Beethoven em 1970, que se realizou em Bruxelas.

Fez na sua carreira numerosas digressões onde interpretou obras de Bach, Beethoven, Schumann, Schubert, Mozart, Brahms, Chopin e muitos outros compositores dos períodos clássico e romântico. Maria João Pires é convidada com regularidade pelas grandes orquestras mundiais para tocar nas melhores salas de concerto, apresentando-se regularmente na Europa, Canadá, Japão, Israel e nos Estados Unidos.

Tem desenvolvido actividade tanto a nível individual (recitais, concertos, gravações) como em música de câmara: dos numerosos êxitos discográficos, destacam-se as gravações Moonlight, com sonatas de Beethoven; Le Voyage Magnifique, integral dos Impromptus de Schubert; nocturnos e outras obras de Chopin;[1] sonatas de Grieg e os trios de Mozart, com Augustin Dumay (violino) e Jiang Wang (violoncelo).

Foi a fundadora e dirigente do Centro de Belgais para o Estudo das Artes, em Escalos de Baixo no concelho de Castelo Branco, de cariz pedagógico, cultural e social. A pianista deixou o Centro em 2006,[2] quando se transferiu para o Brasil. Na ocasião, ela declarou à Antena 2 e ao Aguarrás, ter sofrido muito ao tentar implementar o seu projecto em Portugal.[3] As atividades do Centro de Belgais foram encerradas em 2009.[4][5]

No Brasil, adquiriu uma casa em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, estado da Bahia, onde passou a residir desde 2008.[6]

"A pianista Maria João Pires confirmou que está a pensar em pedir nacionalidade brasileira e, desta forma ficar com dupla nacionalidade, e não recusar a cidadania portuguesa, como teria sido anteriormente noticiado.[7] O advogado da pianista enviou uma nota à Lusa, onde desmentiu a «suposta vontade» de Maria João Pires «renunciar à nacionalidade portuguesa», devido a uma «suposta zanga» com o Governo."[8]

A 9 de Agosto de 1983 foi feita Dama da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 4 de Fevereiro de 1989 foi feita Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique e a 9 de Junho de 1998 foi elevada a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[9]

Foi casada com o fadista João Ferreira-Rosa, antes de casar com Ernst Ortwin Noth (Frankfurt, 4 de Dezembro de 1939), com quem teve duas filhas - Joana Benedita (n. 1967) e Maria Madalena (1968).

Distinguida com um Óscar para a música clássica - dos mais importantes prémios no mundo[10] , que recebeu em Setembro de 2015, em Londres.

Depois de viver no Brasil, Bélgica e Suíça em 2017 regressou a Belgais.

Em 18 de maio de 2019 recebeu a Medalha de Mérito Cultural.

Em setembro de 2019 vai ser condecorada com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.[11]

PrémiosEditar

  • Ganhou o Prémio Pessoa em 1989.
  • Arriscou pela 2ª vez o Prémio Gramophone em 2012.

Referências

  1. «Gramophone Recommended Recordings». Consultado em 14 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 9 de setembro de 2003 
  2. Belgais resiste à saída de Maria João Pires[ligação inativa], por João Pedro Oliveira. Diário de Notícias, 29 de julho de 2006.
  3. Maria João Pires troca Belgais por nova vida no Brasil Arquivado em 5 de maio de 2007, no Wayback Machine. 27 de julho de 2006, publico.clix.pt/
  4. Belgais vai fechar por arresto de bens. Lusa, 15 de junho de 2009.
  5. Belgais com dívidas e processos em tribunal. Associação fundada pela pianista Maria João Pires está afogada num mar de dívidas e prepara o encerramento da escola e do projecto educativo, que foi o pilar de Belgais. É o fim inglório de um sonho.[ligação inativa], por Leonor Veloso. Diário de Notícias, 17 junho de 2009.
  6. Maria João Pires: Vida e arte da aplaudida pianista portuguesa que se mudou para a Bahia. Bahia em pauta, 5 de abril de 2010.
  7. Maria João Pires renuncia à nacionalidade portuguesa. Por Margarida Gomes. Público, 3 de julho de 2009.
  8. Maria João Pires confirma pedido de dupla nacionalidade. Público, 8 de julho de 2009
  9. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Maria João Pires". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de Janeiro de 2015 
  10. «Pianista portuguesa vence Óscar da música clássica». tvi24. 10 de setembro de 2015 
  11. «Maria João Pires vai ser distinguida com Grã Cruz da Ordem do Infante D.Henrique» 

Ligações externasEditar