Massacre de Ba Chúc

Massacre de Ba Chúc foi um assassinato em massa cometido pelo Quemer Vermelho na cidade vietnamita de Ba Chúc, em 1978. Foi uma das razões pelas quais meses depois os vietnamitas invadiram o Camboja.

O massacreEditar

Desde o triunfo do Quemer Vermelho na Guerra Civil Cambojana (1967-1975), estes mantiveram numerosos conflitos e incidentes de fronteira com o Vietnã. Já em maio de 1975, as tropas do Exército Revolucionário do Kampuchea invadiram o território vietnamita e mataram 500 civis na aldeia de Tho Chu.[1] Em 1977, outros 1.000 civis vietnamitas foram mortos durante um novo raide do Quemer Vermelho na província de Tây Ninh.[2]

Em 12 de abril de 1978, o Quemer Vermelho declarou que estava aberto para negociar novamente com o Vietnã em troca do reconhecimento de suas ambições expansionistas.[2] Hanói tacitamente rejeitou a proposta. Em represália, em 18 de abril, duas divisões cambojanas penetraram 2 km no território vietnamita, visando o vilarejo de Ba Chuc na província de An Giang.[2] Dos habitantes do vilarejo, 3.157 civis foram mortos[2][3] e apenas dois conseguiram sobreviver. A maioria das vítimas foi baleada ou executada com violência, incluindo mulheres e crianças.

Este novo massacre foi a gota d'água para os vietnamitas e os levaria a preparar a invasão do Camboja que começaria durante o Natal daquele ano, e isso significaria a derrubada do regime de Pol Pot quatorze dias depois.

Referências

  1. Epsey C. Farrell (1998). The Socialist Republic of Vietnam and the Law of the Sea: An Analysis of Vietnamese Behaviour within the Emerging International Oceans Regime (em inglês). Haia: Kluwer Law International. p. 195 
  2. a b c d O’Dowd, Edward C. (2007). Chinese military strategy in the third Indochina war: the last Maoist war (em inglês). [S.l.: s.n.] 37 páginas 
  3. «MEANWHILE: When the Khmer Rouge came to kill in Vietnam». International Herald Tribune (em inglês). 7 de janeiro de 2004. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2005 

Ligações externasEditar