Mário Sérvio Honorato

(Redirecionado de Mauro Sérvio Honorato)
Mário Sérvio Honorato
Nascimento 363
Morte Século IV
Cidadania Roma Antiga
Ocupação escritor, gramático, filólogo, poeta

Mário Sérvio Honorato ou Mauro Sérvio Honorato, mais conhecido como Sérvio em latim: Servius), era um gramático pagão[nota 1] do final do século IV, com a fama em sua época de ser o homem mais instruído de sua geração na Itália. Foi autor de um livro de comentários sobre Virgílio, In tria Virgilii Opera Expositio, o primeiro manuscrito impresso em Florença, por Bernardo Cennini, em 1471.

Uma edição do século XVI de Virgílio com o comentário de Sérvio impresso à esquerda do texto

Aparece como um dos interlocutores nas Saturnais de Macróbio. Alusões feitas nesta obra e uma carta de Quinto Aurélio Símaco a Sérvio mostram que ele era pagão.

O comentário sobre Virgílio chegou até a época atual em duas tradições manuscritas distintas. Na primeira forma (Servius minor), é um comentário relativamente curto, atribuído a Sérvio pelo cabeçalho dos manuscritos. Essa atribuição é confirmada por outras evidências internas.

Um segundo grupo de manuscritos (Servius auctus ou Servius Danielinus), todos procedentes dos séculos X e XI, incluem o mesmo texto num comentário bem mais amplo. As adições abundantes têm um estilo que contrasta com o original. Nenhum desses manuscritos traz o nome de Sérvio.

"As matérias acrescentadas são sem dúvida de uma época antiga, datadas de um período pouco afastado de Sérvio, e se baseiam em larga medida em obras de história e de antiguidades que hoje estão perdidas. O autor é anônimo e provavelmente cristão".[1]

Um terceiro grupo de manuscritos, escritos em sua maioria na Itália, apresenta o texto central com escólios interpolados, que mostram que a Virgilii Opera Expositio era de uso contínuo.

O comentário de Sérvio Mauro Honorato é, na realidade, a única edição completa de um autor clássico escrita antes da queda do Império Romano do Ocidente. Segue em grande parte o princípio de uma edição moderna, baseando-se parcialmente numa ampla literatura crítica virgiliana, boa parte da qual só é conhecida por fragmentos e fatos conservados nesse comentário.

As anotações ao texto de Virgílio, embora raras vezes sejam autorizadas pelos manuscritos existentes, que remontam à época de Sérvio e até a um período anterior, oferecem informação valiosa sobre as antigas revisões do texto de Virgílio e críticas à sua obra.

Na interpretação gramatical da linguagem de seu autor, Sérvio não se eleva acima das sutilezas rígidas e confusas do seu tempo. E suas etimologias violam todas as leis da Fonética e da Semântica modernas em favor de digressões criativas.

Em especial, Sérvio merece reconhecimento por não ter incorrido no método alegórico de exposição dos textos, que prevalecia em sua época. Para o historiador e para quem estuda as coisas antigas, o valor duradouro de sua obra está na preservação de fatos da história, da religião, das antiguidades e da linguagem romanas que, sem ela, estariam perdidos. Boa parte da erudição de Varrão e de outros estudiosos antigos sobrevive em suas páginas.

ObrasEditar

  • Commentarii in Vergilii Aeneidos libros
  • Commentarii in Vergilii Bucolica
  • Commentarii in Vergilii Georgica
  • Commentarius in artem Donati - Coletânea de notas gramaticais de Élio Donato[nota 2]
  • De centum metris ad Albinum - Um tratado sobre as diversas métricas poéticas
  • De finalibus ad Aquilinum - Um tratado sobre a métrica dos finais de versos
  • De metris Horatii ad Fortunatianum - Um tratado sobre a métrica de Horácio
  • Vita Vergilii

Notas

  1. A educação cristã dos séculos IV e V não produziu gramáticos.
  2. Donato, gramático latino, é recordado pelos cristãos como mestre de São Jerônimo.

Referências

  1. Encyclopaedia Britannica 1911, « Servius Maurus Honoratus ».

BibliografiaEditar

  • Rand, E. K. (1916). "Is Donatus's Commentary on Virgil Lost?". Classical Quarterly (10): 158-164.
  • Lista completa dos manuscritos de Sérvio, publicada por John J. Savage em duas partes:
    • Savage, John J. (1932). "The Manuscripts of the Commentary of Servius Danielis on Virgil". Harvard Studies in Classical Philology (43): 77-121.
    • Savage, John J. (1934). " The Manuscripts of Servius's Commentary on Virgil". Harvard Studies in Classical Philology (45): 157-204.

Ligações externasEditar