Menino 23

filme de 2016 dirigido por Belisário Franca

Menino 23, infâncias perdidas no Brasil[1] é um documentário brasileiro de 2016, por Belisario Franca. O título faz referência ao sobrevivente do nazismo no Brasil, Aloisio Silva, chamado apenas por este número durante infância em 1930, quando escravizado em uma fazenda no município de Campina do Monte Alegre.[2][3][4]

Menino 23
Menino 23
Brasil
2016 •  cor •  79 min 
Direção Belisario Franca
Produção Maria Carneiro da Cunha
Produção executiva Cláudia Lima
Roteiro Bianca Lenti
Belisario Franca
Música Armand Amar
Diretor de fotografia Thiago Lima
Mário Franca
Direção de arte Rogério Costa
Edição Yan Motta
Companhia(s) produtora(s)
Giros Audiovisual
co-produção:
Globo FilmesGlobo News
Canal Brasil
Distribuição Elo Company
Lançamento 7 de julho de 2016
Idioma português

O filme esteve na disputa, por uma indicação, ao Oscar de Melhor Documentário de Longa-Metragem, no Oscar 2017.

Elenco editar

O elenco é composto por:[5]

  • Aloisio Silva;
  • Argermiro Santos;
  • Diva Alves de Almeida;
  • Maria da Glória Alves de Almeida, e;
  • Reginaldo Alves de Almeida.

Enredo editar

Este retrata a pesquisa do historiador Sydney Aguilar Filho,[6] que em 1998, durante uma aula de história sobre o nazismo, foi surpreendido por uma estudante afirmando que na fazenda da família (pertencente a elite política e econômica participantes da cúpula da Ação Integralista Brasileira)[2][3][4] havia o desenho da suástica nos tijolos da casa. Achando isso suspeito, Aguiar investiga e descobre que, durante a década de 1930 nazistas brasileiros retiraram 50 meninos negros de um orfanato no Rio de Janeiro para serem escravizados,[5] em uma fazenda da família Rocha Miranda no município de Campina do Monte Alegre.[7][8] Contendo depoimentos de dois sobreviventes, Aloízio Silva (o “menino 23”) e Argemiro Santos.

Ver também editar

Referências

  1. «Menino 23 - Infâncias Perdidas no Brasil». Platforma Videocamp. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  2. a b «Filme 'Menino 23', sobre trabalho escravo, provoca surpresa no Cine Ceará». O Estado de S. Paulo. 22 de junho de 2016. Consultado em 8 de julho de 2016 
  3. a b «Ex-escravos lembram rotina em fazenda nazista no interior de SP». BBC. 25 de janeiro de 2014. Consultado em 8 de julho de 2016 
  4. a b «Feridas abertas - Revista de História». www.revistadehistoria.com.br. Consultado em 31 de julho de 2016. Arquivado do original em 19 de setembro de 2016 
  5. a b Menino 23 - Infâncias Perdidas No Brasil, p. GloboPlay, consultado em 23 de setembro de 2021 
  6. Aguilar-Filho, 2011
  7. «Sinopse do filme "Menino 23"» (PDF). IPEA. Consultado em 8 de julho de 2016 
  8. «Menino 23 (2016)». www.historiadocinemabrasileiro.com.br. Consultado em 15 de junho de 2016 

Leituras adicionais editar

Ligações externas editar

  Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.