Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Orfanato é a nomenclatura utilizada antigamente para determinar um estabelecimento que recebia crianças e adolescentes órfãos,[1] ou em situação de abandono, quando as famílias não podiam cuidar e o Estado assumia a responsabilidade. É o estabelecimento de assistência social no qual menores em situação de rompimento dos vínculos familiares são acolhidos e recebem cuidados pessoais, médicos e educacionais.

Pode ser administrado tanto pela administração pública ou privada. São considerados como entidades sem fins lucrativos, não pagam impostos, e a doação de bens e materiais de consumo por iniciativa pessoal dão o direito de abater no Imposto sobre a renda, desde que possua os Certificados exigidos pela legislação no Brasil.

Pesquisas do Projeto de Intervenção Precoce de Bucareste (BEIP) são freqüentemente citadas como demonstração de que instituições residenciais impactam negativamente o bem-estar das crianças. O BEIP selecionou orfanatos em Bucareste, Romênia, que criaram crianças abandonadas em ambientes social e emocionalmente carentes, a fim de estudar as mudanças no desenvolvimento de bebês e crianças depois de terem sido colocados com famílias adotivas especialmente treinadas na comunidade local.[2] Este poderoso estudo demonstrou como a falta de atenção amorosa normalmente fornecida às crianças pelos pais ou responsáveis ​​é essencial para o desenvolvimento humano ideal, especificamente do cérebro; nutrição adequada não é suficiente.[3] Pesquisas posteriores de crianças adotadas de instituições dos países da Europa Oriental para os EUA demonstraram que, a cada 3,5 meses que uma criança passava na instituição, elas ficavam atrás de seus pares em crescimento em 1 mês.[4] Além disso, uma meta-análise de pesquisa sobre QI de crianças em orfanatos encontrou QI mais baixo entre as crianças em muitas instituições, mas esse resultado não foi encontrado no país de baixa renda.[5]

Referências

  1. orfanato in Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-20 05:15:01]. Disponível na Internet: https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/orfanato
  2. Nelson, Charles; et al. (2007). «Cognitive Recovery In Socially Deprived Young Children: The Bucharest Early Intervention Project». Science. 318 (5858): 1937–1940. PMID 18096809. doi:10.1126/science.1143921 
  3. Media, American Public. «American RadioWorks - Rewiring the Brain». americanradioworks.publicradio.org 
  4. Johnson, Dana; Dole (1999). «International Adoptions: Implications for Early Interventions». Infants and Young Children. 11 (4). 34 páginas. doi:10.1097/00001163-199904000-00008 
  5. van IJzendoorn, MH, Luijk. M, Juffer, F. IQ of Children Growing Up in Children's Homes: A Meta-Analysis on IQ Delays in Orphanages. Merrill-Palmer Quarterly, Volume 54, Number 3, July 2008, pp. 341-366
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Orfanato