Michael Taylor

Michael Taylor, nascido por volta de 1944,[1] tornou-se notável em 1974 como resultado do caso de assassinato Osset e sua suposta possessão demoníaca na Inglaterra.[2]

Os fatos do casoEditar

InícioEditar

Em 1974, na cidade de Osset, Marie Robinson foi capaz de fazer Michael Taylor falar em línguas nas reuniões do Grupo Cristão Fellowship, mas os eventos começaram a dar errado quando sua mulher, Christine Taylor, expressou suspeitas em uma reunião que seu relacionamento com Robinson era mais carnal do que no início parecia. De repente, Taylor explicou mais tarde, que parecia que ele e Robinson estavam nus. "Eu me senti mal dentro de mim", disse ele. "Eu lutei contra - mas ele me superou e eu tinha procurado o conhecimento de mim mesmo e do meu ser nesta terra e ela tentou dar-me, mas esse não é o caminho". O resultado foi uma série de encontros violentos.[3]

PossessãoEditar

Taylor atacou primeiro fisicamente Robinson em uma espécie de raiva carismática. "Eu não sei o que dizer", ela lembrou. "Comecei falando em uma língua ... Mike também gritou para mim em uma língua. Nós apenas gritamos um para o outro." Fisicamente contido, Taylor foi acalmado e recebeu a absolvição na próxima reunião do grupo, no entanto, o seu comportamento continuou a tornar-se mais errático.[3] Como resultado, o vigário local foi chamado com outras ministros experientes na libertação, em preparação para expulsar os demônios que residem dentro do homem.[3]

ExorcismoEditar

O exorcismo, que ocorreu em 5-6 de outubro 1974 na Igreja de St. Tamisa em Barnsley,[1] foi dirigido pelo Padre Peter Vincent, um padre anglicano de St. Thomas em Gawber, e foi ajudado por um clérigo metodista, o Rev. Raymond Smith.[4][5] De acordo com Bill Ellis, uma autoridade em folclore e do ocultismo na cultura contemporânea, os exorcistas acreditavam que eles tinham: "Em uma cerimônia durante toda a noite ... invocado e expulsado pelo menos quarenta demônios, incluindo aqueles de incesto, a bestialidade, a blasfêmia e a lascívia. No final, exaustos, eles permitiram que Taylor fosse para casa, apesar de acharem que pelo menos três demônios – loucura, assassinato e violência foram ainda deixados nele."[6]

AssassinatoEditar

Quando chegou em casa, Michael Taylor assassinou sua esposa Christine, rasgando seu rosto com as mãos nuas, ele também estrangulou a sua poodle.[7] Ele foi encontrado por um policial, nu na rua, coberto de sangue.[8][9] Em seu julgamento, em março, Taylor foi absolvido por razões de insanidade.[10] A natureza bizarra do caso atraiu muita publicidade.[11]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Encyclopedia of Occultism and Parapsychology (em inglês). [S.l.: s.n.] Consultado em 4 de abril de 2010. Em 1975, com 31 anos de idade, Michael Taylor foi exorcizado na igreja Thames St., Barnsley, Inglaterra, mas foi para casa "possuído com o diabo" e assassinou brutalmente sua esposa. Ele foi considerado culpado, mas louco. 
  2. The devil within (em inglês). [S.l.]: W. H. Allen. Consultado em 4 de abril de 2010 
  3. a b c Raising the devil: Satanism, new religions, and the media (em inglês). [S.l.]: The University Press of Kentucky. Consultado em 4 de abril de 2010 
  4. «Casting out the Devil!» (em inglês). propheties.it. Consultado em 3 de março de 2016. Arquivado do original em 4 de agosto de 2010 
  5. The real exorcists (em inglês). [S.l.]: The University Press of Kentucky. Consultado em 4 de abril de 2010 
  6. Lure of the sinister: the unnatural history of Satanism (em inglês). [S.l.]: The University Press of Kentucky. Consultado em 4 de abril de 2010 
  7. Confession: studies in deviance and religion (em inglês). [S.l.]: Routledge & Kegan Paul Ltd. Consultado em 4 de abril de 2010 
  8. Lure of the sinister: the unnatural history of Satanism (em inglês). [S.l.]: New York University. Consultado em 4 de abril de 2010 
  9. The freethinker, Volumes 97-98 (em inglês). [S.l.]: G.W. Foote. Consultado em 4 de abril de 2010 
  10. The annual register, Volume 217 (em inglês). [S.l.]: Logmans. Consultado em 4 de abril de 2010 
  11. Confession: studies in deviance and religion (em inglês). [S.l.]: Routledge & Kegan Paul Ltd. Consultado em 4 de abril de 2010 

Ligações externasEditar