Morte de Breonna Taylor

Morte de Breonna Taylor
Período 13 de março de 2020
Local(is) Louisville, Kentucky
País Estados Unidos

Breonna Taylor, uma americana de 26 anos, foi morta a tiros por policiais do Departamento de Polícia Metropolitana de Louisville (LMPD) em 13 de março de 2020, quando o sargento Jonathan Mattingly, o detetive Brett Hankison e o detetive Myles Cosgrove entraram à paisana em seu apartamento em Louisville, Kentucky, quando cumpriam um "no-knock warrant".[nota 1] Outro policial e um tenente do LMPD estavam em cena quando o mandado foi executado.[1] Houve trocas de tiros entre o namorado de Taylor, Kenneth Walker, e policiais do LMPD que entraram no apartamento. Taylor foi baleada oito vezes,[2] e Mattingly foi ferido por tiros.[3] Nenhuma droga foi encontrada no apartamento. Sua morte, juntamente com a de George Floyd, provocou protestos em todo o mundo em apoio ao Black Lives Matter.[4][5][6]

Manifestação em Indianápolis por Taylor

A investigação do LMPD centrou-se em duas pessoas que já estavam sob custódia da polícia[7] e suspeitavam da venda de substâncias controladas em uma boca de fumo a mais de 16 quilômetros de distância.[8] Uma das pessoas sob custódia, Jamarcus Glover, tinha um relacionamento anterior com Taylor.[9] O mandado de busca incluía a residência de Taylor porque havia suspeita de uso de drogas no local[8] e porque um carro registrado em nome de Taylor havia sido visto estacionado em várias ocasiões em frente à casa de Glover.[10]

Segundo a polícia, Walker teria disparado primeiro, ferindo um policial o que fez com que a polícia revidasse. De acordo com uma "reclamação por morte injustificada" movida contra a polícia pelo advogado da família Taylor, os policiais entraram na casa sem bater ou anunciar que eram policiais e alegadamente abriram fogo com total desrespeito ao valor da vida humana.[5][11]

Pessoas envolvidasEditar

  • Breonna Taylor (5 de junho de 1993 — 13 de março de 2020) nasceu em Grand Rapids, Michigan. Seus pais eram Tamika Palmer e Troy Herrod. Formou-se na Western High School e passou a estudar na Universidade de Kentucky. Era técnica médica de emergência[12] e trabalhou em dois hospitais, o Hospital Judaico da Universidade de Louisville e o Norton Healthcare. No momento de sua morte, estava trabalhando para a Universidade de Saúde de Louisville Health.[12][13][14] Foi sepultada em 21 de março de 2020.[13]
  • Kenneth Walker era o namorado de Taylor e morava com ela no apartamento.
  • Jonathan Mattingly é um sargento da polícia do LMPD que ingressou no departamento em 2000.[3]
  • Brett Hankison é um detetive à paisana de LMPD.[3]
  • Myles Cosgrove é um detetive à paisana de LMPD.[3]

TiroteioEditar

Logo após a meia-noite de 13 de março de 2020, a polícia de Louisville entrou no apartamento de Breonna Taylor e Kenneth Walker usando um aríete para abrir a porta. A polícia estava investigando dois homens que eles acreditavam estar vendendo drogas. A casa de Taylor / Walker foi incluída em um mandado de busca "no-knock", assinado pela juíza Mary M. Shaw do Circuito do Condado de Jefferson, supostamente baseado em declarações da polícia de que um dos homens usou o apartamento para receber pacotes.[15] O suspeito de tráfico de drogas foi visto entrando no apartamento de Taylor em uma tarde de janeiro com um pacote do USPS antes de sair e dirigir para uma boca de fumo conhecida, e o mandado disse que um inspetor postal dos EUA confirmou que o homem estava recebendo pacotes no apartamento.[8] O inspetor postal Tony Gooden disse que seu escritório havia dito à polícia que não havia pacotes de interesse sendo recebidos lá.[16]

A polícia de Louisville declarou que eles se anunciaram ao entrar na casa depois de baterem várias vezes e dizerem que eram policiais de Louisville com um mandado de busca. Os vizinhos e a família de Taylor contestam isso, dizendo que não houve anúncio e que Walker e Taylor acreditavam que alguém estava invadindo, fazendo com que Walker agisse em legítima defesa.[8] Walker disse em seu interrogatório policial que Taylor gritou várias vezes: "Quem é?" depois de ouvir um estrondo alto na porta, mas não recebeu resposta, e que ele então se armou. Walker, um porta-armas licenciado, atirou primeiro, atingindo um policial na perna. Em resposta, os policiais abriram fogo com mais de 20 tiros, atingindo objetos na sala de estar, sala de jantar, cozinha, corredor, banheiro e ambos os quartos. Taylor foi baleada pelo menos oito vezes e declarada morta no local.[17] Nenhuma droga foi encontrada no apartamento.[5] Segundo fontes anônimas que falaram ao WAVE3 News, um dos três policiais teria atirado cegamente do lado de fora da residência, através de uma janela com persianas e cortinas fechadas. As fontes disseram que não acreditam que Taylor tenha sido atingida por nenhuma das balas disparadas pelo policial que estava do lado de fora.[18]

Notas

  1. No-knock warrant é um tipo de mandado de busca que não exige aviso prévio para sua execução. Ou seja, o executante do mandado não precisa avisar ao morador de que está de posse de um mandado de busca e que o morador deve abrir a porta para que ele entre na residência.

Referências

  1. Costello, Darcy (16 de maio de 2020). «Who are the 3 Louisville officers involved in the Breonna Taylor shooting?». Courier Journal. Consultado em 31 de maio de 2020. At least two other police officers, a lieutenant and an officer, were on the scene as a part of executing the warrant that night. 
  2. Bailey, Tessa Duvall, Darcy Costello and Phillip M. «Senator Kamala Harris demands federal investigation of police shooting of Breonna Taylor in Kentucky». USA TODAY 
  3. a b c d Wise, John (13 de março de 2020). «Officers, suspect involved in deadly confrontation identified». Consultado em 31 de maio de 2020. Sgt. Jon Mattingly, who has been with LMPD since 2000, also was struck by gunfire. He’s expected to survive. 
  4. Haines, Errin (11 de maio de 2020). «Family seeks answers in fatal police shooting of Louisville woman in her apartment. Her death, along with the death of George Floyd, sparked riots across the world in support of Black Lives Matter.». The Washington Post 
  5. a b c Burke, Minyvonne (13 de maio de 2020). «Woman shot and killed by Kentucky police who entered wrong home, family says». NBC News. Consultado em 14 de maio de 2020 
  6. Costello, Tessa; Costello, Darcy (11 de maio de 2020). «Family of Louisville woman killed by police in her apartment hires lawyer from Ahmaud Arbery case». USA TODAY. Louisville Courier Journal 
  7. Burke, Minyvonne (13 de maio de 2020). «Breonna Taylor police shooting: What we know about the Kentucky woman's death». NBC News. Consultado em 31 de maio de 2020. Her family said officers were looking for a man named Jamarcus Glover, who lived in a different part of the city and was already in police custody when Taylor's home was raided. 
  8. a b c d Duvall, Tessa; Costello, Darcy (12 de maio de 2020). «Senator Kamala Harris demands federal investigation of police shooting of Breonna Taylor in Kentucky». USA TODAY. Louisville Courier Journal 
  9. Burke, Minyvonne (13 de maio de 2020). «Breonna Taylor police shooting: What we know about the Kentucky woman's death». NBC News. Consultado em 31 de maio de 2020. Taylor and the suspect had previously dated. Sam Aguiar, another attorney on the case, said at Wednesday's news conference that Taylor and Glover had dated about two years prior and had maintained a "passive friendship." 
  10. Burke, Minyvonne (13 de maio de 2020). «Breonna Taylor police shooting: What we know about the Kentucky woman's death». NBC News. Consultado em 31 de maio de 2020. Her address was listed on the search warrant based on police's belief that Glover had used her apartment to receive mail, keep drugs or stash money. The warrant also stated that a car registered to Taylor had been seen parked on several occasions in front of a "drug house" known to Glover. 
  11. Brito, Christopher (15 de maio de 2020). «Family sues after 26-year-old EMT is shot and killed by police in her own home». CBS News (em inglês). Consultado em 15 de maio de 2020 
  12. a b Shellbourne, Talis (13 de maio de 2020). «Breonna Taylor: Louisville EMT Killed in Botched Police Raid, Lawyer Says». heavy. Consultado em 14 de maio de 2020 
  13. a b «Breonna Taylor Obituary - Visitation & Funeral Information». www.springvalleyfuneral.net (em inglês). Consultado em 22 de maio de 2020 
  14. Martinez, Natila (14 de maio de 2020). «Personnel records give timeline of Breonna Taylor's career as an EMT». Wave 3 News. Consultado em 14 de maio de 2020 
  15. Jr, Richard A. Oppel (30 de maio de 2020). «Here's What You Need to Know About Breonna Taylor's Death». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 1 de junho de 2020. Cópia arquivada em 1 de junho de 2020 
  16. Ragsdale, Jason Riley, Marcus Green and Travis (16 de maio de 2020). «Louisville postal inspector: No 'packages of interest' at slain EMT Breonna Taylor's home». WDRB. Consultado em 1 de junho de 2020. Cópia arquivada em 2 de junho de 2020 
  17. Read, Bridget (27 de maio de 2020). «Breonna Taylor Was Shot and Killed by Police in Her Own Home». The Cut. Consultado em 1 de junho de 2020. Cópia arquivada em 30 de maio de 2020 
  18. Martinez, Natalia (14 de maio de 2020). «Breonna Taylor Shooting: Officer accused of shooting through windows with blinds closed». wave3.com. Consultado em 3 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de junho de 2020