Morte de Giovanni López

2020 morte no México


A morte de Giovanni López Ramírez ocorreu em 4 de maio de 2020 no município de Ixtlahuacán de los Membrillos, Jalisco, México, como resultado de sua prisão por policiais. [1]

Morte de Giovanni López
Patrullasincendiadasprotestasguadalajara.jpg

Protestos pela morte de Giovanni López
Local do Crime Ixtlahuacán de los Membrillos, Jalisco, México
Data do Crime 04/05/2020
Nome da Vitima Giovanni López
Idade da Vitima 30 anos
Motivo da Morte Traumatismo craniano por espancamento
Armas Pistola 9mm e espancamento utilizando bastão expansível tático
Réus 3 policiais
Condenação Desconhecida
Sitaução do Caso Em segredo de justiça
Causa do Crime Violência policial
Consequências do Crime Grandes protestos contra a violência policial
Status do Réu Presos (sem maiores informações)

Ele teria sido preso por não usar máscara durante a pandemia de COVID-19 no México . Ele morreu em um hospital com lesão cerebral traumática e um ferimento à bala na perna. [2] [3] O clamor público por sua morte ocorreu um mês depois de sua morte, devido a um vídeo de sua prisão se tornar viral nas redes sociais e inspirado pelos protestos de George Floyd . Os protestos contra a brutalidade policial começaram em Jalisco em 4 de junho de 2020 e também se espalharam por outras áreas do México. [4]

O Procurador-Geral de Jalisco anunciou que três policiais de Ixtlahuacán de los Membrillos foram presos em 5 de junho de 2020 pelo assassinato de Giovanni López. [5]

Giovanni LópezEditar

Giovanni López Ramírez (1990-2020) era um pedreiro de trinta anos e vivia em Ixtlahuacán de los Membrillos dês de seu nascimento. [3]

Prisão e morteEditar

O irmão de Giovanni, Christian Daniel López Ramírez, registrou o momento em que a polícia prendeu seu irmão em 4 de maio de 2020. Ele foi preso em frente à casa da família López, supostamente por não usar máscara. Após a prisão de seu irmão, Christian afirmou que ele e seus vizinhos ligaram para o prefeito, que lhes disse que poderiam pegar seu irmão no dia seguinte aproximadamente às 10:00 horas da manhã. [6]

No dia seguinte, 5 de maio de 2020, a família de López foi à prisão municipal para buscar Giovanni, quando disseram que ele estava no Hospital Civil de Guadalajara. A tia de Giovanni disse que a polícia da prisão disse a ela que Giovanni estava no hospital porque "se les había pasado la mano" (que significa "eles pesaram a mão"), uma expressão em espanhol que sugere que a polícia usou força excessiva . [7] No hospital, eles foram informados de que Giovanni havia morrido de traumatismo cranioencefálico. Ele também tinha lesões e um ferimento à bala na perna esquerda.

RescaldoEditar

O irmão de Giovanni não divulgou o vídeo da prisão do irmão até um mês depois. Ele acusou o prefeito de Ixtlahuacán, Eduardo Cervantes Aguilar, de oferecer a sua família $ 200.000 pesos para não divulgar o vídeo da prisão de Giovanni e também afirma que o prefeito ameaçou matar sua família se o vídeo fosse divulgado. O prefeito negou as acusações. [8] [9]

Nos dias seguintes ao lançamento do vídeo de prisão, centenas de jovens se reuniram no centro de Guadalajara, pintando graffiti, quebrando janelas e tentando forçar a entrada no palácio do governo. A polícia respondeu com gás lacrimogêneo e duas viaturas foram queimadas. [10] O policial Rodolfo Essaú foi incendiado; sua condição foi posteriormente relatada como estável. [11] Pelo menos 28 pessoas foram detidas por protestar. [12]

ReaçõesEditar

O governador de Jalisco, Enrique Alfaro Ramírez, afirmou que a prisão de López nada teve a ver com máscara facial. [12]

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, falou sobre o incidente, afirmando que "não vai interferir no caso para evitar conflitos partidários". [13]

A atriz mexicana Salma Hayek postou uma foto no Instagram protestando contra o assassinato de López. [14] O diretor mexicano Guillermo Del Toro também condenou o assassinato de Giovanni López nas redes sociais. [2] Outras celebridades condenando a morte de López incluem a banda mexicana Molotov e a atriz mexicana Zuria Vega . [15]

A seção mexicana do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos condenou a morte de López e pediu uma investigação independente. [16]

As pessoas pediram justiça para Giovanni usando a hashtag #JusticiaParaGiovanni (#JustiçaParaGiovanni).

ReferênciasEditar

 

  1. Martínez, Jorge. «Lo que sabemos de caso Giovanni López, detenido en Ixtlahuacán». www.milenio.com. Mileno Digital. Consultado em 1 de abril de 2021 
  2. a b «Celebrities demand justice for Giovanni López, killed by police in Jalisco for not wearing a mask». Puerto Vallarta Daily News. Consultado em 1 de maio de 2021  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "vallarta" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  3. a b «Police killing of Giovanni López sparks protests, political crisis in Mexico». www.wsws.org (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2021  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "winters" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  4. «Jóvenes protestan en capital de SLP por homicidio de Giovanni López». El Universal (em espanhol). 5 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  5. «Three police officers arrested in connection with the Giovanni López case». El Universal (em espanhol). 5 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  6. Narra hermano asesinato de Giovanni (em espanhol). Grupo REFORMA. Consultado em 1 de maio de 2021 
  7. «"Justicia para Giovanni": el caso de brutalidad policial que conmociona a México». BBC News Mundo (em espanhol). 5 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  8. Alcalde de Ixtlahuacán niega amenazas a familia de Giovanni (em Spanish). Milenio Digital. Consultado em 1 de maio de 2021 
  9. Baeza, Manuel. «Caso Giovanni López se está politizando: alcalde de Ixtlahuacán». Milenio. Consultado em 1 de maio de 2021 
  10. «Queman patrullas en Jalisco por muerte de Giovanni López». El Universal (em espanhol). 4 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  11. «Giovanni López: Mexican protesters clash with Jalisco police over police brutality death». El Universal (em espanhol). 5 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  12. a b Zapata, Belén (8 de maio de 2020). «México: Ixtlahuacán, sitiado tras avance en caso Giovanni». CNN (em espanhol). Consultado em 1 de maio de 2021  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "cnn" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  13. Mitre, Estefania (8 de maio de 2020). «'Justice for Giovanni' case in Mexico echos George Floyd; inspires marches, protests». El Paso Herald-Post. Consultado em 1 de maio de 2021 
  14. «Protests in Guadalajara over the death of Giovanni Lopez». San Miguel Times. 6 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021 
  15. del Rincón, Fernando (6 de maio de 2020). «Famosos mexicanos piden justicia por Giovanni López». CNN (em espanhol). Consultado em 1 de maio de 2021 
  16. «Condena ONU-DH México muerte de Giovanni López Ramírez». www.jornada.com.mx (em espanhol). La Jornada. 4 de maio de 2020. Consultado em 1 de maio de 2021