Abrir menu principal

Mosteiro de Santa Maria de Maceira Dão

Convento de Nossa Senhora de Maceira Dão, Vila Garcia, Portugal (3671510728).jpg

O Real Mosteiro de Santa Maria localiza-se na povoação de Vila Garcia, freguesia de Fornos de Maceira Dão, município de Mangualde, no Distrito de Viseu, em Portugal.

Índice

HistóriaEditar

Foi fundado por Sueiro Teodoniz em 1161, primitivamente na possessão de Moimenta, obedientes à regra da Ordem de São Bento. Desde cedo, entretanto, abraçaram a regra da Ordem de Cister, tornando-se obedientes ao Mosteiro de Alcobaça. Poucos anos mais tarde, em 1173, foi transferido para Fornos de Maceira Dão. D. Afonso Henriques foi seu protector, pelas prerrogativas e grandes coutos com que o dotou. Nos séculos anos seguintes o seu património aumentou muito, mercê das doações que os fiéis lhe iam oferecendo.

Em 1560, o Cardeal D. Henrique determinou que os bens dos extintos conventos das freiras Bernardas e de S. João do Vale de Madeiros lhe fossem anexados.

Com a Extinção das ordens religiosas masculinas em 1834, os coutos de Maceira Dão passaram a integrar o concelho de Mangualde. Em 1837, a Câmara Municipal deliberou no sentido da sua administração.

Na década de 1960, o conjunto foi adquirido por uma família de Pombal, que passou a explorar a propriedade, embora não dispondo de recursos para a conservação do imóvel histórico. À época já se encontrava sem recheio, revestimento ou ornamentos. Retábulos, altares e imagens já haviam sido dispersos.

Em precárias condições de conservação, os seus vários espaços tem servido como depósito de alfaias e produtos agrícolas, e mesmo como abrigo para galinhas.

Encontra-se classificado como Monumento Nacional pelo Decreto nº 5/2002, publicado no Diário da República nº 42 de 19 de Fevereiro de 2002, por iniciativa da Associação Cultural Azurara da Beira. Insere-se em zona de interesse paisagístico.

CaracterísticasEditar

Apresenta arquitectura com elementos em estilo maneirista e barroca dos séculos XVII e XVIII. Entre eles destacam-se:

  • a torre medieval, erguida entre os séculos XII e XV, dividida internamente em três pisos de adega e celeiro, ainda hoje relativamente bem conservada;
  • as edificações monásticas do século XVIII em que se destacavam, no piso térreo, o claustro com fonte, a sala do capítulo, o refeitório, a cozinha, a adega, e, no piso superior, os aposentos do Abade, a biblioteca, a enfermaria e as celas;
  • a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, do século XVIII, que se destaca por apresentar uma singular frontaria em tronco de cilindro com as armas reais sobre a entrada.

BibliografiaEditar

  • "Real Mosteiro de Santa Maria em risco de derrocada". in Diário de Coimbra, 17 Abr 2011, p. 17.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.