Muhammadiyah

Muhammadiyah (em árabe: محمدية, os seguidores de Muhammad. nome completo: Persyarikatan Muhammadiyah) é uma das principais organizaçções não-governamentais islâmicas na Indonésia.[1] A organização foi fundada em 1912 por Ahmad Dahlan, na cidade de Yogyakarta, como um movimento socio-religioso reformista, defendendo o ijtihad - interpretação individual do Alcorão e da sunnah, ao contrário taqlid - a aceitação das interpretações tradicionais defendido pelo ulama.[2] Desde a sua criação, Muhammadiyah adotou um plataforma reformista de mistura religiosa e de educação secular,[3] principalmente como uma forma de promover a mobilidade ascendente dos muçulmanos em direcção a uma "moderna" comunidade e para purificar os locais islâmicos da Indonésia de más práticas. A organização continua a apoiar a cultura local e promover a tolerância religiosa na indonésia, enquanto algumas das suas instituições de ensino superior são atendidas principalmente por não-muçulmanos, especialmente nas províncias de Nusa Tenggara Leste e Papua. O grupo também é responsável por um grande cadeia de caridade, hospitais, e operava 128 universidades no final da década de 1990.[4]

Actualmente, Muhammadiyah é a segunda maior organização islâmica na Indonésia, com 29 milhões de membros. Embora líderes e membros da organização Muhammadiyah são, muitas vezes, activamente envolvido na formação da política na Indonésia, Muhammadiyah não é um partido político. Esta organização tem-se dedicado a actividades sociais e educacionais.

ActividadesEditar

Muhammadiyah é observado como uma organização muçulmana reformista. As suas principais actividades são a religião e a educação. Ela construiu escolas islâmicas em formas modernas, além da tradicional pesantren. Algumas das suas escolas também estão abertas aos não-muçulmanos.[5] Actualmente, existem cerca de 5,754 escolas pertencentes à Muhammadiyah.[6]

Ela também tem funcionado como uma organização de caridade. Hoje ele é dono de várias centenas de hospitais e clínicas médicas sem fins lucrativos em toda a Indonésia. Recentemente, ela tem sido activa na campanha sobre os perigos da gripe aviária na Indonésia.[7]

OrganizaçãoEditar

A sede nacional foi originalmente em Yogyakarta. No entanto, em 1970, as comissões que lidam com a educação, economia, saúde e bem-estar social tinham se transferido para a capital do país, Jacarta.[8]

ReferênciasEditar

  1. A. Jalil Hamid, Tackle the rising cost of living longer . New Straits Times, 30 October 2016. Accessed 1 November 2016.
  2. «Muhammadiyah». Consultado em 4 de novembro de 2018. Arquivado do original em 14 de setembro de 2008 
  3. Abu Zayd, Nasr. Reformation of Islamic Thought. [S.l.: s.n.] 
  4. Pieternella van Doorn-Harder, WOMEN SHAPING ISLAM: Reading the Qu'ran in Indonesia, pg .95. Champaign: University of Illinois Press, 2010.
  5. «USINDO Roundtable With the Muhammadiyah and Aisyiyah Delegation». Consultado em 4 de novembro de 2018. Arquivado do original em 13 de agosto de 2006 
  6. «Muhammadiyah urged Governot to Set Model School». Consultado em 4 de novembro de 2018. Arquivado do original em 27 de setembro de 2007 
  7. «Muhammadiyah to help campaign on danger of avian flu» 
  8. «Profil Muhammadiyah»