Abrir menu principal

Muralha das Portas de Montemuro

Ruínas da Muralha das Portas de Montemuro

As ruínas da Muralha das Portas de Montemuro, em Parada de Ester (Castro Daire) é um sítio arqueológico considerado como Imóvel de Interesse Público pelo IPPAR desde 1974.[1]

No século XIII era já referido nas Inquirições de 1258. A estação arqueológica é partilhada por dois concelhos vizinhos: Castro Daire e Cinfães. Segundo alguns autores, o sítio atesta os escassos vestígios de um povoado fortificado da Idade do Ferro, que se pode considerar como fazendo parte da cultura castreja. O "castro" terá, depois, sido reutilizado pelos romanos e durante a Reconquista, por D. Afonso Henriques (note-se que alguns terrenos circundantes terão pertencido a Egas Moniz).

O termo Portas terá surgido oficialmente, pela primeira vez, no foral da vila de Bustelo, concedido no século XIII, sendo também designado como Muro das Portas ou, simplesmente Muro, pelos caçadores e pastores que passam pelo local e referir-se-á, talvez, à passagem de rebanhos transumantes da Serra da Estrela. Existe um capela perto do local, numa atitude típica de adopção pela religião cristã dos locais sagrados ou supostamente sagrados da época pagã.

Referências

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.