Abrir menu principal

Museu Nacional e Centro de Pesquisa de Altamira

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Museu Nacional.
Museu Nacional e Centro de Pesquisa de Altamira
Tipo museu nacional
Inauguração 2001 (18 anos)
Website oficial
Geografia
Localização Santillana del Mar
País Espanha

O Museu Nacional e centro de pesquisa de Altamira ou Museu de Altamira é um centro para a conservação, pesquisa e difusão da caverna de Altamira, em Santillana del Mar (Cantábria, Espanha), nomeada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Junto à caverna, o museu oferece ao visitante oficinas de tecnologias pré-históricas e a exposição permanente "Os tempos de Altamira", com objetos procedentes deste sítio, assim como de outras cavernas como as de El Morín, El Juyo e El Rascaño. Também faz parte desta exposição a denominada Neocueva, uma réplica artificial das cavernas originais, construída com objeto de preservar as mesmas dos prejuízos derivados de uma afluência maciça de visitantes.

O amplo número de pessoas que desejava ver a caverna e o longo período de espera para aceder a ela (mais de um ano) levaram para a ideia de construir uma réplica. Desde 2001, junto à caverna ergue-se o Museu Nacional e Centro de Pesquisa de Altamira, autoria do arquiteto Juan Navarro Baldeweg.[1] Destaca-se no seu interior a "Neocaverna de Altamira" (Neocueva), a reprodução mais fiel que existe da original e muito similar a como se conhecia há 15 mil anos. No seu interior é possível contemplar uma reprodução das famosas pinturas do Grande Teto da caverna, levada a cabo por Pedro Saura e Matilde Múzquiz, catedrático de fotografia e professora de desenho da Faculdade de Belas-Artes da Universidade Complutense de Madrid, respectivamente. Nesta reprodução foram empregues as mesmas técnicas de desenho, gravura e pintura que empregaram os pintores paleolíticos. A reprodução levou-se a tal extremo que, durante o estudo das originais, descobriram-se novas pinturas e gravuras.

Índice

ColeçõesEditar

Custodiam-se e mostram-se várias coleções, procedentes dos achados da própria Caverna de Altamira e de outras próximas, tais como:[2]

Referências

  1. (Lasheras et al. Fatás, p. 25)
  2. Ministerio de Cultura. «Colecciones del Museo». Museo de Altamira. Consultado em 9 de julho de 2011 

BibliografiaEditar

  • Lasheras, José Antonio; de las Heras, Carmen; Montes, Ramón; Rasins, Pedro; Fatás, Pilar. Jan–Fev-Março 2002. «Dossier: "La Altamira del siglo XXI"» (PDF). Valhadolide: Fundación del Patrimonio Histórico de Castilla y León. Patrimonio Histórico de Castilla y León: 22-34. ISSN 1578-5513. Consultado em 3 de julho de 2011. Arquivado do original (PDF) em 28 de junho de 2012 

Ligações externasEditar