Abrir menu principal
Music Complete
Nocover.svg
Álbum de estúdio de New Order
Lançamento 25 de setembro de 2015
Gravação 2014 - 2015
Gênero(s) Dance alternativo
Duração 64:26
Gravadora(s) Mute Records
Produção New Order, Stuart Price, Tom Rowlands
Cronologia de New Order
Lost Sirens
(2013)
Cronologia álbuns de New Order
Lost Sirens
(2013)
Complete Music
(2016)
Singles de Music Complete
  1. "Restless"
    Lançamento: 29 de julho de 2015
  2. "Tutti Frutti"
    Lançamento: 19 de outubro de 2015
  3. "Singularity"
    Lançamento: 18 de março de 2016
  4. "People on the High Line"
    Lançamento: 29 de julho de 2016

Music Complete é o décimo álbum de estúdio do grupo inglês de pós-punk New Order. Foi lançado no dia 25 de setembro de 2015 pela gravadora Mute Records, o primeiro disco do grupo pelo novo selo. O álbum conta com a participação de Elly Jackson, da banda La Roux, Iggy Pop e Brandon Flowers, do The Killers, nos vocais de algumas canções.

O disco foi lançado em CD e vinil, além de formato digital, no dia 25 de setembro de 2015. A versão de luxo do LP, lançada como um box, foi colocada à venda em 20 de novembro de 2015. A arte da capa varia conforme o tipo de formato.

Em 29 de julho, a canção "Restless" foi lançada como primeiro single do álbum. Em 19 de outubro, "Tutti Frutti" foi escolhida e lançada como segundo single.

Music Complete recebeu boas críticas, sendo apontado como o melhor trabalho do grupo desde o disco Technique (1989). O crítico e jornalista André Barcinski apontou o disco como sendo muito bom, mesmo não trazendo nenhuma inovação[1]

Índice

AntecedentesEditar

Music Complete segue uma linha mais eletrônica do que os dois álbuns anteriores do New Order, que tinham sido mais baseados no uso de guitarras. Este é o primeiro disco sem o baixista Peter Hook, assim como a estreia de Tom Chapman e o retorno de Gillian Gilbert, que tinha deixado o grupo em 2001. Dawn Zee é o responsável pelo backing vocals do disco, papel que já havia realizado nos últimos três álbuns.

Em março e julho de 2014, a banda já havia revelados duas novas canções. "Plastic" foi apresentada na turnê pela América do Sul, no Lollapalooza Chile, enquanto "Singularity" foi tocada em um show na cidade de Chicago, Estados Unidos, durante a turnê pela América do Norte.

A banda havia assinado um novo contrato com o selo Mute Records[2], deixando para trás a Warner Music. No dia 22 de junho, através de seu site oficial, o New Order anunciou a data de lançamento e o nome do novo disco: Music Complete[3]. Neste mesmo dia, bem como nos dias 30 de junho e 7 de julho, o canal oficial da banda no YouTube divulgou três teasers com trechos de músicas que estariam no álbum.

Em 29 de julho, a canção "Restless" foi lançada como primeiro single do álbum. Em 19 de outubro, "Tutti Frutti" foi escolhida e lançada como segundo single. "Plastic" foi compartilhada com o público no dia 16 de setembro, enquanto "Tutti Frutti" saiu como segundo single no dia 19 de outubro.

CapaEditar

A arte da capa de Music Complete foi criada pelo diretor de arte Peter Saville, colaborador de longa data do grupo. A arte apresenta uma montagem de linhas com as cores vermelha, amarela, verde e azul. Dependendo do formato, os esquemas de cores variam.

LançamentoEditar

Music Complete foi lançado oficialmente no dia 25 de setembro, em 5 formatos diferentes.

Recepção da CríticaEditar

Music Complete recebeu críticas positivas por parte da mídia especializada. T. Cole Rachel, crítico da Pitchfork, comentou que o disco soa como um "New Order clássico" e escreveu: "Music Complete certamente não diminui o formidável legado do New Order, mas isso não significa necessariamente que o expanda".[4] Barry Walters, da revista Rolling Stone, escreveu: "Tal como o suicídio de Curtis inspirou seus companheiros de banda a se reinventarem como New Order, em 1980, a saída de Hook os deixou livres para criarem o mais substancial trabalho em décadas".[5]

No Brasil, as críticas também foram positivas[1][6][7]. O jornalista e crítico musical André Barcinski apontou que o disco não trouxe nada de novo ao trabalho da banda, e escreveu: "Music Complete não vai mudar a música, como Blue Monday fez em 1983, mas é puro New Order, e isso basta"[1].

Faixas do álbumEditar

1 - "Restless" (4:31)

2 - "Singularity" (5:37)

3 - "Plastic" (6:55)

4 - "Tutti Frutti" (6:22)

5 - "People on the High Line" (5:41)

6 - "Stray Dog" (6:17)

7 - "Academic" (5:54)

8 - "Nothing But a Fool" (7:43)

9 - "Unlearn This Hatred" (4:19)

10 - "The Game" (5:06)

11 - "Superheated" (5:04)

12 - "Restless" - bônus estendido (7:09)

ReferencesEditar

  1. a b c André Barcinski (7 de setembro de 2015). «Disco não traz novidade, mas é puro New Order, e isso já basta». Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  2. UOL (3 de setembro de 2015). «New Order assina com gravadora independente para lançamento de álbum». UOL. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  3. O Globo (23 de janeiro de 2015). «New Order anuncia novo álbum para o segundo semestre de 2015». O Globo. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  4. Rachel, T. Cole (22 September 2015).
  5. Walters, Barry (21 September 2015).
  6. Ticiano Osório (13 de outubro de 2015). «Peter Hook que me perdoe: "Music Complete" é o melhor disco do New Order desde "Technique"». Zero Hora. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  7. Lucas Scaliza (30 de setembro de 2015). «NEW ORDER – MUSIC COMPLETE (2015)». Escuta Essa. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
Erro de citação: Elemento <ref> com nome "completemusic" definido em <references> não é utilizado no texto da página.