Náutica (revista)

NÁUTICA, que faz parte do Grupo Náutica, é a mais importante publicação brasileira especializada em barcos e estilo de vida náutico. Duas publicações antecederam e geraram a atual NÁUTICA. A primeira foi a revista MAR, nascida em Curitiba, em 1981. Com a incorporação da revista VELA E MOTOR, em maio de 1984, a revista MAR virou MAR, VELA E MOTOR. Criada em 1987, a revista Esportes & Náutica fundiu-se com Mar, Vela e Motor, dando origem à Náutica, em 1989.

Inovação traduz bem o espírito que sempre norteou a história de NÁUTICA. Nos anos 1980, foi a primeira publicação impressa do Brasil a estabelecer um padrão de testes de embarcações de lazer. Hoje, detém a marca histórica de mais de 1000 (mil!) avaliações de barcos publicados. Foi também a primeira revista a dedicar parte do seu conteúdo a especiais de mergulho — dando origem a revista Mergulho. Mais: há quase duas décadas, NÁUTICA introduziu no nosso mercado os dois maiores salões náuticos da América Latina, o São Paulo Boat Show e o Rio Boat Show.

No fim dos anos 1990, NÁUTICA lançou a campanha “Só jogue na água o que o peixe pode comer”, batizada pelo cartunista Ziraldo, que conscientiza — de uma maneira bem agradável, com a distribuição de brindes e informativos práticos, junto com o Guia Náutico de Angra e Paraty, editado anualmente pela revista — os usuários de barcos frequentadores dessas no verão.

Em 2013, depois de passar a ter a edição regional NÁUTICA SUDESTE (sua segunda, depois da pioneira NÁUTICA SUL, dedicada ao Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), voltada apenas às águas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, NÁUTICA foi responsável por outro feito memorável: a incrível marca de 300 edições! Não há revista mais antiga sobre barcos no Brasil.

No mesmo ano, NÁUTICA, que sempre esteve ligada no que há de mais moderno em conteúdo e tecnologia, também apresentou sua inédita versão digital tablet e smartphone. Com isso, tornou-se a primeira revista sobre barcos do Brasil a ter uma versão digital totalmente interativa. Todo o conteúdo ficou disponível em versão digital antes mesmo de chegar às bancas. Uma longa travessia e com grandes descobertas.

Uma década depois de lançar o primeiro portal na internet brasileira sobre o mundo náutico, NÁUTICA inovou mais uma vez ao apresentar um portal dinâmico e moderno, que chegou com a missão de captar o espírito dos novos tempos náuticos e ajudar a construir o mercado de barcos cada vez mais profissional.

A nova NÁUTICAEditar

Em 2019, NÁUTICA promove uma revolução. Em mais de 35 anos de uma longa travessia — o suficiente para tornar qualquer marujo de primeira viagem em um experiente comandante, caso tenha acompanhado toda a história de NÁUTICA —, a revista que se tornou símbolo de náutica no país, com uma relação umbilical com seus leitores, e que nunca parou de evoluir, seja na linha editorial ou no design gráfico, apresenta uma nova edição da revista, confirmando a constante evolução e o compromisso de continuar ajudando a fortalecer o mercado náutico nacional, informando cada vez melhor os leitores.

Assim como a nova geração de barcos feitos no mundo, a nova Náutica ficou maior, mais moderna, e a leitura, ainda mais agradável. Tamanho, diagramação, papel, logotipo, impressão. Tudo ficou diferente. As fotos ganharam um destaque maior e a diagramação ficou mais limpa, arejada, com imagens que parecem de cinema, por conta do novo tipo de papel, mais indicado para a impressão de imagens em alta qualidade. Em seu interior, a revista caprichou em elementos visuais clean e introduziu todo o charme e sofisticação do mercado de luxo e lifestyle para quem sabe aproveitar o lado bom da vida, mas deixando em primeiro plano o seu DNA: o mundo náutico.

Por conta do novo tipo de papel agora usado (mais indicado para a impressão de imagens em alta qualidade, em que as cores parecem ganhar vida) e de uma medida sutil, mas de efeito marcante, que é a adoção da tecnologia UV-LED na impressão. Sim, a mesma luz de LED que já é usada em automóveis, barcos e telas de smartphone, além da iluminação de ambientes, agora desempenha um novo papel: no processo de secagem das tintas usadas na impressão, como é o caso da nova NÁUTICA.

Esse salto de qualidade só foi possível graças a uma parceria com Nywgraf, de São Paulo, que trouxe para o país um sistema de impressão revolucionário, desenvolvido pela alemã Heidelberg, que usa lâmpadas UV-LED (de baixo consumo de energia, vida útil prolongada e zero poluição por ozônio) no processo de secagem das tintas curadas por exposição à luz ultravioleta. Por sua vez, a Nywgraf conta com uma importante aliada: a Toyo, que contribuiu com o desenvolvimento de tintas que curam com essas lâmpadas UV-LED e não emitem compostos orgânicos voláteis, reduzindo o seu impacto ambiental.

O criadorEditar

O ano era algum do fim da década de 1970. O personagem desta história era um jovem empresário dando o primeiro grande passo para expandir seu negócio próprio, uma gráfica. Ernani Paciornik tinha uma missão naquela semana: comprar a segunda máquina para sua recém-nascida gráfica própria, a Casa do Convite. O jovem trabalhava desde cedo com documentos e publicações ligadas a convênios e planos de saúde impressos na pequena gráfica da casa de saúde do pai, o renomado obstetra curitibano Moysés Paciornik, precursor no Brasil do parto de cócoras. Não era apaixonado pela medicina – como o pai, ou o irmão, que também seguiu carreira médica. Gostava era da tinta e de publicar. Deve ter sido difícil entender por que, naquela semana, em vez de voltar das compras com a máquina nova, Ernani voltara com um Dríade. E Dríade era um barco!

Ninguém sabe o que se passava pela cabeça de Ernani quando decidiu mudar de planos. Nem ele mesmo. Mas o palpite é que naquele momento meio alucinado a paixão do jovem pelo mar tenha saído do estado de latência em que se encontrava desde os 13 anos. Quando garoto, Ernani comprara um barquinho de segunda mão para explorar a Baía de Guaratuba, onde a família tradicionalmente passava férias. Mas o barco não andava, só quebrava. Em vez de diminuir minha paixão pelo assunto, o negócio malfeito só a aumentou. Assim, o sonho foi se formando.

A atitude impulsiva não chegou a gerar traumas nem para ele nem para a família. Foi a largada do filho do médico famoso rumo à posição que ocupa hoje: a de um dos maiores empreendedores do ramo náutico no Brasil. A partir desse episódio, o curitibano Ernani Paciornik criou a Editora Grupo Um, que, além de já ter completado mais de 35 anos produzindo revistas segmentadas na área náutica, também promove o São Paulo Boat Show e Rio Boat Show, maior feira de negócios e novidades do ramo da América Latina.

Ligações externasEditar