Abrir menu principal

Núcleo Cunha-Indaiá

Rio Paraibuna passando pelo Parque Estadual da Serra do Mar
Núcleo Cunha-Indaiá

O Núcleo Cunha-Indaiá é uma das sedes do Parque Estadual da Serra do Mar. É uma reserva ambiental de cerca de 140 km², criada no ano de 1977 para proteger e preservar parte da Mata Atlântica ainda intacta, a biodiversidade local e monitorar propriedades com áreas verdes protegidas. Ocupa uma área total de 14.000 hectares e abrange as cidades de Cunha (que tem 71,5% da área do Núcleo) e Ubatuba (que tem 28,5% da área). A sede encontra-se a uma altitude de 1.040 metros, no alto da serra do Indaiá (uma fração da Serra do Mar), na cidade de Cunha.

AcessoEditar

Para chegar ao Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Cunha-Indaiá o motorista deve seguir pela Rodovia Vice-Prefeito Salvador Pacetti (SP-171) até o quilômetro 56,5 e entrar na Estrada do Paraibuna, e seguir pela estrada de terra por 20 quilômetros até o Parque. Funciona todos os dias, das 8 horas às 17 horas (Horário de Brasília).

TerritórioEditar

O Núcleo protege uma área que vai do alto da serra do Indaiá, até o pé da serra, em Ubatuba, onde, ao sudeste, limita-se com o Núcleo Picinguaba. Ao oeste limita-se com o Núcleo Santa Virgínia.

HectaresEditar

  • Cunha: 10.000 hectares (71,5% do Núcleo)
  • Ubatuba: 4.000 hectares (28,5% do Núcleo)
  • Total: 14.000 Hectares

GeografiaEditar

  • Área: 140 km²
  • Altitude: 1.040 metros
  • Amplitude Altitudinal: de 950 a 1.561 metros.
  • Relevo (Topografia): escarpas festonadas, morros paralelos tipicamente serrano e vertentes retilíneas.
  • Solo: latossolo vermelho amarelo.
  • Clima: subtropical úmido de altitude.
  • Temperatura Média: 16.8°C .

HidrografiaEditar

O Núcleo Cunha-Indaiá possui diversas cachoeiras espalhadas pelos seus rios e afluentes.

RelevoEditar

O relevo há formas irregulares por ser formado pela serra do Indaiá, que é uma fração da Serra do Mar. Onde aqui há morros altos onde, com bom tempo, há possibilidade de ver toda a serra do Indaiá rumo ao mar, em Ubatuba.

O embasamento rochoso é constituído preferencialmente por granitóides. A cobertura pedológica é pouco profunda estando classificada como latossolos vermelho-amarelo horto fase profunda e fase rasa.

EcossistemasEditar

Recoberto por uma floresta primária (floresta ombrófila densa montana) entremeada por manchas de floresta atlântica em regeneração.

FaunaEditar

O Núcleo apresenta uma fauna bem diversificada da mata atlântica. Grande parte dela está ameaçada de extinção, como por exemplo a onça-pintada, suçuarana (onça-parda) , jaguatirica, lontra, mono-carvoeiro, papagaio-do-peito-roxo, macuco, uru, jacu, jacutinga, sabiá-cica, bugio e anta. Estes animais podem ser encontrados dentro dos limites do Parque.

FloraEditar

Sobre uma região de relevo acidentado e vegetação primária e secundária de Mata Atlântica, o Núcleo preserva árvores de grande porte, com grande diversidade de famílias, incluindo representantes de Mirtáceas, Proteáceas, Melastomatáceas, Lauráceas e Magnoliáceas. Como exemplo da flora local, pelo Núcleo encontrá-se a seguintes espécies ameaçadas de extinção: pinheiro-brasileiro (araucária), canela preta, imbuia, diversos tipos de orquídeas e bromélias.

Principais ameaçasEditar

Extração ilegal de palmito e de vegetação (principalmente de plantas ornamentais como as orquídeas e as bromélias), caça, queimadas e impedimento à regeneração natural da vegetação nativa através do manejo de pastagens nas áreas particulares ainda inseridas no Núcleo. E, por fim, o desrespeito de Leis de preservação ambiental.

Educação ambientalEditar

Com a ajuda do turismo, o Núcleo, por meio de seus monitores e palestras incentivam a preservação ambiental, a importância dos ecossistemas para o mundo e a valorização da natureza.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar