NRP Bérrio (1993)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bérrio (desambiguação).

O NRP Bérrio é um navio de apoio logístico da Marinha Portuguesa.

NRP Bérrio
NRP Bérrio na Base Naval de Lisboa
   Bandeira da marinha que serviu Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda Janeiro 1968
Construção Estaleiros Swan Hunter em 18 de Janeiro de 1969
Lançamento 11 de Novembro de 1969
Patrono Caravela Bérrio
Período de serviço 15 de Julho de 1970
Estado Descomissionado (1 de Junho de 2020)
Características gerais
Deslocamento 11 522 ton
Comprimento 140,6 m
Boca 19,2 m
Calado 7,3 m
Propulsão 2 Motores Diesel SEMT com 15 360 cv
Velocidade 19 nós
Autonomia 15 000 milhas naúticas a 15 nós
Armamento 2 peças AA de 20 mm Oerlinkon
Sensores Radar de navegação KH 1006
Tripulação 71[1]

Foi adquirido ao Reino Unido onde integrava a Royal Fleet Auxiliary (RFA) com o nome de RFA Blue Rover, tendo sido aumentado ao efetivo dos navios da Marinha de Guerra Portuguesa em 31 de março de 1993.

Viu a sua construção iniciada nos estaleiros Swan Hunter em Hebburnon-Tyne, a 18 de janeiro de 1969 com o assentamento da Quilha. Foi lançado à água a 11 de novembro do mesmo ano, entrando ao serviço a 15 de julho de 1970. Foi alvo de várias ações de modernização, a última das quais em março de 1991.

A sua atividade operacional constante no apoio logístico aos navios da Royal Navy, levou a empenhamentos operacionais diversificados, sendo de realçar o conflito das Malvinas, em 1982, no Atlântico Sul, onde atuou nos teatros de operações das ilhas da Geórgia do Sul e São Carlos.

Integrou a força naval portuguesa, liderada pela fragata NRP Vasco da Gama, na intervenção realizada na Guiné-Bissau, durante a crise política e militar de 1998. Nessa operação, além de apoiar logisticamente os navios combatentes da força-naval, o Bérrio levou a bordo parte da força de desembarque do Corpo de Fuzileiros participante na operação.

O Bérrio possui uma capacidade de carga de 6 000 ton.

CronologiaEditar

  • A 1 de Setembro de 2016 foi noticiado que o ministério da defesa nacional estava a considerar a aquisição de um novo navio de apoio logístico para render o NRP Bérrio.[2]
  • No dia 28 de Janeiro de 2020, o Chefe de Estado Maior da Armada, Almirante Mendes Calado, anunciou que o Navio Reabastecedor Bérrio irá ser abatido no imediato, isto porque, após rigorosa inspeção verificou-se que o estado em que se encontrava era muito mais grave do que se pensava, conclui-se assim, que não seria económicamente viável a grande reparação que estava prevista, com o intuito de prolongar a sua vida útil por mais 10 anos, até que entra-se ao serviço da Marinha Portuguesa um novo Reabastecedor em 2027.[carece de fontes?]
  • A 1 de Junho de 2020 a Marinha Portuguesa descomissiona o NRP Berrio.[3]

Referências

  1. «O "BÉRRIO", UM NAVIO SINGULAR (II- Conclusão)». Operacional. 19 de Março de 2012. Consultado em 9 de Dezembro de 2013 
  2. «Portugal looks to procure new replenishment ship within wider naval modernisation programme». IHS Jane's 360. 1 de setembro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2016 
  3. Alexandre Galante (2 de junho de 2020). «Marinha Portuguesa desativa o navio de reabastecimento NRP Bérrio». Poder Naval - A informação naval comentada e discutida. Consultado em 2 de junho de 2020 

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar