Nathan Bailey

Nathan Bailey, ou Nathaniel (? — Londres, 27 de junho de 1742) foi um filólogo e lexicógrafo inglês. Foi o autor do "Dicionário Etimológico Universal" (1721), uma publicação muito popular naquele tempo, e um precursor de "Um Dicionário da Língua Inglesa" (1755) de Samuel Johnson.[1][2][3]

Nathan Bailey
Nascimento século XVII
Morte 27 de junho de 1742
Londres
Cidadania Reino da Grã-Bretanha
Ocupação lexicógrafo, linguista, tradutor, escritor

BiografiaEditar

Sobre a vida de Bailey quase nada se sabe além do fato de ter sido um batista do sétimo dia, admitido como membro em 6 de novembro de 1691 por uma congregação em Whitechapel, Londres. Mais tarde, manteve uma escola em Stepney, East End, onde morreu em 27 de junho de 1742.[1][2]

ObrasEditar

Bailey, juntamente com John Kersey, o Jovem, foi o pioneiro da lexicografia inglesa, e mudou o escopo dos dicionários de língua. Uma maior abrangência tornou-se a ambição comum. Até o início do século XVIII, os dicionários ingleses eram geralmente focados em "palavras difíceis" e em suas explicações, como por exemplo, os dicionários de Thomas Blount e Edward Phillips da geração anterior. Com uma mudança de preocupação, para incluir palavras mais comuns e que não fossem de interesse exclusivo dos estudiosos, o número de entradas nos dicionários ingleses aumentou espetacularmente.[4] As inovações foram nas áreas de palavras comuns, dialetos, termos técnicos e vulgaridades.[5] Thomas Chatterton, o falsificador literário, obteve também muitas palavras consideradas medievais com a leitura do dicionário Bailey e Kersey.[2]

An Universal Etymological English Dictionary de Bailey, publicado em 1721, tornou-se o mais popular dicionário em inglês do século XVIII, e teve quase trinta edições.[2] Foi o sucessor de A New English Dictionary de Kersey (1702), e inspirou-se nele. Um volume suplementar de seu dicionário surgiu em 1727, e em 1730 uma edição fólio, o Dictionarium Britannicum[6] contendo muitos termos técnicos.[2] Bailey teve colaboradores, como por exemplo John Martyn, que trabalhou em termos botânicos em 1725.[7]

Samuel Johnson fez uma cópia intercalada para a criação de seu próprio Dictionary of the English Language.[2] A edição de 1755 do dicionário de Bailey trazia também o nome de Joseph Nicol Scott; ela foi publicada anos depois da morte de Bailey, alguns meses depois do dicionário de Johnson ser lançado. Atualmente, geralmente conhecido como dicionário "Scott-Bailey" ou "Bailey-Scott", continha relativamente pequenas revisões feitas por Scott, mas era em grande parte plágio do trabalho de Johnson. O lexicógrafo do século XX, Philip Babcock Gove, atacou-o posteriormente por essas razões.[4] Ao todo, foram lançadas trinta edições do dicionário, a última em Glasgow, em 1802, em reimpressões e versões por diferentes livreiros.[2]

O dicionário de Bailey serviu também de base para os dicionários inglês-alemão. Estes incluíram os editados por Theodor Arnold (3ª edição, 1761), Anton Ernst Klausing (8.ª edição, 1792), e Johann Anton Fahrenkrüger (11.ª edição, 1810).[2]

Bailey também publicou uma cartilha em 1726; All the Familiar Colloquies of Erasmus Translated, 1733, da qual uma nova edição surgiu em 1878; The Antiquities of London and Westminster, 1726; Dictionarium Domesticum, 1736; Seleções de Ovídio e Fedro; e English and Latin Exercises. Em 1883 foi lançado English Dialect Words of the Eighteenth Century as shown in the... Dictionary of N. Bailey, com a introdução de William Axon (English Dialect Society), dando detalhes biográficos e bibliográficos.[2]

Notas

  1. a b Chisholm, Hugh;. «Bailey, Nathan». Encyclopædia Britannica (em inglês). 3 1911 ed. Cambridge: Cambridge University Press. p. 217 
  2. a b c d e f g h i Arthur Henry Bullen. «Bailey, Nathan». The Dictionary of National Biography (em inglês). 2 1885-1900 ed. Londres: Smith, Elder & Co. p. 409 
  3. Margaret Drabble (2000). The Oxford Companion to English Literature (em inglês). Oxford: Oxford University Press. p. 59. ISBN 0199504180 
  4. a b Jonathon Green (1997). Chasing the Sun: Dictionary-makers and the Dictionaries They Made. [S.l.]: Pimlico. pp. 226/235. ISBN 0712662162 
  5. Hancher, Michael;. «Bailey, Nathaniel». Oxford Dictionary of National Biography (em inglês). Oxford: Oxford University Press 
  6. 'Dictionarium Britannicum, escrito por várias mãos. A parte da matemática por G. Gordon, a botânica por P. Miller. O conjunto revisto e melhorado com muitas milhares de adições por N. Bailey.'
  7. George Simonds Boulger. «Martyn, John». The Dictionary of National Biography (em inglês). 36 1885-1900 ed. Londres: Smith, Elder & Co. pp. 317–319 

Referências

  • Jonathon Green, Chasing the Sun: Dictionary Makers and the Dictionaries They Made (1996)
  • Arthur Henry Bullen, "Bailey, Nathan". Dictionary of National Biography. Londres: Smith, Elder & Co. 1885–1900.

Ligações externasEditar