Língua ngoni

língua
(Redirecionado de Ngoni)

A Língua ngoni, também chamada de angoni ou kisutu[1] - é uma língua Bantu, da família Atlântico-Congolesa[1], originada a partir dos múltiplos idiomas dos povos Ngoni, descendentes dos povos Nguni, da África Meridional. Atualmente, possui cerca de 300 mil falantes[2], distribuídos em países como Malawi, Zâmbia, Moçambique e Tanzânia.

Ngoni
Outros nomes:Kisutu, Chingoni, Xingoni, Sutu, Angoni
Falado(a) em: Tanzânia, Malawi, Moçambique, Zâmbia
Total de falantes: Cerca de 300 mil
Família: Atlântico-Congolesa
 Volta-congolesa
  Benue-Congolesa
   Bantoide
    Bantoide Meridional
     Bantu
      Bantu Oriental
       Bantu da Savana Nordeste
        Manda-Ngoni
         Ngoni
          Ngoni
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: ngo

Situação AtualEditar

 
África Austral.

ClassificaçãoEditar

Pertence à família linguística Atlântico-Congolesa, mais especificamente do ramo Bantu.

Status OficialEditar

Segundo a Sociedade Internacional de Linguística, a língua Ngoni é classificada como descontinuada, ou vulnerável, existindo inclusive pesquisas que indicam uma assimilação da língua Swahili ao Ngoni, seja para suprir a inexistência de algumas palavras - surgidas com o advento de algumas tecnologias - no Angoni, como para substituir palavras existentes.[3]

Fonologia e AlfabetoEditar

A língua Ngoni não possui um sistema de escrita específico, sendo utilizado, para a ortografia da língua, a proposta de Heidrun Kröger.[4] O inventário fonético da língua é especificado como o indicado a seguir:

VOGAIS Anteriores Central Posteriores
fechadas i u
semi-fechadas e o
semi-abertas ε ɔ
abertas a
CONSOANTES Labial Alveolar Palatal Velar Glotal
Oclusivas p/b t/d k/g
Fricativas v ʃ~tʃ h
Nasais m n ɲ ŋ
Laterais r/l ʎ
Semi-vogais w j

Algumas combinações de grafemas devem ser destacadas por possuírem fonética diferente do português ou ausente nele, entre estes citamos:

ng’-  ng’ombe (vaca); como o n em gânglio [gɐ͂(ŋ)gliʊ]

ny- kumenya (bater), como nh em Português

j - kujomola (acabar), como “hia” em hiato

GramáticaEditar

SubstantivoEditar

Gêneros ou Classes Semânticas e Flexão de NúmeroEditar

É importante ressaltar que aos substantivo serão adicionados os prefixos nominais específicos, indicativos da classe a que pertence; no caso dos verbos, será adicionado um prefixo verbal, referente a classe nominal com a qual ele se relaciona.[5]

Classes Mu- e Va-Editar

Referem-se a seres humanos ou profissões, sendo mu- o indicativo nominal do singular (que varia como mw-, quando adicionado a radical vocálico). O prefixo nominal do plural varia entre va-, ka- e aka-.

Para o verbo, tanto no singular como no plural utiliza-se o prefixo a- (a indicação do número poderá ser feita pela repetição da raiz verbal).

Mundu ang’eng’ini mikongo               

A pessoa cortou árvores

Vandu ang’eng’ini mikongo

As pessoas cortaram árvores

Mwana ang’engini mikongo

A criança cortou árvores

Classes Mu- e Mi-Editar

Referem-se, em geral, a árvores. No singular, o prefixo nominal se expressa como mu- ou n-, no plural, utiliza-se mi-. Para essa classe, o prefixo verbal varia de acordo com o número, sendo u- para o singular e i- para o plural.

Nkongo ung’ eng’ enigwi

A árvore foi cortada

Mikongo ing’ eng’ enigwi

As árvores foram cortadas

Classes Li- e Ma-Editar

Utiliza-se prefixo li- no singular e ma- no plural, essa classe indica - principalmente - “enxada”, além de alguns animais. Os prefixos verbais também são expressos por li- no singular e ma- ou ga- no plural.

Ligwela  ligwili

A enxada caiu

Magwela gagwili

As enxadas cairam

Classes Xi- e Hi-Editar

Os prefixos nominais são xi- para singular e hi- no plural, denotam frutas, objetos e animais. Os verbais podem ser dados por xi- ou x- (para radical vocálico) ,no singular, e y- (para radical vocálico) ou hi- no plural.

Xindu xambone

Coisa boa (ser bom)

Hindu yambone

Coisas boas

Classes N-Editar

Não há distinção do prefixo nominal, a diferenciação verbal se dá por i- no plural e ji- no singular.

Mbui jiwili

O cabrito morreu

Mbui iwili

Os cabritos morreram

Classe PaEditar

Indica proximidade espacial ou temporal em relação ao substantivo, acrescenta-se o prefixo pa- ao prefixo nominal original da palavra.

Mi panani litalau likôlongwa

Estou em cima da rocha grande.

Classe KuEditar

Indica a direção ou a origem da ação expressa pelo verbo da oração. O prefixo ku- substitui o prefixo nominal original da palavra.

Nyenda kungonda ukôlong’wa

Vou à machamba grande

Classe Mu- ou N-Editar

Indica a ocorrência do evento dentro do objeto a que se refere o nome, o prefixo mu- pode ser adicionado ao original ou substituí-lo. Mu- varia como N-, caso o substantivo seja iniciado com um som nasal.

Mi nnyumba jikôlong’wa

Estou dentro da casa grande

Nomes derivados de verbosEditar

Para a nominalização do verbo, utiliza-se ku- para radicais iniciados por som consonantal, e kwa- para radicais iniciados por vogal. Para palavras derivadas de verbos com raízes iniciadas por k, g ou ng’, utiliza-se a variação u-.

Os nomes kuhalaligwa (felicidade) e ukota (pergunta), por exemplo, são derivados de verbos, respectivamente, kuhalala (ser bom) e ukota (perguntar).[5]

Relações de PosseEditar

São utilizados prefixos para indicar relação possessiva, eles concordarão em classe e número com o objeto possuído, sendo a seguinte relação:[5]

singular pessoa
jwangu meu/minha
jinu teu/tua
jaku dele/dela
plural pessoa
jitu nosso/nossa
jinu vosso/vossa
jau deles/delas

Os pronomes possessivos sofrem variações de acordo com a classe nominal dos objetos, de acordo com o indicado abaixo:

Classe Mu- (Pessoa) Classe Mu- (árvore) Classe Li- Classe Xi- Classe N- Pronome
jwangu wangu lyangu xangu jangu meu
winu winu linu xinu jnu teu
waku waku lyaku xaku jaku dele
witu witu litu xitu jitu nosso
winu winu linu xinu jinu vosso
wau wau lyau xau jau dele
vangu yangu gangu yangu yangu meus
vinu inu ginu hinu inu teus
vaku yaku gaku yaku yaku deles
vitu itu gitu hitu itu nossos
vinu inu ginu hinu inu vossos
vau yau gau yau yau deles

As relações de posse podem ser expressas, também, sem a utilização de pronomes, a partir da inserção de uma partícula de relação possessiva na frase - que cumprirá o papel atribuído, no português, às preposições - a qual varia de acordo com a classe nominal do primeiro nome, como exemplificado a seguir:

Classe Ngoni Português
MU (pessoa) mwana wa likoxi filho do régulo
VA vana va likoxi filhos do régulo
MU (árvore) nkongu wa likoxi árvore do régulo
MI mikongo ya likoxi árvores do régulo
LI ligela lya likoxi enxada do régulo
MA magela ga likoxi enxadas do régulo
XI xindu xa likoxi coisa do régulo
HI hindu ya likoxi coisas do régulo
N (singular) mbui ja likoxi cabrito do régulo
N (plural) mbui ya likoxi cabritos do régulo

VerboEditar

O verbo é composto pelas seguintes partes:[5]

Prefixo do sujeito (1ª parte)Editar

Identifica o autor da ação expressa, por meio da afixação do verbo de acordo com a pessoa verbal utilizada como sujeito.

Na primeira pessoa, o prefixo adicionado ao verbo, indicativo do sujeito, será n- para o singular e ti- para o plural. É importante ressaltar que algumas modificações no radical verbal podem se fazer necessárias, entre as quais podemos citar:

Vozeamento

Substitui-se a consoante não vozeada do radical verbal por uma consoante vozeada, segundo a seguinte associação:

Não-vozeadas Vozeadas
p b
t d
k g
x j

A título de exemplificação, cita-se o verbo “levar”, de raiz “tôla”. Na primeira pessoa do singular, o verbo é escrito como “ndôla”, devido ao fenômeno de vozeamento, o qual indica a troca do grafema t por d.

Nasalização

Substitui-se a consoante do radical verbal por uma consoante de som nasal, segundo a seguinte associação:

Original Nasais
v m
w m
l n
y ny
j ny
h ng’

Na segunda pessoa, não ocorrem fenômenos de vozeamento ou nasalização. O prefixo n- é utilizado para singular e plural.

Na terceira pessoa, o prefixo do sujeito é a- para singular e plural.

Marcação do Tempo (2ª parte)Editar

Indica o tempo no qual ocorre o evento expresso pelo verbo por intermédio da afixação do verbo. A diferenciação temporal ocorre em conjunto à definição do sujeito, apresentada anteriormente, sendo assim, o afixo temporal é adicionado sem substituir o afixo nominal (indicativo do sujeito), como exemplifica-se abaixo, em que o prefixo a- indica a terceira pessoa do singular.

Tempo verbal Afixo Exemplos
Pretérito simples -iti (sufixo) agegiti (ele levou)
Pretérito imperfeito aka- (prefixo) akagega (ele levava)
Presente Não há afixo temporal agega (ele leva/está a levar)
Futuro simples t- ou ti- (prefixo) + -e (sufixo) tagege (ele levará)
Gerúndio aka- (prefixo) akagega (levando)
Conjuntivo (presente) -e (sufixo) agege (que ele leve)
Conjuntivo perfeito aka- (prefixo) + -iti (sufixo) akagegiti (se ele tivesse levado)
Condicional taka- (prefixo) takagege (ele levaria)

Prefixo do objeto (3ª parte)Editar

Faz referência ao objeto que sofre a ação, sendo a afixação indicativa apenas de pessoas que sofrem a ação (classes Mu- e Va-).

Prefixo Categoria gramatical
n- (com vozeamento ou nasalização) me 1º pessoa do singular
n- te 2º pessoa do singular
n- lhe 3º pessoa do singular
ti- nos 1º pessoa do plural
n- vos 2º pessoa do plural
va- lhes 3º pessoa do plural

A diferenciação entre singular e plural também poderá se fazer a partir da reduplicação do radical verbal.

Ele te levará ----- tantole

Ele vos levará ---- tantoletole

Raíz verbal (4ª parte)Editar

Extensões verbais (5ª parte)Editar

As extensões verbais modificam o verbo ao qual são adicionadas, podendo ser adicionadas uma ou mais ao verbo. Seguem alguns exemplos:

verbo tradução sufixos nome da extensão
kuhemela comprar
kuhemeleha vender -eha causativa
kuhemelehigwa ser vendido -eh- -igwa passiva
kuhemeleleha vender para alguém -el- -eha aplicativa
kuhemeligwa ser comprado -igwa passiva

Vogal final (6ª parte)Editar

Dessa forma, os elementos verbais são escritos conjuntamente, podendo ser identificados segundo o exemplo:

NAKANXOMEHA

Eu lhe ensinava

N - Prefixo de sujeito (indicativo da primeira pessoa do singular)

AKA - Marcação de tempo (pretérito imperfeito)

N - Prefixo de objeto (lhe)

XOM - Radical

EH - Extensão verbal (causativa)

A - Vogal final

É válido citar, também, que os verbos podem ser modificados por advérbios, os quais denotam modo, tempo ou lugar, além disso, essa classe gramatical é composta por palavras invariáveis. Para falantes, é comum substituir alguns advérbios por nomes os quais exprimem a mesma ideia, como nomes locativos, como “nnyumba” (dentro da casa), no lugar de advérbios de local, como “pamba” (aqui) ou “panja nyumba” (no exterior da casa).[5]

AdjetivoEditar

No Ngoni, dá-se preferência a utilizar verbos para expressar características as quais, no português, seriam denotadas por adjetivos, sendo denominada essa formação “adjetivo verbal”. O adjetivo verbal é composto a partir do infinitivo do verbo precedido pela partícula de relação entre a característica que ele exprime e o sujeito.[5]

Exemplos:

Kuhalala ---- Ser bom/bonito

Kuxokolela ---- Ser o primeiro

Huhagamila ---- Estar cansado

Kuvina ---- Estar doente

O adjetivo nominal, por sua vez, segue a concordância determinada pelo sujeito que caracteriza, tendo, em muitos casos, o mesmo afixo que a classe do sujeito a que se refere.[5]

Classe Exemplo: xixokoxoko (pequeno) Prefixo
MU (pessoa) mundu nxokoxoko pessoa pequena N-
VA vandu vaxokovaxoko pessoas pequenas VA-
MU (árvore) nkongo uxokoxoko árvore pequena U-
MI mikongo ixokoixoko árvores pequenas I-
LI lijoka lixokoxoko cobra pequena LI-
MA majoka maxokomaxoko cobras pequenas MA-
XI xindu xixokoxoko coisa pequena XI-
HI hindu hixokohixoko coisas pequenas HI-
N (singular) mbui jixokoxoko cabrito pequeno JI-
N (plural) mbui ixokoixoko cabritos pequenos I-

VocabulárioEditar

Pronomes e Expressões de tempoEditar

Tempo Pronomes
Juma moxi Sábado ne, nenga eu
Juma pili Domingo mwenga tu
Juma tatu Segunda jônojo, jôno’ ele/ela
Juma nne Terça twenga, twe nós
Juma tanu Quarta (mangôta) mwenga vocês
Alahamixi Quinta (angôta) vênava eles/elas
Hijuma Sexta
Kalakala Passado
Kilu Noite
Lêleno Hoje
Ligulu Tarde
Lixu Ontem
Mwska Ano
Mwehi Mês
Wiki/ximana Semana

[6]

Texto na Língua NgoniEditar

Lyôva ni mbôngo ngahimingana [4][5]

 
Pessoas da etnia Ngoni durante cerimônia tradicional.

Linjôva limu, lyôva ni mbôngo ngahimingana.

Vavênava axokolela kunyokonyana kaxinyene mwene jukulimba muni.

Nga hênu-hênu ahika munalôme jumu jwakalihinikila likoti.

Vavêna’ nga pakubaliana apala kuve’ mwene jumakili muni jwapala kuwoha likoti lya munalôme jônojo.

Jandanda kuhika mbôngo kupôga ni makili gaku goha.

Pajihandamuka kupôga, munalôme atela’ ukwendelela kulivilingi’ mulikoti lyaku.

Hênu nga lihika lyôva, ni lixokola ung’ala ni makili muni.

Ukati uxopoki, munalôme ahunukwi’ likoti.

Paupêtite kavêna ukati, ahula likoti.

Hêno mbôngo nga jikubilaye kutenda lyôva lina makili muni kuliku jôno’.


O sol e o vento norte

Um dia, o sol e o vento norte encontraram-se.

Os dois começaram a discutir entre si quem era o mais forte.

Logo veio um homem embrulhado num manto.

Os dois concordaram que seria o mais forte quem conseguisse tirar o casaco daquele homem.

Primeiro veio o vento norte e soprou com toda força.

Mas quanto mais soprou, tanto mais o homem se embrulhou no seu manto.

A seguir veio o sol, e começou a brilhar com muita força.

Depois de pouco tempo, o homem abriu o manto.

Passado mais algum tempo, tirou o manto.

Assim o vento norte teve que admitir que o sol era mais forte do que ele.

Nas olimpíadas linguísticasEditar

Em 2020, a língua ngoni foi tema de uma questão na Fase 1B da 10ª edição da Olimpíada Brasileira de Linguística.

Referências

  1. a b «Glottolog 4.4 - Tanzania-Mozambique Ngoni». glottolog.org. Consultado em 24 de maio de 2021 
  2. http://www.multitree.org/codes/ngo.html  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. Rosendal, Tove. «Is the Tanzanian Ngoni language threatened? A survey of lexical borrowing from Swahili.». Taylor & Francis Online. Journal of Multilingual and Multicultural Development 
  4. a b Kröger, Heidrun (2016). Proposta da ortografia da Língua Xingoni. Moçambique: SIL Moçambique 
  5. a b c d e f g h Algumas notas gramaticais sobre Xingoni. Moçambique: SIL Moçambique. 2008. pp. 5–8 
  6. Kröger, Maulana, Heidrun, João (2016). Vocabulário Trilíngue Xingoni – Português – Inglês. Moçambique: Sociedade Internacional de Linguística