Nişantaşı

Nişantaşı é um bairro (semt) da parte europeia de Istambul, Turquia, que faz parte do distrito de Şişli. Dele fazem parte bairros menores (mahalle) como Teşvikiye, Osmanbey, Maçka e Pangaltı. É uma zona residencial elegante, com muitas lojas de marcas internacionais, cafés, bares e restaurantes muito populares, com intensa vida noturna. Uma das suas avenidas, a Abdi İpekçi, que se estende desde Maçka e Teşvikiye até ao centro de Nişantaşı, é usualmente apontada como a a mais cara da Turquia em termos de preços de rendas.

Turquia Nişantaşı 
  Bairro (semt ou mahallele)  
Decorações de Natal em Nişantaşı em 2010
Decorações de Natal em Nişantaşı em 2010
Localização
Nişantaşı está localizado em: Istambul
Nişantaşı
Localização de Nişantaşı em Istambul
Coordenadas 41° 3' 6" N 28° 59' 29" E
País Turquia
Cidade Istambul
Distrito Şişli
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Nişantaşı

É um bairro onde vivem muitas figuras do jet set da Turquia e muitos artistas e intelectuais de vulto, como por exemplo o Nobel de Literatura Orhan Pamuk (Nişantaşı é cenário de muitas partes de alguns dos seus romances).

HistóriaEditar

Nişantaşı foi fundada pelo sultão Abdul Mejide I em meados do século XIX, que para definir os limites do bairro mandou erigir dois obeliscos em cada uma das suas extremidades. Para encorajar os cidadãos de Istambul a instalarem-se no novo bairro, mandou construir o edifício neoclássico da esquadra de polícia e a mesquita neobarroca de Teşvikiye ("teşvikiye" significa "encorajamento" em turco).

A tradução literal de "nişantaşı" é "alvo de pedra", uma referência ao uso da área antes de se decidir criar o bairro: era ali que os soldados otomanos praticavam tiro ao alvo disparando contra pedras. Algumas dessas pedras, com a forma de pequenos obelicos e com inscrições otomanas, ainda podem ser encontradas nos pavimentos de Nişantaşı.

A seguir às Guerras dos Balcãs de 1912-1913, muitos turcos de Salónica estabeleceram-se em Nişantaşı. Uma dessas famílias foi a do famoso poeta turco Nazım Hikmet. Além dos turcos, o bairro tinha então muitos gregos, arménios e levantinos (europeus ocidentais estabelecidos na Turquia em alguns casos desde a Idade Média).

Um dos edifícios históricos do bairro, atualmente uma escola secundária técnica, foi construído por italianos durante a ocupação de Istambul a seguir à Primeira Guerra Mundial.

NotasEditar