Nilo de Constantinopla

Nilo de Constantinopla, dito Querameu (em grego: Νείλος Κεραμεύς; romaniz.: Kerameus), foi o patriarca grego ortodoxo de Constantinopla entre 1379 e 1388.

Vida e obrasEditar

Nilo Kerameus foi eleito patriarca em 1379 depois da deposição de seu antecessor, Macário. Ele teve que servir de mediador no conflito entre João V Paleólogo e seu filho rebelde Andrônico IV Paleólogo num contexto dramático: os turcos otomanos terminaram a conquista total da Anatólia (exceto o Ponto) e iniciaram a conquista dos Balcãs, reduzindo o Império Bizantino à região de Constantinopla e redondezas, Tessalônica e Calcídica, Tessália, um punhado de ilhas no Egeu e o Despotado de Moreia.

Ele é conhecido por suas posições anti-romanas e a favor das teses de Gregório Palamas na controvérsia hesicasta. Entre 1380 e 1382, Nilo reconheceu o direito do imperador bizantino João V de interferir em assuntos eclesiásticos, principalmente da escolha do patriarca. Esta decisão foi posteriormente ratificada por um sínodo patriarcal.[1]

Nilo faleceu em 1 de fevereiro de 1388[2] e foi sucedido por Antônio IV de Constantinopla.

Ver tambémEditar

Nilo de Constantinopla
(1379 - 1388)
Precedido por:  

Patriarcas grego ortodoxos de Constantinopla

Sucedido por:
Macário I 150.º Antônio IV

Referências

  1. Ivan Djuric, Le crépuscule de Byzance, Maisonneuve et Laroche, Paris, 1996 ISBN 2706810971, p. 329 note n° 2.
  2. Venance Grumel, Traité d'études byzantines, « La Chronologie I », Presses universitaires de France, Paris, 1958, p. 437.

Ligações externasEditar