Abrir menu principal
Nilson Fanini
Nome completo Nilson do Amaral Fanini
Nascimento 18 de março de 1932
Paranaguá, PR, Brasil
Morte 18 de setembro de 2009 (77 anos)
Dallas, TX, Estados Unidos
Nacionalidade brasileiro
Ocupação pastor batista, teólogo, escritor e empresário

Nilson do Amaral Fanini, mais conhecido como Nilson Fanini (Paranaguá, PR, Brasil, 18 de março de 1932Dallas, TX, EUA, 18 de setembro de 2009) foi um pastor batista, teólogo, escritor e empresário brasileiro.

Foi pastor durante 41 anos da Primeira Igreja Batista de Niterói (PIBN) e era uns dos líderes evangélicos brasileiros mais influente dos últimos 25 anos do século XX e foi proprietário da TV Rio.

BiografiaEditar

Nilson do Amaral Fanini nasceu em Paranaguá, Paraná em 18 de março de 1932, filho dos imigrantes italianos Olympio Fanini e Cecy do Amaral Fanini. Iniciou oficialmente sua carreira religiosa na década de 1950, ao formar-se bacharel no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil em 1955. Foi consagrado pastor na Igreja Batista de Itacuruçá, Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, pastoreada pelo Pr. Oswaldo Ronis, em 24 de novembro de 1955, e foi pastor itinerante no norte do estado do Paraná por um período. Nos Estados Unidos da América fez em 1958 o mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, estado do Texas.

Casou-se com Helga Kepler em 1958, e com ela teve os filhos Otto, Roberto e Margareth, que residem nos EUA. Além da carreira teológica era bacharel em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal Fluminense (1969), e cursou a Escola Superior de Guerra em 1981.

PIBNEditar

Pastoreou a Primeira Igreja Batista de Vitória até 1964, ano em que assumiu a Primeira Igreja Batista de Niterói (PIBN), sucedendo Manoel Avelino de Souza. Foi presidente e pastor titular dessa igreja por 41 anos. Neste período foi reitor do Seminário Teológico Bastista de Niterói (adjacente à sede da igreja), e também fundou a organização assistencial Reencontro Obras Sociais e Educacionais, da qual foi presidente por 35 anos. Apresentava um programa chamado Reencontro que é exibido em 146 emissoras de TV do Brasil e 10 nos EUA.

Sua administração foi marcada pelo crescimento da PIBN, que conforme contagem de 2005 possuía mais de 8 mil (este número seria reduzido a 2 mil após recadastramento posterior). Tornou-se referência no meio cristão, e tinha bom trânsito no meio político (teve audiências com todos os presidentes brasileiros desde Geisel) e tinha passaporte diplomático emitido por Fernando Henrique Cardoso. Sob sua direção a PIBN apresentou um grande destaque no meio evangélico brasileiro, chegando a contagem de 7 mil membros no início do século XXI (entretanto após recadastramento este número diminuiu para cerca de 2000 pessoas). Durante este período Fanini presidiria por 12 vezes[1] a Convenção Batista Brasileira, e finalmente presidiu a Aliança Batista Mundial por cinco anos, de 1995 até 2000. Após o fim de seu mandato ingressou no conselho da organização.[1]

De 1987 até 1992, foi proprietário da TV Rio, até a compra dessa pela recém-irnaugurada Rede Record, a primeira concessão à entidade religiosa no país.

Foi homenageado com os títulos de Cidadão Niteroiense (1971), Cidadão Fluminense (1973), Cidadão Emérito do Estado do Rio de Janeiro (conferido pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro em 1977), Cidadão Vitoriense (Câmara Municipal de Vitória - Novembro de 1994), e Cidadão do Estado do Rio de Janeiro (1994), dentre outras homenagens.

Entretanto sua posição foi severamente enfraquecida em 2004, apos uma reportagem da revista evangélica Eclésia denunciar o desaparecimento de 1,6 milhões de dólares destinados a construção da nova sede da igreja.[2] Uma crise interna se instaurou na igreja, com um comissão sendo designada para investigar o caso. Segundo as investigações da própria igreja, o dinheiro teria sido depositado sem o conhecimento da tesouraria na conta de intermediadores que negociariam um suposto empréstimo internacional para viabilizar a construção da Catedral no Caminho Niemeyer. Os intermediarios, entretanto, revelaram-se golpistas que desapareceram com o dinheiro.

As investigações internas acabaram por revelar outras irregularidades da administração de Fanini, e o caso acabou sendo levado para a Justiça.

Embora tanto a Justiça quanto a própria igreja tenham inocentado Fanini das acusações de má-fé e desvio de dinheiro, sua posição na igreja foi severamente enfraquecida. Embora seu afastamento tenha sido descartado em uma assembléia geral da própria igreja, ele perdeu apoio tanto da administração quanto de antigos aliados.[3] Citando problemas de saúde, em 8 de março de 2005 Fanini anunciou sua aposentadoria.[4] Mesmo sem a conlusão do processo judicial, a igreja em assembleia votou por suspender todos os benefícios pleiteados pelo pastor (uma aposentadoria vitalícia de R$ 15 mil reais, equivalente à seu salário até então, plano de saúde e seguro de vida).[2]

Igreja Batista Memorial de NiteróiEditar

Apesar da aposentadoria anunciada, Fanini decidiu voltar à ativa no início de 2006 com a Igreja Batista Memorial de Niterói. Inicialmente funcionando na sede do Reencontro, a igreja logo cresceu, graças em parte à membros egressos da PIBN que discordaram de como o caso foi tratado pela PIBN. Exerceu a função de pastor titular da igreja até setembro de 2009.

MorteEditar

Após chegar aos EUA em 11 de setembro de 2009 para visitar a família e conhecer a neta mais nova Natali, Fanini sentiu-se mal e foi hospitalizado. No dia 12 foi diagnosticada pneumonia no Hospital Metodista de Bedford, Dallas, Texas.[5] No dia 16 de setembro sofreu um forte AVC, que afetou várias partes de seu cérebro, entrando em coma logo em seguida.[6][7] Segundo o blog da Igreja Batista Memorial,[8] ele teve morte cerebral confirmada no dia 18. Após a família decidir por desligar os aparelhos por falta de condições financeiras,[9] teve a morte oficialmente declarada no dia 19, às 6:46[10] (horário de Brasília). Seu corpo foi cremado nos EUA, e suas cinzas foram trazidas ao Brasil para homenagens póstumas.

PublicaçõesEditar

  • The Inspiration of the Bible According with last Papal's Documents - 1958
  • As Duas Coordenadas, Niterói, 1970
  • Dez passos para uma vida melhor, Niterói, 1977
  • A fonte da felicidade, Niterói, 1981
  • Deus salve a família, Niterói, 1982
  • Grandes Sermões - Hoje é Dia de Boas Novas, Niterói, 1994 – também em espanhol pela Casa Batista de Publicações
  • Grandes Sermões - A Família, Obra das Mãos de Deus - Niterói, 1995
  • Grandes Sermões - O Aviso de Deus

Referências

  1. a b «PIBN:: Primeira Igreja Batista de Niterói». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  2. a b «Eclésia - A revista evangélica do Brasil». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  3. «Eclésia - A revista evangélica do Brasil». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  4. «PIB Niterói». www.pibn.org.br 
  5. «Morre aos 77 anos no Texas o pastor Fanini - Gilson Monteiro: O Globo». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  6. «Notícia n'O Globo». globo.com 
  7. «Morre o Pastor Fanini - Ancelmo Gois: O Globo». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  8. «....Igreja Batista Memorial em Niterói». ibmemorial.blogspot.com 
  9. «Após eutanásia passiva, morre o Pastor Nilson Fanini, ex-presidente da Aliança Batista Mundial». Consultado em 9 de Novembro de 2009  Texto " Notícias Gospel" ignorado (ajuda)
  10. «Portal Batista - Família confirma homenagens póstumas ao pastor Fanini». Consultado em 9 de Novembro de 2009 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.