Abrir menu principal
Noémia de Sousa
Nome completo Carolina Noémia Abranches de Sousa Soares
Nascimento 20 de setembro de 1926
Maputo, Moçambique
Morte 4 de dezembro de 2002 (76 anos)
Cascais, Portugal
Nacionalidade Moçambique Moçambicana
Ocupação Poetisa, tradutora, jornalista e militante política
Magnum opus Msaho (1952)

Carolina Noémia Abranches de Sousa Soares (Catembe, 1926Cascais, 4 de Dezembro de 2002) foi uma poetisa, tradutora, jornalista e militante política moçambicana. É considerada a “mãe dos poetas moçambicanos”.[1]

BiografiaEditar

Filha de Clara Bruheim, de uma família de comerciantes com origens germânicas, moçambicanas e goesas.

Noémia de Sousa estudou no Brasil e começou a publicar no jornal O Brado Africano.

Na década de 1940 viveu numa casa de madeira e zinco no bairro da Mafalala, em Maputo. Ali escreveu poemas que se tornariam símbolos nacionalistas africanos como "Deixa passar o meu povo". Só saiu do bairro por motivos políticos, em 1949[2].

Entre 1951 e 1964 viveu em Lisboa, onde trabalhou como tradutora, mas, em consequência da sua posição política de oposição ao Estado Novo teve de exilar-se em Paris, onde trabalhou no consulado de Marrocos. Começa nesta altura a adoptar o pseudónimo de Vera Micaia.

A sua obra está dispersa por muitos jornais e revistas. Colaborou em publicações como Mensagem (CEI), Mensagem (Luanda), Itinerário, Notícias do Bloqueio (Porto, 1959), O Brado Africano, Moçambique 58; Vértice (Coimbra), Sul ((Brasil).

Poeta, jornalista de agências de notícias internacionais, viajou por toda a África durante as lutas pela independência de vários países.

Em 1975 regressou a Lisboa, onde trabalhou na Agência Noticiosa Portuguesa.

Em 2001, a Associação dos Escritores Moçambicanos publicou o livro Sangue Negro, que reúne a poesia de Noémia de Sousa escrita entre 1949 e 1951.

A sua poesia está representada na antologia de poesia moçambicana Nunca mais é Sábado, organizada por Nelson Saúte[3]

ObrasEditar

Notas

  1. Esteves, João; Castro, Zília Osório de (2013). Feminae, Dicionário Contemporâneo. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género. ISBN 978-972-597-372-1 
  2. Ribeiro, Margarida & Rossa, Walter (2016). Mafalala: memórias e espaços de um lugar, Imprensa da Universidade de Coimbra.
  3. Lisboa, Publicações D. Quixote. ISBN 972-20-2398-5.

Ligações externasEditar

Texto de Carla Maria Ferreira Sousa publicado na revista África e Africanidades
Texto de Jurema José de Oliveira publicado na Revista Electrônica do Instituto de Humanidades da Universidade do Grande Rio

Texto de Jacqueline Britto Sant´anna publicado na Revista Kalíope (PUC-SP)