Abrir menu principal

O Profeta Armado - Trotsky 1879-1921 é a primeira parte da biografia em três tomos, publicada na Inglaterra entre 1954 e 1963 durante o processo de desestalinização da URSS. Os dois volumes que completam o relato sobre Trotski são O Profeta Desarmado, que cobre o período de 1921 a 1929 e O Profeta Banido, que aborda a fase final da vida de Trotski, entre 1929 e 1940.[1]

Trata-se da biografia de Leon Trotski (1879-1940) escrita pelo polonês Isaac Deutscher (1907-1967).[nota 1] A obra teve forte repercussão nos anos 1960 e narra eventos marcantes do século XX. Deutscher relata a trajetória do líder revolucionário russo e conta fatos determinantes de sua vida, como a adesão ao socialismo marxista, o encontro com Lenin em 1902 e as divergências entre ambos, o levante de 1905, a Revolução Russa de 1917 e os primeiros anos de consolidação do poder soviético.[nota 2]

ContrapontoEditar

Embora a obra de Deutscher possua extensa documentação, alguns especialistas reprovam o seu trabalho alegando "imprecisões factuais" e uma apreciação política de Trotski fundada em posições próprias. [nota 3] Deutscher alinha Trotski à sua particular visão sobre o trotskismo, ligada à sua crença na "capacidade da burocracia stalinista em reformar a si mesma, como se Stalin e o sistema que engendrou não fossem os responsáveis pelo banimento e pelo assassinato de Trotski." Nessa linha, Pierre Broué, historiador francês, contrapõe o trabalho de Deutscher. Considerado um dos mais sérios estudiosos do trotskismo, Broué, além de entrevistar contemporâneos do líder revolucionário, teve acesso a fontes não consultadas por Deutscher, como os arquivos de seu filho Leon Sedov, que resultou na publicação de "Trotski" (Paris, Fayard, 1988).[1]

Referências

  1. a b Revista História Viva, edição 22, pg. 17. Editora Duetto. São Paulo (2005).

Notas

  1. O profeta armado - Trotsky 1879-1921 ganhou uma versão brasileira em 1968, em plena ditadura militar. Esgotada durante muitos anos, foi reeditado pela Editora Civilização Brasileira (2005).
  2. O relato ultrapassa a trajetória biográfica de Trotski, quando a articula com momentos e movimentos da história contemporânea.
  3. Deutscher foi membro da seção polonesa do movimento trotskista, do qual se afastou por discordar da decisão de Trotski em fundar a IV Internacional, em 1938.

Ver tambémEditar

Ligação externaEditar

  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.