Orrorin tugenensis


Como ler uma infocaixa de taxonomiaOrronin
Ocorrência: 6.2–5.8 Ma
A ilustração dos fósseis de Orrorin tugenensis
A ilustração dos fósseis de Orrorin tugenensis

A Falange distal do polegar.
Estado de conservação
Extinta
Extinta
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Família: Hominidae
Subfamília: Homininae
Género: Orrorin
Espécie: O. tugenensis
Nome binomial
Orrorin tugenensis
( Senut et al. , 2001)
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Orrorin tugenensis

O Orrorin tugenensis é a única espécie de hominídeo do gênero Orrorin descoberta até o momento. O gênero Orrorin assim como boa parte dos gêneros de hominídeo encontra-se extinto. O nome foi dado pelos descobridores que encontraram os fósseis do animal na região de Tugen Hills no Quênia. São datados de, aproximadamente, 6 milhões de anos (Mioceno). Os fósseis encontrados até agora são de, no mínimo, 5 indivíduos. Eles incluem um fêmur, sugerindo que o Orrorin andava de forma ereta; um úmero direito, sugerindo habilidades de escalador, mas não de braquiação; e dentes que sugerem uma dieta parecida com a dos humanos modernos. Os molares maiores e os pequenos caninos sugerem que o Orrorin comia principalmente frutas, vegetais e, ocasionalmente, carne. Essa espécie tinha, aproximadamente, o mesmo tamanho que o chimpanzé.

O grupo que encontrou esses fósseis em 2000 foi liderado por Martin Pickford. O qual diz que o Orrorin é claramente um hominídeo; baseado nisso, ele data a separação entre hominídeos e outros grandes macacos africanos para aproximadamente 7 milhões de anos atrás. Essa data é muito diferente daquelas derivadas do uso do enfoque do relógio molecular. Entretanto, hoje sabe-se que este encontra-se classificado na tribo Hominini junto de outros gêneros extintos e de chimpanzés, bonobos e do Homo sapiens. Estando distante de Gorilas e Orangotangos. Estando mais relacionado aos humanos do que aos chimpanzés e bonobos.

Outros fósseis encontrados nessas rochas mostram que o Orrorin viveu em um ambiente arbóreo, mas não na savana como dito por muitas teorias sobre evolução humana e, em particular, sobre as origens do bipedalismo.

Se o Orrorin foi um ancestral do homem moderno, o Australopithecus afarensis estaria em um dos lados do ramo da família dos hominídeos: o Orrorin é mais antigo, tem por volta de 6,2 - 5,8 milhões de anos, enquanto o Australopithecus afarensis tem por volta de 3,8 - 2,7 milhões de anos.

BibliografiaEditar

  • B. Senut, M. Pickford, D. Gommery, P. Mein, K. Cheboi, and Y. Coppens, "First hominid from the Miocene (Lukeino Formation, Kenya)". Comptes Rendus de l'Académie de Sciences, vol. 332, pp. 137–144, 2001.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Primatas pré-históricos, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.