Abrir menu principal
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Os Atuais
Informação geral
Origem Tucunduva, RS
País  Brasil
Gênero(s) country
pop
Gravadora(s) Independente (1971-1974)
Chantecler (1975-1978)
Isaec (1979)
Discos Copacabana (1980-1991)
RGE (1992-1996)
Acit (1997-2002)
USA Discos (2003-2005)
Vertical (2006-2008)
Fonomídia (2009-presente)
Integrantes Pino, Paulinho Dill, Cristiano, Ivair, Rodrigo, Micael, Gerson e Guilherme[1]
Ex-integrantes Ivar David Costa
Armindo Burkhard
Delvino Rigotti
Eloi Hentz
Erno
Ivo
Adolar
Costinha
Darci
Jair
Santino Oliveira Ferreira
Joãozinho
Mikika Amaral
Neco Martens
Marconi
Jorge
Nilo Da Costa Moura
Maninho
Batista
Sidinei Sacon
Sidnei Rufino Da Costa
Jean da Silva
Aczel Guebauer
Jeferson
Reny de Oliveira
Diego
Página oficial www.osatuais.com.br

O grupo Os Atuais é um conjunto musical brasileiro de Tucunduva, no estado do Rio Grande do Sul. Formado em 1968, são conhecidos como "Os Reis do Baile".[2] Seu criador Ivar David Costa, além de compositor, está a frente do grupo como diretor geral e tocou no conjunto por mais de 33 anos.[1] Com quatro discos de ouro na bagagem e a marca de mais de 1.650.000 cópias vendidas, possui inúmeros sucessos nesta carreira de de 50 anos de história.[3]

Já gravaram músicas com artistas como Tinoco, As Marcianas e Carmem Silva, têm composições regravadas por Rick e Renner.[2] E atualmente, o grupo é formado por Acilino Alves da Silva(Pino) (vocal), o membro mais antigo, Paulo Henrique Dill Gonçalves (Paulinho Dill) (voz solo e violão), Cristiano (guitarra e vocal), Ivair (contrabaixo e vocal), Rodrigo (teclados e vocal), Micael (trompete e saxofone), Gerson (trompete, trombone e vocal) e Guilherme (bateria,percussão e vocal).[1]

Índice

HistóriaEditar

A carreira discográfica somente se iniciou em 1971 com a gravação do LP independente batizado como "Os Atuais - Vol. 1". Depois não pararam mais de gravar, lançando em média um disco por ano. Lançaram ainda independentes mais três discos, sempre tentando um contrato com uma gravadora, aliás em uma destas ocasiões quando recebidos pela extinta gravadora Beverly foram "tachados" como "uma salada de frutas", pois, na visão dos produtores que ouviram o disco, o conjunto não possuía um estilo definido e não daria certo.

Em 1975, a sorte mudou quando um representante regional da Chantecler, procurou o grupo e propôs um contrato, assim por esta companhia gravaram os discos "Tarde de Domingo"(75), seguindo em 76 o disco "Volume 2" [nota 1], depois veio "Magia do Amor" (77) e " Cada vez mais Atuais" de (78).

Em 1979 Leonardo (ex-membro do conjunto "Os Três Xirus"), os convidou para integrarem o cast de uma nova gravadora, a ISAEC de Porto Alegre, produzindo o disco "Os Atuais - Eu Voltei… Vol. 9", nasce o primeiro grande sucesso, "Morena de 15 Anos", fazendo aumentar ainda mais a popularidade d'Os Atuais, porém a gravadora Isaec não resistiu e em pouquíssimo tempo findou seus trabalhos trazendo um momento um tanto estranho deixando o conjunto sem gravadora, por intermédio então de Bruno Neher (membro do conjunto "Os Três Xirus") e Milton Flores (representante regional da gravadora Copacabana) acertam um contrato inicialmente de 4 anos pela Discos Copacabana. De cara a nova gravadora comprou os tapes originais do disco "Eu Voltei...Vol.9", porém só relançou em seu selo em 1983 mantendo as mesmas capas, pequenas mudanças na fonte dos caracteres de capa e contra-capa.

De nova casa é lançado o disco "Toda Vez que Chove" abrindo a década de 80, seguido pelos discos "A Garota do Baile" e "Dia de Festa" de 81 e 82, todos com boas vendagens. Com repertório pronto para a gravação do LP “Barco do Amor”, Ivar foi abordado por nada mais, nada menos, que um dos diretores da gravadora Continental (que em 1978 fundiu-se com a Chantecler), este, após uma conversa propôs que ao término do contrato atual (com a Copacabana) o procurasse pois havia grande interesse em trazê-los para seu elenco, isso logicamente com uma ótima proposta, expondo inclusive valores que a Continental poderia oferecer. Ivar ficou mexido e levou a conversa até os demais membros do conjunto, todos ficaram entusiasmados, sentiram que não poderiam perder a oportunidade oferecida, foram então conversar com o Milton Flores e pedir a gentil liberação do contrato atual, esse após ouvir os argumentos de Reny e Ivar telefonou imediatamente ao Sr Rosvaldo Cury, que pediu que eles fossem a São Paulo na sede da empresa para conversar, ambos concordaram e partiram na primeira oportunidade para um encontro com os Sr’s Rosvaldo e Adiel Macedo de Carvalho (Vice Presidente da Copacabana). Lá após muito tempo de conversa ouve uma contra-proposta com muitas vantagens para Os Atuais que também renderia um novo contrato de 5 anos; entre as novas vantagens, o grupo teria maior exposição junto a mídia, como tv's e rádios de grande alcance no Brasil. Satisfeitos com essa nova proposta assinaram novo contrato (anulando o anterior já firmado) retornam à Tucunduva e, dias depois voltam a São Paulo para então gravar o novo disco, assim em 1983 chega as lojas "Barco do Amor" com excelente repertório trouxe a notoriedade que faltava ao grupo, e mais, conquistam o sonhado Disco de Ouro, com vendas superando a casa dás 200.000 cópias, sem dúvida um dos melhores momentos da carreira do conjunto. A entrega oficial do Prêmio ocorreu no programa de TV, Clube do Bolinha recebido das mãos de seu apresentador.

Já em 1984 é lançado o LP "Fim de Semana" superando a marca de 80 mil cópias, curiosamente outros artístas renomados regravaram músicas deste disco, vale destacar a faixa “Meu Xodó” foi gravada por Sandro Becker em seu disco de número 6, Sandro vendeu com esse disco mais de 1 milhão de cópias, outro grande nome da música brasileira Márcia Ferreira ("A Rainha da Lambada" gravou em 1986 "Fim de Semana", esse álbum também foi disco de ouro, anos mais tarde a dupla Rick & Renner regravou "Fim de Semana" superando a marca de 1 milhão de cópias...curiosidades do sucesso.

Em 1985, é lançado o disco "Quero Bis", já com Mikika do Amaral no lugar de João Fernandes (Joãozinho) que deixou o conjunto em 84, também após o lançamento deste disco Reny de Oliveira parte em carreira solo e posteriormente forma outro conjunto, o grupo Hello. Já com Jorge no lugar de Reny é lançado em 86 o LP "Lindo demais pra Esquecer", disco com excelente vendagem, com grandes destaques, especialmente a música “Beijinhos daqui e dali”, esta rendeu uma apresentação no programa Xou da Xuxa da TV Globo.

Com a grande exposição que o grupo vinha tendo, o resultado não poderia ser outro, o álbum "Mexe Comigo" de 87, rendeu o segundo Disco de Ouro, destaques para “Eu Quero é Namorar”, “Qualquer Dia”, “Mexe Comigo”. Em 1988 a gravadora Copacabana iniciou uma fase muito ruim, mesmo tendo praticamente as maiores estrelas de gênero popular/sertanejo em seu elenco, com isso entrega a produção de seus discos para a CBS, nesse período lançam os álbuns "Pensando Nela", de 88 e "Velho Vaqueiro", de 90, ainda em 90 temos a saída de Mikika e entrada de Neco Martens. A partir de 91 a CBS passa a se chamar Sony Music Entertainment, ainda administrando o selo Copacabana, lança o disco "Os Atuais" ou também conhecido pelo público como “Bambina”, este foi o último LP em parceria com o selo Copacabana, curiosamente este é o primeiro trabalho do grupo no formato CD.

Nessa época a gravadora RGE contratou vários artistas que estavam de saída da Copacabana, entre eles Os Atuais, essa parceria rende quatro discos, o primeiro de 92 o LP/CD, "Locutor Apaixonado", com divulgação pela RBS discos (selo do grupo RBS, afiliada a TV Globo) trouxe o grande sucesso “Moreninha Linda” onde Pino divide os vocais com Tinoco da dupla Tonico e Tinoco, posteriormente a esse disco temos a saída de Neco e passam a compor o grupo, Ivair (filho do Ivar), e Marconi, com essa formação lançam "Amore Mio", de 94, seguido do LP/CD de 95 "Remédio Pra Mim", com a participação da dupla As Marcianas e por fim "Deixe Dele Que Eu Deixo dela" de 96, com a participação especial de Carmen Silva, também é o último disco da banda no formato LP. Chegamos em 1997 com nova formação, entrada de Adair Biavati (Batista) (no lugar do Marconi), retorno de Reny de Oliveira (no lugar de Jorge) e também passam a compor o cast da gravadora ACIT lançando os CD’s "Os Atuais" (97), "Uma Melhor Que a Outra"(98), "Docinho de Coco"(99) com participação de Neri Batista na faixa “O Sucesso da Tiazinha”, "Linda Mexicana" (2000) e "14 Sucessos ao Vivo" de 2001, que também foi o primeiro DVD do grupo a ser lançado.

Em 2002 é lançado o disco "Reis do Baile", último pela Acit e Ivar resolve deixar os palcos e passa a cuidar apenas da direção do conjunto. Em 2003 assinam com a USA Discos, gravam os álbuns "A 150 por Minuto" (2003) terceiro Disco de Ouro, "Chuva de Prata", (2004) este sem o Batista e também é o último com a participação do Vino (Delvino), que resolveu se aposentar. Batista retorna em 2005 lançam "Gosto de Bombom" no formatos CD/DVD. No ano de 2006 inicia a parceria com a gravadora Vertical de Caxias do Sul é lançado o "Não Resista À Tentação", já com Rodrigo Baier no lugar de Batista, é lançado o DVD "Nossa História" (USA Discos), Pela Vertical são lançados ainda "Sinal Fechado" (2007) e "A Você, Com Carinho" (2008) esse último nos formatos CD e DVD.


A partir de 2009 Os Atuais iniciam uma nova fase puxadas pelas comemorações de seus 40 anos completados em 2008, produzindo de forma independente seus discos, sendo distribuídos pela gravadora e produtora Fonomídia, para a estréia desse novo caminho lançam os discos "Nossas Canções - Vol.1" e o projeto especial "Nossas Canções Instrumental". Em 2010, chega o disco inédito de número 39, “Gracias”, um disco de agradecimentos aos 40 anos de sucesso. Também Ivar, diretor e fundador do grupo lança o livro “Os Atuais - 40 Anos de Estrada” contando os pontos mais importantes da história do grupo.

O ano de 2012 foi marcado com a volta de Adair Biavati (Batista). As músicas "Sem Você" e "Eu Duvido" alcançam o topo das 40 mais tocadas, segundo o portal Sulbandas. Com esses sucessos, “Os Reis do Baile” "ressuscitaram" nas rádios, pois há alguns anos não se ouvia mais suas músicas com tanta frequência. Nesse ano, gravaram a coletânea "Nossas Canções Vol. 02" e o disco "Prova de amor". Em 09 de janeiro de 2013, receberam o 4° Disco de Ouro, com mais de 50 mil cópias originais vendidas da coletânea "Nossas Canções Vol. 01". No ano de 2014, a banda grava o disco "Estrada do Amor", pela gravadora Fonomidia. Em 2016 a banda lança o seu novo disco, o Vol.44, intitulado "Algodão Doce", que contém músicas novas e algumas regravações da banda.

Em fevereiro de 2017, Reny de Oliveira, um dos componentes mais antigos da banda, e também Diego Silva, baterista, anunciam suas saídas da banda, assim Os Atuais contratam dois novos músicos para suprir a saída de Reny e Diego, são eles: Cristiano Basso(guitarrista e vocal) e Guilherme Haupenthal(Bateria e vocal).

Em setembro de 2017, 'Os Reis do Baile' lançam seu 45º trabalho gravado, intitulado 'Doce Paixão', com 15 músicas, entre regravações e inéditas.

A produção dos "Reis do Baile" é formada atualmente por: Beto Garcia, Romário Amaral, Toko Fernandes, Renato Tormes, Darlan e Naderson, o popular 'Mano'. A parte de divulgação, marketing e propaganda fica por conta de William Schmitz, e a administração fica por conta de Ivar Costa e Jacke Tolfo.

DiscografiaEditar

Ano Álbum Gravadora Formato
1971 Os Atuais Vol.1 Independente LP
1972 Embalo 72 Independente LP
1973 Embalo 73 Independente LP
1974 Os Atuais Vol.4 Independente LP
1975 Tarde de Domingo Chantecler / Alvorada LP/K7
1976 Os Atuais Vol.6 Chantecler / Alvorada LP/K7
1977 Magia do Amor Chantecler / Rosicler LP/K7
1978 Cada Vez Mais Atuais Chantecler / Rosicler LP/K7
1979 Eu Voltei... Vol.9 [nota 2] Isaec / Copacabana LP/K7
1980 Toda Vez que Chove Copacabana LP/K7
1981 A Garota do Baile Copacabana LP/K7
1982 Dia de Festa Copacabana LP/K7
1983 Barco do Amor Copacabana LP/K7
1984 Fim de Semana Copacabana LP/K7
1985 Quero Bis Copacabana LP/K7
1986 Lindo Demais pra Esquecer Copacabana LP/K7
1987 Mexe Comigo Copacabana LP/K7
1988 Pensando Nela Copacabana LP/K7
1990 Velho Vaqueiro Copacabana LP/K7
1991 Os Atuais ("Bambina") Copacabana LP/K7/CD
1992 Locutor Apaixonado RGE/RBS Discos LP/K7/CD
1994 Amore Mio RGE/RBS Discos LP/K7/CD
1995 Remédio pra Mim RGE/RBS Discos LP/K7/CD
1996 Deixe Dele que Eu Deixo Dela RGE/RBS Discos LP/K7/CD
1997 Os Atuais ("Peluquera") Acit K7/CD
1998 Uma Melhor que a Outra Acit K7/CD
1999 Docinho de Coco Acit CD
2000 Linda Mexicana Acit CD
2001 14 Sucessos Ao Vivo Acit CD/DVD
2002 Os Reis do Baile Acit CD
2003 150 por Minuto USA Discos CD
2004 Chuva de Prata USA Discos CD
2005 Gosto de Bombom USA Discos CD/DVD
2006 Não Resista à Tentação Vertical CD
2006 Nossa História USA Discos DVD
2007 Sinal Fechado Vertical CD
2008 A Você com Carinho Vertical CD/DVD
2009 Nossas Canções Vol.1 Fonomídia CD
2010 Nossas Canções - Instrumental Fonomídia CD
2010 Grácias - Pelos 40 Anos De Sucesso Fonomídia CD/DVD
2010 Nossas Canções Vol.1 Fonomídia DVD
2012 Nossas Canções Vol.2 Fonomídia CD
2012 Prova de Amor Fonomídia CD
2013 45 Anos Fonomídia CD/DVD
2014 Estrada do Amor Fonomídia CD
2016 Algodão Doce Fonomídia CD
2017 Doce Paixão Fonomídia CD
2018 50 Anos - Ao Vivo Fonomídia CD/DVD

Discos premiadosEditar

Ano Álbum Gravadora Formato Vendagem Certificados
1983 Barco do Amor Copacabana LP/K7 +200 mil   Ouro
1987 Mexe Comigo Copacabana LP/K7 +100 mil   Ouro
2003 150 por Minuto USA Discos CD +50 mil   Ouro
2009 Nossas Canções Vol.1 Fonomídia CD +50 mil   Ouro

Notas

  1. Na verdade este seria o disco de volume 6, mas a gravadora Chantecler acabou inicialmente ignorando os 4 primeiros álbuns independentes.
  2. Esse disco foi lançado originalmente em 79 e relançado em 83, somando as duas edições foram vendidas mais de 80 mil cópias entre K7's e LP's

Referências

  1. a b c Os Atuais. «OS ATUAIS». Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  2. a b «Show Baile.com.br». Consultado em 12 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 15 de julho de 2009 
  3. «Música popular.org». Consultado em 12 de dezembro de 2008 

Ligações externasEditar