Otto Schily

político alemão

Otto Schily (Bochum, 20 de julho de 1932) é um político (SPD) alemão e deputado do Bundestag.[1]

Otto Schily
Otto Schily beim Bundesparteitag der SPD am 10. Dezember 2015
Nascimento Otto Georg Schily
20 de julho de 1932
Bochum
Cidadania Alemanha
Progenitores
  • Franz Schilyi
Filho(s) Jenny Schily
Irmão(s) Konrad Schily
Alma mater
Ocupação advogado, político, ambientalista
Prêmios
  • Leo-Baeck-Medal (2005)
  • Big Brother Awards (Alemanha, 2005)
  • Ordem do Mérito da Baviera
  • Prêmio Verschlossene Auster (2002)
  • Grã-Cruz da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha (2004)
  • Grã-Cruz da Ordem da Coroa de Carvalho
  • Big Brother Awards (Alemanha, 2001)
Assinatura
Otto Schily Unterschrift.png

Foi ministro do interior da Alemanha no governo Gerhard Schröder, de 1998 até 2005.

BiografiaEditar

Schily estudou direito em Munique e Hamburgo e ciências políticas em Berlim, era membro da Federação de Estudantes Socialistas Alemães (SDS) e mantinha uma relação amigável com o líder da Oposição Extraparlamentar (APO), Rudi Dutschke.  Após os estudos, ele abriu seu próprio escritório de advocacia. Como advogado, defendeu vários membros da Fração do Exército Vermelho (RAF) em seus respectivos processos judiciais.[2]

Schily foi um dos fundadores do partido Verde em 1980 e tornou-se membro do Bundestag em 1983 por meio dessa formação. No ano seguinte, ele foi um dos líderes da comissão parlamentar encarregada de investigar o caso Flick[3] (foi um grande complô de corrupção orquestrado pelo empresário alemão Friedrich Karl Flick, que subornou políticos de todos os partidos políticos representados no Bundestag e, em troca, recebeu grandes benefícios fiscais). Em 1989 deixou o seu partido e tornou-se membro do SPD, tornando-se vice-presidente do grupo parlamentar dos social-democratas no Bundestag.

Após as eleições federais de 1998 e a formação de uma coalizão entre o SPD e os Verdes sob a liderança do Chanceler Gerhard Schröder, Schily se tornou Ministro Federal do Interior, cargo que ocupou até 2005.[2] Depois disso, ele se aposentou quanto à política.

Referências

  1. «Otto Schily». Biblioteca Nacional da Alemanha (em alemão). Consultado em 29 de setembro de 2020 
  2. a b «Otto Schily, reflexiones del ex-ministro de interior del SPD sobre antroposofía. - Diario de futuro - Blogs de Opinión de LaVanguardia.comDiario de futuro». Consultado em 14 de julho de 2021 
  3. Comas, José (26 de novembro de 1984). «Otto Schily». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582. Consultado em 14 de julho de 2021