País Sículo

O País Sículo (em húngaro: Székelyföld; em romeno: Ținutul Secuiesc ou por vezes Secuimea;; em alemão: Szeklerland; em latim: Terra Siculorum[1]) é uma região histórica e etnográfica da Romênia, habitada principalmente por húngaros e romenos. O seu centro cultural é a cidade de Târgu Mureș, a maior localidade da região.[2]

Bandeira do País Sículo
O País Sículo histórico no mapa da atual Romênia

Os sículos da Transilvânia, um subgrupo do povo húngaro,[3][4] vivem nos vales e colinas das Montanhas dos Cárpatos Orientais, correspondentes aos atuais condados de Harghita, Covasna e partes de Mureș na Romênia.

Originalmente, o nome País Sículo era dado aos territórios de vários assentamentos autônomos dos sículos na Transilvânia. Os assentamentos autônomos sículos tinham seu próprio sistema administrativo [5] e existiram como entidades jurídicas da época medieval até à década de 1870.

Junto com o resto da Transilvânia e as partes orientais da Hungria propriamente dita, o País Sículo tornou-se parte da Romênia em 1920 conforme o Tratado de Trianon. Em agosto de 1940, como consequência da Segunda Arbitragem de Viena, os territórios do norte da Transilvânia, incluindo o País Sículo, foram cedidos à Hungria, sob os auspícios do Terceiro Reich. A Transilvânia do Norte ficou sob o controle das forças soviéticas e romenas em 1944 [6][7][8] e foram confirmadas como parte da Romênia pelos tratados de paz de Paris, assinados após a Segunda Guerra Mundial, em 1947.

Sob o nome de Região Autônoma Magiar, com Târgu Mureș como capital,[9] partes do País Sículo gozavam de um certo nível de autonomia entre 8 de setembro de 1952 e 16 de fevereiro de 1968. Existem iniciativas de autonomia territorial com o objetivo de obter autogoverno para esta região na Romênia.

Referências

  1. Minahan, James (2002). «Szeklers». Encyclopedia of the Stateless Nations: Ethnic and National Groups Around the World. 4: S-Z. Greenwood Publishing Group. p. 1810. ISBN 9780313323843 
  2. James Minahan, Encyclopedia of the stateless nations. 4. S - Z, Greenwood Publishing Group, 2002, p. 1810
  3. Sherrill Stroschein, Ethnic Struggle, Coexistence, and Democratization in Eastern Europe, Cambridge University Press, 2012, p. 210 Cited: "Székely, a Hungarian sub-group that is concentrated in the mountainous Hungarian enclave"
  4. Ramet, Sabrina P. (1992). Protestantism and politics in eastern Europe and Russia: the communist and postcommunist eras. 3. [S.l.]: Duke University Press. p. 160. ISBN 9780822312413. ...the Szekler community, now regarded as a subgroup of the Hungarian people. 
  5. Józsa Hévizi, Thomas J. DeKornfeld, Autonomies in Hungary and Europe: a comparative study, Corvinus Society, 2005, p. 195
  6. Kurti, Laszlo (2001). The Remote Borderland. [S.l.]: State University of New York Press. p. 33 
  7. Hall, Richard C. (2014). War in the Balkans. Santa Barbara, California: ABC-CLIO, LLC. p. 249 
  8. «The Avalon Project : The Armistice Agreement with Rumania; September 12, 1944». avalon.law.yale.edu (em inglês). Consultado em 27 de abril de 2022 
  9. Bottoni, Stefano. «A romániai modell sajátosságai: a Magyar Autonóm Tartomány. A Ceauşescu-féle modell, a román államnacionalizmus» [Peculiaridades do modelo romeno: a Província Autônoma Húngara, o modelo Ceauşescu, e o nacionalismo estatal romeno] (PDF) (em húngaro). Consultado em 27 de abril de 2022. Cópia arquivada (PDF) em 20 de abril de 2022 
  • Este artigo foi inicialmente traduzido, total ou parcialmente, do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Székely Land».