Papa Silvério

Papa da Igreja Católica
São Silvério
Santo da Igreja Católica
58° Papa da Igreja Católica
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Eleição 1 de junho de 536
Fim do pontificado 11 de novembro de 537 (1 ano)
Predecessor Agapito I
Sucessor Vigílio
Ordenação e nomeação
Dados pessoais
Nascimento 480
Frosinone, Império Bizantino
Morte 2 de dezembro de 537 (57 anos)
Ponza, Império Bizantino
Progenitores Pai: Papa Hormisda
Sepultura Basílica de São Pedro
dados em catholic-hierarchy.org
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Lista de Papas

São Silvério nasceu em Frosinone, cerca do 480, filho do papa Hormisda, que fora casado antes de se tornar prelado. Silvério foi Papa de 1 de Junho de 536 a março de 537.[1] É venerado como Santo pela Igreja Católica.

O PontificadoEditar

Foi eleito por determinação do rei dos godos, Teodato, para suceder o papa Agapito I, que morrera em Constantinopla. Naquela cidade estava também o candidato mais forte à sucessão, Vigílio, que contava com o apoio da Imperatriz Teodora.

A ascensão de Silvério ao trono pontifício, portanto, foi fonte de ásperas relações entre o diácono Vigílio e o novo papa.

Em 536, Teodato era morto, enquanto as tropas bizantinas de Belisário entravam em Roma e Silvério viu-se só, no centro de um complô tramado pelo próprio Vigílio. Este conseguiu a deposição de Silvério, que foi exilado na província da Lícia, e, assim, elegeu-se Papa em 537.

Do exílio, Silvério, com a intervenção do imperador Justiniano I, conseguiu obter a revisão do processo, demonstrando a sua inocência e voltando a Roma e ao trono de São Pedro; mas Belisário, certamente instigado por Vigílio, fez com que fosse aprisionado na Ilha Ponza. Em março de 537, Silvério foi forçado a abdicar,[1] assinando um documento no qual renunciava a trono de São Pedro em favor de Vigílio. Por causa da conspiração, foi martirizado em 2 de Dezembro de 537, na ilha de Palmarola, uma das Ilhas Pontinas, lá ele morreu de fome, alguns meses depois.[2] Seu corpo foi trasladado para a Catedral da Comuna de Ponza, em 20 de Junho do ano seguinte.

O cultoEditar

Segundo o Liber Pontificalis, depois de sua morte, os fiéis que o visitavam na sua tumba o invocavam constantemente como Santo. A primeira prova desta veneração está documentada em um hagiológio do século XI (Mélanges d'archéologie et d'histoire, 1893, 169).

O Martyrologium di Petrus de Natalibus, do século XIV, contemplava a sua festa em 2 de dezembro.

Atualmente, São Silvério é muito venerado na Ilha de Ponza, de onde é padroeiro. A sua memória litúrgica se dá em 20 de junho.[1]

Referências

  1. a b c Pope St. Silverius (em inglês)
  2. Richards, Popes and the papacy, pp. 129f

Leitura de apoioEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Papa Silvério
  • Louise Ropes Loomis, The Book of Popes ("Liber Pontificalis"). Merchantville, NJ: Evolution Publishing. ISBN 1-889758-86-8 (Reimpressão da edição de 1916).


Precedido por
Agapito I
 
Papa

58.º
Sucedido por
Vigílio


  Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.