Abrir menu principal
Comparação de penugem (à esquerda) ao pelo terminal (à direita) em humanos. Observe a presença de tecido subcutâneo no pelo terminal mais espesso.

Os pelos terminais são grossos, longos e escuros, em comparação com à penugem.[1] Durante a puberdade, o aumento nos níveis de hormônios androgênicos faz com que a penugem seja substituída por pelos terminais em certas partes do corpo humano.[2] Estas partes terão diferentes níveis de sensibilidade aos andrógenos, principalmente da família da testosterona.[3]

A área pubiana é particularmente sensível a esses hormônios, assim como as axilas que desenvolvem os pelos axilares.[4] Pelos pubianos e axilares se desenvolverão tanto em homens quanto em mulheres, na medida em que tal pelo se qualifica como uma característica sexual secundária,[5] embora os homens desenvolvam pelos terminais em mais áreas. Isso inclui pelos faciais, pelos no peito, pelos abdominais, pelos nas pernas e nos braços e pelos nos pés.[6] Por outro lado, pode-se esperar que as mulheres retenham mais da penugem.[7]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Marks, James G; Miller, Jeffery (2006). Lookingbill and Marks' Principles of Dermatology (4th ed.), Elsevier Inc., p. 11. ISBN 1-4160-3185-5
  2. Hiort, O. "Androgens and Puberty". Best Practice & Research Clinical Endocrinology & Metabolism, Vol. 16, No. 1, pp. 31–41.
  3. Neal, Matthew; Lauren M. Sompayrac. How the Endocrine System Works. Blackwell Publishing, 2001, p. 75.
  4. Randall, Valerie A.; Nigel A. Hibberts, M. Julie Thornton, Kazuto Hamada, Alison E. Merrick, Shoji Kato, Tracey J. Jenner, Isobel De Oliveira, Andrew G. Messenger. "The Hair Follicle: A Paradoxical Androgen Target Organ", Hormone Research, Vol. 54, No. 5–6, 2000.
  5. Heffner, Linda J. Human Reproduction at a Glance. Blackwell Publishing, 2001, p. 33.
  6. Robertson, James. Forensic Examination of Hair, CRC Press, 1999, p. 47.
  7. Neal, Matthew; Lauren M. Sompayrac. How the Endocrine System Works. Blackwell Publishing, 2001, pp. 70, 75.