Pico de surf

local considerado privilegiado para a prática do surf, onde quebram as melhores ondas.

Pico de surf é o local considerado privilegiado para a prática do surf, onde quebram as melhores ondas.[1] Ele pode esta localizado no mar,[2] no rio,[3][4] na lagoa [5][6] ou construido artificialmente em diferentes lugares.[7][8]

Pico de surf em Itacaré - Brasil.

HistóriaEditar

No BrasilEditar

 
Picuruta Salazar e jovens estudantes de surfe em Santos, onde o esporte começou no Brasil.

Nos anos de 1930, em Santos - São Paulo, a primeira onda foi surfada. Logo o primeiro pico de surf do Brasil está localizado na cidade de Santos.[2] As primeiras buscas por ondas, para a prática do surfe, foram feitas em um carro conversível por Thomas Rittscher. Portanto o primeiro meio de transporte para se chegar ao pico de surf foi rodoviário.[9]

Tipos de picos de surfEditar

Os picos de surf são classificados de diferentes formas:

FundoEditar

De acordo com o fundo: de areia, de coral, por exemplo. [10]

Pico de surf com fundo de coral
Um astronauta fotografou a Grande Barreira de Coral - Austrália
Detalhe de um tipo de fundo de coral. 

Mais imagens de Recifes de coral (em inglês): categoria:recifes de coral e categoria:corais

Número de pessoasEditar

De acordo com o número de surfistas que frequentam, ao mesmo tempo, um pico de surf. Por exemplo: um pico de surf é classificado como "crowdeado", quando existem muitos surfistas em um mesmo pico de surf ao mesmo tempo.[11][12]

AcessoEditar

O acesso ao pico de surf depende de onde ele está localizado. Ele pode está no mar,[2] no rio,[4][3] na lagoa [5][6] ou construido artificialmente.[7][8]

Pico de surf no marEditar

O acesso ao pico de surf localizado no mar ocorre pelo mar,[13][14] pelo ar [15][16] ou pela costa. [17][18] O acesso pode ser feito em todas estas modalidades. A seguir são descritas cada uma destas modalidades.

MarEditar

Diferentes possibilidades existem para se acessar um pico de surf pelo mar. Quando já se está dentro d'água pode ser feito:

Acesso pelo mar
Acesso ao pico de surf via Tow-in. Este Tow-in foi realizado nas ondas gigantes da Praia do Norte, na Nazaré, em Portugal 

ArEditar

Diferentes possibilidades existem para se acessar um pico de surf pelo ar:

Acesso pelo ar
Resgate realizado em Auckland Nova Zelândia

Costa/TerraEditar

Diferentes possibilidades existem para se acessar um pico de surf pela costa/terra. Quando já se está na praia pode ser feito:

Acesso pela costa/terra
Acessando o pico de surfe nadando( com ou sem prancha). 
Bote de resgate que acessa o pico de surf pela praia. 

Referências

  1. Nogueira, Ana Claudia Correia; Velaso, Laís Helena Pinto; Tambelline, Maria Luiza Testa; Abreu, Renata Pacheco (2005). «A gente quer comida, diversão e arte: uma experiência na comunidade do surf e a utilização da linguagem fílmica na afirmação dos direitos humanos». Interagir: pensando a extensão (7). 115 páginas. Consultado em 14 de abril de 2018 
  2. a b c Fortes, Rafael (2008). «Notas Sobre Surfe, Mídia e História». Universidade Federal do Rio de Janeiro. Recorde: Revista de História do Esporte. 1 (2): 1-15. Consultado em 14 de abril de 2018 
  3. a b O Surfista de São Paulo..avi. youtube. 5 de dezembro de 2009. Em cena em dur: 02.24. Consultado em 2 de junho de 2018 
  4. a b Surfando na pororoca - Amapá - Brasil. youtube. 18 de maio de 2015. Em cena em dur: 04.00. Consultado em 2 de junho de 2018 
  5. a b Surf na Lagoa da Brava - Itajaí SC. youtube. 28 de maio de 2014. Em cena em dur: 03.52. Consultado em 2 de junho de 2018 
  6. a b surf de lagoa. youtube. 7 de janeiro de 2013. Em cena em dur: 01.57. Consultado em 2 de junho de 2018 
  7. a b A surfer and a scientist teamed up to create the perfect wave (em inglês). youtube. 8 de novembro de 2017. Em cena em dur: 03.05. Consultado em 2 de junho de 2018 
  8. a b guiathermas.com. «Pista Surf Master». guiathermas.com. Consultado em 2 de junho de 2018 
  9. Carlos Sarli (2001). «Thomas, 84, o primeiro surfista do Brasil». folha.com.br. Consultado em 14 de abril de 2018 
  10. Filippo Ghermandi (2016). «Como os tipos de fundo influenciam na qualidade das ondas?». adrenalina10.com. Consultado em 14 de abril de 2018 
  11. «Crowdeado». Consultado em 14 de abril de 2018 
  12. Filippo Ghermandi (2015). «Dicionário de Termos e Gírias do Surf». adrenalina10.com. Consultado em 14 de abril de 2018 
  13. a b Marchi, Katia Bortolotti; de Souza, Juliano; Cavichiolli, Fernando Renato; Junior, Wanderley Marchi (2017). «Do Surf ao Tow-in – por uma análise da emergência do campo dos "Esportes de prancha"». Journal of Physical Education. 28 (1). 2858 páginas. Consultado em 1 de junho de 2018 
  14. a b Laje do Shock - Itacoatiara - 03/07/2017. youtube. 3 de julho de 2017. Em cena em dur: 02.46. Consultado em 1 de junho de 2018 
  15. a b Autoridade Marítima (2017). «Resgate de vítima de queda em arriba na Praia da Calada». amn.pt. Consultado em 1 de junho de 2018 
  16. a b Paulo Roberto Tavares (2016). «Helicóptero resgata surfista em Torres». correiodopovo.com.br. Consultado em 1 de junho de 2018 
  17. a b Carreon, Ricardo (8 de julho de 2009). «Girls and Morey boards» (em inglês). flickr.com. Consultado em 1 de junho de 2018 
  18. a b Demonstração - Bote Surf Rescue 380. youtube. 21 de dezembro de 2015. Em cena em dur: 05.00. Consultado em 1 de junho de 2018 
  Este artigo sobre Surfe é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre Oceanografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.