Polícia de Vigilância e Defesa do Estado

A Polícia de Vigilância e Defesa do Estado (PVDE) foi uma polícia do Estado Português, que funcionou entre 1933 e 1945. A PVDE tinha como atribuições a vigilância das fronteiras, o controlo de estrangeiros, a fiscalização da emigração e a segurança do Estado.

Polícia de Vigilância e Defesa do Estado

Coat of arms of Portugal.svg
Organização
Natureza jurídica Serviço público
Atribuições Polícia de estrangeiros, fronteiras e segurança do Estado
Dependência Governo da República Portuguesa
Ministério do Interior
Documento institucional Decreto-Lei n.º 22 992, de 29 de agosto de 1933
Localização
Jurisdição territorial Portugal Continental
Sede Rua António Maria Cardoso, Lisboa
Histórico
Antecessores Polícia de Defesa Política e Social
Polícia Internacional Portuguesa
Criação 29 de agosto de 1933
Extinção 22 de outubro de 1945
Sucessor Polícia Internacional e de Defesa do Estado

OrganizaçãoEditar

A PVDE dependia do ministro do Interior e incluía:

  • Diretor
    • Secção Internacional
    • Secção de Defesa Política e Social
    • Serviços Secretos
    • Serviços Gerais

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da PVDE / PIDE

A PVDE foi criada pelo Decreto-Lei n.º 22 992, de 29 de Agosto de 1933, a partir da fusão das anteriores Polícia Internacional Portuguesa e Polícia de Defesa Política e Social.

Teve como primeiro Director e fundador o Capitão Agostinho Lourenço. De acordo com o Professor Douglas Wheeler, Lourenço terá fundado a PVDE inspirando-se em modelos britânicos.[1][2]

Durante o seu período de existência destacaram-se as suas atividades contra as infiltrações em território português de elementos antagónicos durante a Guerra Civil de Espanha, as suas atividades como polícia política e as suas atividades de contra-espionagem durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1945, foi substituída pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado.

FontesEditar

  • Wheeler, Douglas L. (1983). «In the Service of Order: The Portuguese Political Police and the British, German and Spanish Intelligence, 1932-1945». Sage Publications, Ltd. Journal of Contemporary History. 18 (1): 1–25. JSTOR 260478. doi:10.1177/002200948301800101 

Ver tambémEditar

  1. Wheeler, 1983, pp. 1-25.
  2. Nota: No original: "an analysis of Lourenco's career suggest strongly that British Intelligence Services' influence had an impact on the structure and activity of PVDE". Lourcenço had earned a reputation with British observers, recorded in a confidential print generated at the British embassy, which suggested a "pro-British" bias on his part.