Praça da Liberdade (Tiblíssi)

Praça da Liberdade (em georgiano: თავისუფლების მოედანი Tavisuplebis moedani), anteriormente conhecida como Erevan[1] ou Praça Paskevitch-Erevan[2] (em georgiano: ერევანსკის მოედანი, Erevansk'is moedani, em russo: Эриванскская площадь, Erivanskskaya ploshchad[3]) sob o Império Russo e Praça Beria (georgiano: ბერიას მოედანი, Berias moedani) e Praça Lênin (georgiano: ლენინის მოედანი, Leninis moedani) enquanto parte da União Soviética, é uma praça pública da Geórgia que está localizada no centro de Tiblíssi, no extremo leste da Avenida Rustaveli.

Praça da Liberdade
თავისუფლების მოედანი
Tipo Praça pública
Estilo dominante neoclássico e moderno com elementos pseudo-islâmicos
Início da construção Início do século XIX
Geografia
País Geórgia
Cidade Tiblíssi
Coordenadas 41° 41' 36" N 44° 48' 05" E
Praça da Liberdade está localizado em: Geórgia
Praça da Liberdade
Geolocalização no mapa: Geórgia

HistóriaEditar

 
Praça Paskevich-Erevã em meados de 1870

A praça originalmente recebeu o nome de Ivan Paskevich, Conde de Erivan, general ucraniano do Exército Imperial Russo, que ganhou seu título em homenagem à conquista de Erivan (atual Erevan) pelo Império Russo. Durante a era soviética, a praça foi renomeada duas vezes: primeiro foi chamada de "Praça Beria", e depois "Praça Lenin".[4] O local foi nomeado Praça da Liberdade pela primeira vez em 1918, durante a fundação da Primeira República da Geórgia, após o colapso do Império Russo.

A Praça da Liberdade foi o local do assalto ao banco de Tíflis em 1907. Também foi palco de várias manifestações de massa, incluindo a da independência da Geórgia (da União Soviética), a Revolução Rosa e outras. Em 2005, foi o local onde o presidente dos Estados Unidos George W. Bush e o presidente da Geórgia Mikheil Saakashvili dirigiram-se a uma multidão de cerca de 100 000 pessoas em comemoração ao 60º aniversário que marcou o fim da Segunda Guerra Mundial. Durante esse evento, Vladimir Arutyunian, um georgiano-armênio, lançou uma granada ao presidente Bush enquanto ele falava sobre uma tentativa frustrada de assassiná-lo.[5]

MonumentosEditar

Próximo ao lado norte da Praça da Liberdade, há um pequeno espaço aberto com uma fonte e um busto de Alexandre Pushkin. Nas proximidades, o famoso comunista Kamo (Simon Ter-Petrossian) já foi enterrado, mas durante o governo de Stalin, seus restos mortais foram transferidos para um local não revelado.[6]

A prefeitura de Tiblíssi está situada na praça. Outros edifícios incluem a antiga sede do Bank of Georgia e o Marriott Internacional de Tiblíssi. A praça também abriga o escritório do governo local da Antiga Tiblíssi, além de ser palco do projeto para construção da Nova Tiblíssi, que começou em fevereiro de 2013 e tinha previsões de obras até o final de 2016.[7]

Durante o período soviético, a praça exibia uma grande estátua de Vladimir Lenin, que foi simbolicamente demolida em agosto de 1991. Em 23 de novembro de 2006, o Monumento de São Jorge, representando São Jorge matando o dragão, criado por Zurab Tsereteli, foi inaugurado no mesmo local.

A partir desta praça, ramificam-se seis ruas: Avenida Rustaveli, Rua Pushkin, Rua Kote Apkhazi, Rua Shalva Dadiani, Rua Galaktion Tabidze e Rua Giorgi Leonidze.

GaleriaEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Praça da Liberdade

Referências

  1. Frederiksen, Martin Demant. A Gate, but Leading Where?’ In Search of Actually Existing Cosmopolitanism in Post-Soviet Tbilisi. Post-cosmopolitan Cities: Explorations of Urban Coexistence, Berghahn Books, August 1, 2012. p. 125
  2. Rydel, Christine. The Ardis anthology of Russian romanticism. Ardish Publishers, 1984. p. 335
  3. Kavkaz Newspaper, #186, August 18 (31), 1910
  4. «Площадь свободы». tbilisi-trip.narod.ru. Consultado em 5 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 10 de junho de 2010 
  5. «Georgian jailed for Bush attack». BBC News. 11 de janeiro de 2006. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  6. Sebag-Montefiore, Simon (2008). "Prologue: The Bank Robbery". Young Stalin. Random House, Inc. p. 370
  7. «100-year-old Tbilisi post office undergoes restoration». Agenda.ge (em inglês). 4 de abril de 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2020