Preservativos, agulhas e negociação

Preservativos, agulhas e negociação, também conhecida como CNN (condoms, needles and negotiation), é uma abordagem de redução de danos cujo objetivo é reduzir a taxa de transmissão de infecções sexualmente transmissíveis, como HIV/AIDS, através do:

Em contraste com a "abstinência, seja fiel, use preservativo" ou abordagem "ABC" (abstinence, be faithful, use a condom), a abordagem "CNN" visa principalmente reduzir a taxa de transmissão entre grupos de alto risco, como mulheres que residem em áreas com baixos índices de poder social, presença de prostitutas e de usuários de drogas intravenosas.

CríticasEditar

O Papa Bento XVI criticou fortemente as políticas de redução de danos no que diz respeito ao HIV/AIDS, dizendo que "é uma tragédia que não possa ser superada apenas com dinheiro, e que não pode ser superada com a distribuição de preservativos, o que agrava os problemas".[1] Esta posição foi amplamente criticada por deturpar e simplificar demais o papel dos preservativos na prevenção de infecções.[2][3] Outros especialistas, incluindo o Diretor do Projeto de Pesquisa de Prevenção da AIDS da Universidade de Harvard, apoiaram a posição do Papa.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Condoms 'not the answer to AIDS': Pope
  2. The papal position on condoms and HIV. Douglas Kamerow, BMJ 2009 338: b1217
  3. Roehr, B. (2009). Pope claims that condoms exacerbate HIV and AIDS problem. Published 25 March 2009, doi:10.1136/bmj.b1206
  4. «The pope was right about condoms, says Harvard HIV expert». www.bbc.co.uk. Consultado em 10 de agosto de 2020 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre sexo ou sexualidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.