Abrir menu principal

Wikipédia β

Sexualidade humana

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Sexualidade humana representa o conjunto de comportamentos que concernem à satisfação da necessidade e do desejo sexual. Igualmente a outros primatas, os seres humanos utilizam a excitação sexual para fins reprodutivos e para a manutenção de vínculos sociais, mas agregam o gozo e o prazer próprio e do outro. O sexo também desenvolve facetas profundas da afetividade e da consciência da personalidade. Em relação a isto, muitas culturas dão um sentido religioso ou espiritual ao ato sexual, assim como veem nele um método para melhorar (ou perder) a saúde.

Índice

ConceitoEditar

A OMS define que a "sexualidade faz parte da personalidade de cada um, sendo uma necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, portanto a saúde física e mental"[1].

Atualmente, ocorre por parte de alguns estudiosos, a tentativa de afastamento do conceito de sexualidade da noção de reprodução animal associada ao sexo. Enquanto que esta noção se prende com o nível físico do homem enquanto animal, a sexualidade tende a se referir ao plano psicológico do indivíduo. Além dos fatores biológicos (anatômicos, fisiológicos, etc.), a sexualidade de um indivíduo pode ser fortemente afetada pelo ambiente sócio-cultural e religioso em que este se insere. Um exemplo disto é que em algumas sociedades, na sua maioria orientais, promove-se a poligamia ou bigamia, ou seja, a possibilidade ou dever de ter múltiplos parceiros.

Em algumas partes do mundo a sexualidade explícita ainda é considerada como uma ameaça aos valores político-sociais ou religiosos.

Tópicos sobre sexualidadeEditar

Desenvolvimento sexualEditar

Educação sexualEditar

 Ver artigo principal: Educação sexual

Orientações românticasEditar

 Ver artigo principal: Orientação romântica

Orientações sexuaisEditar

 Ver artigo principal: Orientação sexual

Identidade sexualEditar

 Ver artigo principal: Identidade sexual

Órgãos genitaisEditar

 Ver artigo principal: Órgão sexual

MasculinosEditar

 Ver artigo principal: Aparelho reprodutor masculino

Pénis (prepúcio glande), testículos, próstata

FemininosEditar

 Ver artigo principal: Aparelho reprodutor feminino
 Ver também: Sexualidade feminina

Vagina, (clitóris), útero, trompas de Falópio, ovários

Fisiologia reprodutivaEditar

 Ver artigo principal: Biologia e orientação sexual

Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Editar

 Ver artigo principal: Doença sexualmente transmissível

Comportamento sexualEditar

 Ver artigo principal: Comportamento sexual

Aspectos sócio-culturaisEditar

História do estudo da sexualidadeEditar

Desde o aparecimento do ser humano no mundo, a sexualidade já era um fenômeno existente, mas a história do estudo da sexualidade só vem sendo pensada nos últimos séculos. Um exemplo desta é o estudo da Sexualidade na Roma Antiga, e o estudo sobre a sexualidade no mundo ocidental na trilogia "História da Sexualidade" escrita por Michel Foucault. O primeiro, A vontade de saber[2], foi publicado pela primeira vez em 1976, seguido do O uso dos prazeres[3] e O cuidado de si[4], ambos publicados em 1984.

Crimes sexuaisEditar

  Mais informações: Estupro e Mitos do estupro

Considera-se agressão sexual atos ou tentativas de atos sexuais sem consentimento, como o estupro. São crimes relacionados à sexualidade que violam leis e costumes de um determinado país, ou mesmo internacionais. Dentre estes estão definidos o Assédio sexual, a Pornografia infantil, o Abuso sexual de menores, pedofilia, Violação de mulheres (estupro).

Movimentos sociaisEditar

Referências

  1. Vamos falar de sexo?] Adolescência.org - Visita em 24/10/15
  2. FOUCAULT, Michel (1976). História da Sexualidade I: A vontade de saber. [S.l.: s.n.] 
  3. FOUCAULT, Michel (1984). História da Sexualidade II: O uso dos prazeres. [S.l.: s.n.] 
  4. FOUCAULT, Michel (1984). História da Sexualidade III: O cuidado de si. [S.l.: s.n.]