Abrir menu principal
O primeiro congresso continental, 1774.

O Primeiro Congresso Continental foi uma convenção de delegados de 12 das treze colonias (com exceção da Geórgia) ocorrido em 10 de setembro de 1774, na Filadélfia, Pensilvânia. Nesse pedir o fim dos entraves ao desenvolvimento das colônias a partir de uma carta escrita ao rei Jorge III e ao parlamento, nesse contexto histórico, a população americana já estava bastante enraivecida com a Grã-Bretanha, após a Lei do selo de 1765 e a Leis de Townshend de 1768 criada pelo ministro da economia Inglês, Thomas Jeferson logo após, veio a mais ultrajante de todas, as Leis Intoleráveis de 1773 que fechavam o porto de Boston (até as companhias lesadas na "Festa do Chá de Boston" fossem indenizadas), exigia o julgamento dos envolvidos no Boston Tea Party na Inglaterra, permitia que a Inglaterra tomasse propriedades privadas de colonos para aquartelar suas tropas, não permitia que membros reais acusados de penas capitais fossem julgados nas colônias e sim na Inglaterra para evitar juris hostis, entre outras. Devido a tudo isso, os colonos agiram de forma rebelde, criando associações locais em detrimento dos representantes da coroa. O primeiro congresso continental, basicamente, afirmou a soberania das associações e tentou cancelar as Leis coercitivas. Não satisfeitos com o congresso, o governo inglês ordenou a destruição de um depósito de armas dos colonos (Batalhas de Lexington e Concord). Em 1775, os conflitos armados deram o início à guerra de independência.[1]

Referências

  1. Burnett, Edmund C. (1975) [1941]. The Continental Congress. [S.l.]: Greenwood Publishing. ISBN 0-8371-8386-3 

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre Primeiro Congresso Continental é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.