Quarta Batalha do Isonzo

Quarta Batalha do Isonzo
Campanha italiana, Primeira Guerra Mundial
Data 10 de novembro2 de dezembro de 1915
Local Rio Isonzo, oeste da Eslovênia
Desfecho Vitória tática austro-húngara
Beligerantes
 Reino da Itália Flag of Austria-Hungary 1869-1918.svg Áustria-Hungria
Comandantes
Reino de Itália Luigi Cadorna
Reino de Itália Emanuele Filiberto
Flag of Austria-Hungary 1869-1918.svg Conrad von Hötzendorf
Flag of Austria-Hungary 1869-1918.svg Svetozar Boroević
Flag of Austria-Hungary 1869-1918.svg Eugênio Fernando
Forças
370 batalhões, 1 374 peças de artilharia 155 batalhões, 626 peças de artilharia
Baixas
49 500 (incluindo 7 500 mortos) 32 100 (incluindo 4 000 mortos)

A Quarta Batalha do Isonzo foi uma luta travada entre o Reino de Itália e o Império Austro-Húngaro, no contexto do fronte italiano na Primeira Guerra Mundial, entre 10 de novembro e 2 de dezembro de 1915.[1][2]

A batalhaEditar

Após as indecisivas batalhas do rio Isonzo de junho, julho e outubro de 1915, novas investidas foram planejadas. Esta luta é considerada uma continuação direta da terceira ofensiva. A quarta batalha do Isonzo aconteceu principalmente ao redor da cidade de Gorizia e na região do Planalto de Cársico.

O 2º Corpo do exército italiano avançou sobre Gorizia, capturando Oslavia e San Floriano del Collio. Já o 3º Corpo atacou pela linha costeira e travou uma série de sangrentas batalhas. Nenhum ganho significativo foi feito por qualquer um dos lados. Só em Monte Sei Busi, os italianos tentaram cinco vezes tomar a área mas foram repelidos e fracassaram. Ao fim de novembro, a luta ao longo de todo o Isonzo se intensificou consideravelmente. No começo de dezembro, contudo, o fronte começou a se acalmar, com apenas confrontos localizados.

Com o frio intenso chegando aos planaltos e montanhas do Cársico, as operações militares foram reduzidas consideravelmente.

O alto-comando militar do Império Austro-Húngaro começou então a se preocupar com as pesadas perdas que suas tropas sofriam ao longo do rio Isonzo. Assim, pela primeira vez, os austríacos pediram por assistência (em termos de reforços militares) para os alemães que, naquela altura, não estavam envolvidos diretamente na luta na Itália.

Referências

  1. Macdonald, John, and Željko Cimprič. Caporetto and the Isonzo Campaign: The Italian Front, 1915-1918. Barnsley, South Yorkshire: Pen & Sword Military, 2011. ISBN 9781848846715.
  2. Schindler, John R. (2001). Isonzo: The Forgotten Sacrifice of the Great War. [S.l.]: Praeger. ISBN 0275972046. OCLC 44681903 

Ver tambémEditar


  Este artigo sobre Primeira Guerra Mundial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.