R.C. Pro-Am

vídeojogo de 1988
R.C. Pro-Am
Capa norte-americana
Desenvolvedora(s) Rare
Publicadora(s) Nintendo (NES)
Tradewest (Genesis)
Projetista(s) Tim Stamper
Chris Stamper
Programador(es) Paul Proctor (NES)
Steve Patrick (Genesis)
Compositor(es) David Wise
Plataforma(s) Nintendo Entertainment
System

Arcade (PlayChoice-10)
Mega Drive
Lançamento NES
  • AN fevereiro de 1988
  • EU 15 de abril de 1988
Sega Genesis
Gênero(s) Combate de Veículos
Corridas
Modos de jogo Um jogador

R.C. Pro-Am é um jogo eletrônico de corrida desenvolvido pela Rare e publicado pela Nintendo na América do Norte em fevereiro de 1988 e na Europa em 15 de abril do mesmo ano. Apresentado em uma perspectiva isométrica aérea, o jogador conduz um carro de controle remoto em torno de uma série de pistas. O objetivo de cada pista é se classificar para a próxima corrida, colocando-se entre os três primeiros. Os jogadores coletam itens para melhorar o desempenho e devem evitar uma variedade de perigos, como poças de chuva e manchas de óleo. É um exemplo de jogo de corrida com combate veicular, no qual os pilotos podem usar mísseis e bombas para desativar temporariamente os veículos adversários. Originalmente intitulado Pro Am Racing, R.C. Pro-Am também foi portado para o Mega Drive em 1992 como Championship Pro-Am, um remake melhorado com gráficos aprimorados e recursos adicionais. R.C. Pro-Am foi seguido por duas sequências: Super R.C. Pro-Am em 1991 e R.C. Pro-Am II em 1992.

Listado por críticos de jogos eletrônicos como um dos primeiros títulos para NES de sucesso da Rare, R.C. Pro-Am foi bem recebido por seus visuais, som, jogabilidade e diversão. O jogo se distanciou de títulos de corrida anteriores usando uma perspectiva aérea, em vez de uma perspectiva em primeira pessoa. As críticas o citaram como inspiração para jogos futuros como Super Off Road, Rock n 'Roll Racing e a série Mario Kart. Ele apareceu em muitas listas de melhores jogos de todos os tempos e é considerado um dos melhores títulos da biblioteca do NES. O jogo foi posteriormente incluído na compilação Rare Replay de 2015 da Rare para o Xbox One.

JogabilidadeEditar

 
O jogador, representado pelo caminhão vermelho no centro, lidera a corrida enquanto está prestes a coletar uma "carta bônus" e um santantônio.

R.C. Pro-Am é um jogo eletrônico de corrida no qual um jogador controla um carro de controle remoto contra três oponentes em uma pista de uma perspectiva isométrica aérea.[1][2] Os jogadores usam os botões horizontais no painel de controle para dirigir o carro para a esquerda ou direita e os outros botões para acelerar, disparar armas e pausar o jogo.[3] Composto por um total de 32 pistas, o objetivo de cada piloto é se qualificar para a próxima corrida, terminando entre os três primeiros no campo de quatro carros. O jogo termina se os jogadores terminarem em quarto lugar;[4] porém, possuem dois "continues" nos quais podem reiniciar a corrida anterior, mas perderão todos os pontos acumulados até aquele ponto.[5] Para cada conclusão bem-sucedida de uma corrida, o jogador recebe um troféu; "Troféus de Pontuação Alta" maiores, levam ao "Super Troféu", que também podem ser obtidos para ganhar pontuações altas.[6] Depois que o jogo termina, os jogadores podem registrar suas pontuações na lista "Top Pro-Am Drivers", mas as pontuações são apagadas quando o console é desligado.[7]

Ao longo dos cursos, existem itens na pista que os jogadores podem coletar passando por cima deles. "Itens de ajuste" ajudam a aumentar o desempenho do carro, como aceleração do turbo, "motores mais quentes" para maior velocidade máxima e "pneus super pegajosos" para maior tração e curvas;[1] essas habilidades adicionais são exibidas na tela "condições da pista" entre as corridas.[8] Os jogadores também podem coletar armas que podem desativar temporariamente outros veículos: mísseis tiram os veículos oponentes pela frente, enquanto bombas os tiram por trás. O número de mísseis e bombas continua na próxima corrida,[6] e os jogadores podem coletar munição extra, representada por estrelas, na pista.[1] Santantônios, que os oponentes também podem coletar, ajudam a proteger os carros contra danos de colisão, "zíperes" estacionários dão aos carros um aumento de velocidade extra[1] e "letras de bônus" dão aos jogadores maiores pontos de bônus e a capacidade de dirigir um carro melhorado se eles poderem soletrar "NINTENDO" ("CAMPEÃO" na versão Rare Replay) com eles. Os jogadores podem atualizar um caminhão padrão para um 4-Wheeler mais rápido e, em seguida, para o Off Roader mais rápido.[9] Existem também vários perigos que devem ser evitados: manchas de óleo que fazem os carros girar fora de controle, poças de água e "rajadas de chuva" que os tornam mais lentos, barreiras que batem carros e crânios que diminuem a munição. O uso excessivo de armamento de projéteis em oponentes resultará na aceleração do carro amarelo para 127 milhas por hora, que não pode ser correspondido pelo jogador.[1]

O porte de Mega Drive, Championship Pro-Am, apresenta algumas diferenças de jogabilidade em relação à versão de NES. Por exemplo, os jogadores correm contra cinco outros veículos em vez de três,[10] mas os mesmos ainda devem ficar entre os três primeiros para avançar para a próxima pista.[5] Outra característica é que os recordes de corrida são registrados; jogadores são solicitados a inserir seus nomes antes do início do jogo para acompanhar as pontuações mais altas e recordes de corrida.[11] Finalmente, os jogadores tentam soletrar com sucesso "CAMPEÃO" para fazer um melhoramento para um novo carro.[12]

Desenvolvimento e lançamentoEditar

A Ultimate Play the Game foi fundada pelos irmãos Tim e Chris Stamper, junto com a esposa de Tim, Carol, em sua sede na cidade de Ashby-de-la-Zouch no ano de 1982. Eles começaram a produzir jogos eletrônicos para o ZX Spectrum no início da década de 1980. A empresa era conhecida por sua relutância em revelar detalhes sobre suas operações e projetos futuros. Pouco se sabia sobre o processo de desenvolvimento, exceto que costumavam trabalhar em "equipes separadas": uma equipe trabalhava no desenvolvimento enquanto a outra se concentrava em outros aspectos, como som e gráficos.[13] Esta empresa posteriormente evoluiu para a Rare,[14] a desenvolvedora de R.C. Pro-Am. Em 1987, o jogo foi originalmente intitulado Pro-Am Racing, mas foi renomeado posteriormente.[15]

Foi lançado para o Nintendo Entertainment System (NES) pela Nintendo em fevereiro de 1988 na América do Norte,[16] e na Europa em 15 de abril do ano seguinte.[17] Mais tarde, seria portado para o Sega Genesis sob o nome de Championship Pro-Am e foi lançado pela Tradewest em 1992.[18] Sua música foi composta por David Wise, conhecido por seu trabalho em Cobra Triangle e também na série Donkey Kong Country.[19]

R.C. Pro-Am foi sujeito a cobertura prévia na edição de outuno de 1987 da Nintendo Fun Club News — o predecessor da Nintendo Power.[15] Recebeu uma análise mais aprofundada do jogo na seguinte edição de inverno de 1987, dizendo que "este jogo é uma obrigação para proprietários de carros RC (controlados por rádio)".[20] Foi destaque na capa da revista da edição de fevereiro a março de 1988, que também incluiu um passo a passo completo.[1] Mais tarde, na edição de estreia da Nintendo Power em julho de 1988, R.C. Pro-Am foi listado em 6.º em seu "Top 30" de jogos do NES, e foi a "Escolha do Distribuidor".[21] Caiu para a 8.ª posição em setembro de 1988,[22] e em 12 de novembro.[23]

Recepção e legadoEditar

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Allgame      [24]

R.C. Pro-Am vendeu 2,3 milhões de cópias em todo o mundo e transformou a Rare em uma grande desenvolvedora do NES.[25] O jogo foi analisado na Computer Gaming World, que o chamou de "uma abordagem inovadora e atraente para jogos eletrônicos de corrida de carros". Bill Kunkel descobriu que se distanciava de títulos de corrida anteriores, como Enduro Racer da Sega, Mach Rider da Nintendo e Pole Position da Atari, indo de um ângulo de primeira pessoa mais tradicional para uma perspectiva isométrica. Também elogiou a simplicidade e os controles do jogo, comparando-os aos de um carro real de controle remoto. Ele criticou o jogo pela falta de um recurso para dois jogadores e pela imprecisão do manual de instruções. Concluiu elogiando os seus gráficos e som, afirmando que "ajudam a tornar este o melhor jogo do género alguma vez produzido em qualquer formato de jogo electrónico".[26] A Bloomberg Businessweek listou R.C. Pro-Am junto com Cobra Triangle, como os títulos mais notáveis da Rare na biblioteca do NES.[27]

O jogo continuou a ser bem recebido pelas publicações de jogos eletrônicos. Chris Couper da Allgame afirmou que R.C. Pro-Am está entre os melhores jogos do NES, devido à sua natureza realista. Ele comentou que o desafio e os sons do jogo contribuíram para seu nível de diversão.[24] A Retro Gamer viu o jogo como um precursor das Micro Machines da Codemasters e comparou a ação e a variedade de itens com a série Mario Kart que veio depois. Eles saudaram o jogo como um dos melhores produtos iniciais da Rare, afirmando: "As corridas de carros de controle remoto na forma de jogo eletrônico foram aperfeiçoadas aqui."[28] O livro de 2009 Vintage Games comparou o jogo ao Spy Hunter, observando que o jogo enfatizava a coleta de power-ups e armas e não apenas em corridas. Acrescentou como a tendência de combinar corrida com combate veicular reapareceria em jogos futuros como Super Mario Kart e Rock n 'Roll Racing.[29] Mais tarde em 2010, como parte do 25º aniversário da Rare, a revista disse que foi o primeiro título do NES de sucesso da Rare, bem como um dos primeiros jogos a combinar corrida e combate veicular. Os leitores classificaram o jogo em 22º lugar em uma lista de seus 25 jogos favoritos da Rare.[30] Mais recentemente, em 2016, VintageGamer.com elogiou R.C. Pro Am por ainda ser agradável e desafiador 28 anos após seu lançamento.[31]

R.C. Pro-Am apareceu muitas vezes em várias listas de "melhores jogos" ao longo dos anos. Uma pesquisa conduzida pela GamePro em 1990 classificou o jogo como o décimo melhor jogo eletrônico de esportes na época.[32] Electronic Gaming Monthly listou-o como o 52º melhor jogo eletrônico de console de todos os tempos em 1997.[33] A Game Informer colocou o jogo na posição 84 em seu "Top 100 jogos de todos os tempos "em agosto de 2001.[34] A revista Paste o classificou como o 8.º maior jogo do NES de todos os tempos, dizendo que é "muito mais divertido do que carros reais com controle remoto, que nunca pareciam estar equipados com recursos de mísseis".[35] A IGN listou o jogo como o 13.º melhor jogo do NES de todos os tempos, citando sua popularidade entre os jogadores, bem como as boas vendas. O Editor Executivo Craig Harris disse que foi um dos primeiros jogos a introduzir o conceito de combate veicular, inspirando outros títulos como Super R.C. Pro-Am, R.C. Pro-Am II e a série Mario Kart.[36] A 1UP.com listou o jogo como o 14.º melhor título do NES, citando os bons gráficos e elementos de jogabilidade do jogo, embora tenha dito que o nível de dificuldade era muito alto. Como em outras retrospectivas, a equipe do site listou o jogo como inspiração para futuras séries, como Super Off Road e Rock n 'Roll Racing.[37] Em uma retrospectiva da Rare como parte do 25.º aniversário da empresa, a GamePro listou R.C. Pro-Am como um dos melhores jogos da Rare, chamando o lançamento de "um dos melhores momentos da Rare".[2] A Rare começou a trabalhar em um jogo subsequente para o Nintendo 64, chamado Pro-Am 64, que eventualmente mudou de direção durante o desenvolvimento e se tornou Diddy Kong Racing.[38] A versão para NES de R.C. Pro-Am é um dos 30 jogos da compilação Rare Replay do Xbox One.[39]

Referências

  1. a b c d e f «R.C. Pro-Am». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Fun Club News. 1: 4–5. Fevereiro–março de 1988 
  2. a b Davison, John (2 de junho de 2010). «25 Years of Rare». GamePro. Consultado em 1 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2010 
  3. R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 3.
  4. R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 5.
  5. a b Championship Pro-Am Instruction Manual 1992, p. 12.
  6. a b R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 8.
  7. R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 4.
  8. R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 6.
  9. R.C. Pro-Am Instruction Manual 1988, p. 7.
  10. Championship Pro-Am Instruction Manual 1992, p. 3.
  11. Championship Pro-Am Instruction Manual 1992, p. 5.
  12. Championship Pro-Am Instruction Manual 1992, p. 9.
  13. «The Best of British - Ultimate». Crash. Consultado em 13 de agosto de 2015 
  14. McLaughlin, Rus (29 de julho de 2008). «IGN Presents the History of Rare». IGN. Consultado em 17 de maio de 2012. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2008 
  15. a b «Pro-Am Racing». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Fun Club News. 1: 15. Outono de 1987 
  16. «NES Games» (PDF). Nintendo. p. 10. Consultado em 17 de julho de 2008. Cópia arquivada (PDF) em 17 de março de 2007 
  17. «retrodiary: 1 April – 28 April». Bournemouth: Imagine Publishing. Retro Gamer: 17. Abril de 2011. ISSN 1742-3155. OCLC 489477015 
  18. «Championship Pro-Am». GameSpot. Consultado em 2 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 26 de março de 2010 
  19. Nagata, Tyler (21 de setembro de 2010). «Game music of the day: R.C. Pro-Am». GamesRadar. Consultado em 20 de julho de 2011 
  20. «Sneak Peeks – Pro Am Racing». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Fun Club News. 1: 12. Dezembro de 1987 
  21. «Top 30». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Power: 103–104. Julho–agosto de 1988. ISSN 1041-9551. OCLC 18893582 
  22. «Top 30». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Power: 103. Setembro–outubro de 1988. ISSN 1041-9551. OCLC 18893582 
  23. «Top 30». Redmond, WA: Nintendo. Nintendo Power: 103. Novembro–dezembro de 1988. ISSN 1041-9551. OCLC 18893582 
  24. a b Couper, Chris. «R.C. Pro-Am – Review». Allgame. Consultado em 20 de julho de 2011. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2010 
  25. «How Rare unlocked the secrets of the NES». GamesTM. 29 de abril de 2010. Consultado em 17 de julho de 2017. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2017 
  26. Kunkel, Bill (dezembro de 1988). «Video Gaming World: Start Your Engines». Anaheim, CA: Golden Empire Publications. Computer Gaming World: 65. ISSN 0744-6667. OCLC 150247674 
  27. Dawley, Heidi; Eng, Paul M. (29 de maio de 1995). «Killer Instinct For Hire». New York City: Bloomberg L.P. Bloomberg Businessweek. ISSN 0007-7135. OCLC 1537921. Consultado em 4 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2012 
  28. «Nintendo's Greatest Games». Bournemouth: Imagine Publishing. Retro Gamer: 19. Maio de 2004. ISSN 1742-3155. OCLC 489477015 
  29. Loguidice, Bill; Barton, Matt (2009). «14 – Pole Position (1982): Where the Raster Meets the Road». Vintage Games. Burlington, MA: Focal Press. ISBN 978-0-240-81146-8 
  30. Hunt, Stuart (dezembro de 2010). «A Rare Glimpse». Bournemouth: Imagine Publishing. Retro Gamer: 28–43. ISSN 1742-3155. OCLC 489477015 
  31. «Archived copy». Consultado em 25 de abril de 2019. Cópia arquivada em 21 de abril de 2019 
  32. «Sport Pro-Shots – #10: R.C. Pro-Am». Peterborough, NH: IDG Communications/Peterborough, Inc. GamePro: 118, 122 janeiro de 1991. ISSN 1042-8658. OCLC 19231826 
  33. «100 Best Games of All Time». Electronic Gaming Monthly. Ziff Davis  Observação: ao contrário do título, a introdução do artigo afirma explicitamente que a lista cobre apenas jogos de console, o que significa que jogos para PC e fliperamas não eram elegíveis.
  34. «Top 100 Games of All Time». Eden Prairie, MN: Sunrise Publications. Game Informer. Agosto de 2001. ISSN 1067-6392. OCLC 27315596 
  35. Killingsworth, Jason (25 de novembro de 2008). «Top 10 NES Games of All Time». Paste. Consultado em 1 de agosto de 2011. Arquivado do original em 25 de julho de 2011 
  36. Harris, Craig. «Top 100 NES Games – 13. R.C. Pro-Am». IGN. Consultado em 1 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2011 
  37. 1UP Staff. «The Top 25 NES Games». 1UP.com. Consultado em 1 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2012 
  38. Watts, Martin (23 de fevereiro de 2014). «Month Of Kong: The Making Of Diddy Kong Racing». Nintendo Life. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  39. «Rare Celebrates Its 30th Anniversary with a Massive 30-Game Collection». Xbox Wire. Microsoft. 16 de junho de 2015. Consultado em 7 de março de 2017. Cópia arquivada em 4 de abril de 2016 
Bibliografia

Ligações externasEditar