Abrir menu principal
Rafael II de Constantinopla
Nascimento Século XVI
Morte Desconhecido
Ocupação sacerdote
Religião cristianismo ortodoxo

Rafael II de Constantinopla (em grego: Ραφαήλ Β΄) foi patriarca ecumênico de Constantinopla entre 1603 e 1607[1].

HistóriaEditar

Rafael era bispo de Metímna quando, em março de 1603, foi eleito patriarca[2]. Durante seu patriarcado, tratou de regulamentar muitos assuntos eclesiásticos e determinou a criação de uma série de padronizações. Os conflitos com o patriarca anterior, Neófito II, provocaram muitos problemas na Igreja, a ponto de Cirilo Lucaris, numa carta ao bispo de Heracleia Perinto, Dionísio, afirmar que "... Rafael comandou o Patriarcado como um tirano por mais de quatro anos ...".

Rafael revelou interesse numa possível união com a Igreja ocidental e iniciou uma correspondência secreta com o papa[3]. Ele permaneceu como patriarca até outubro de 1607, quando foi finalmente deposto pelo sultão Amade I e exilado, onde acabou sofrendo uma morte violenta.

Ver tambémEditar

Rafael II de Constantinopla
(1603-1607)
Precedido por:  

Patriarcas ecumênicos de Constantinopla

Sucedido por:
Mateus II 186.º Neófito II

Referências

  1. Kiminas, Demetrius (2009). The Ecumenical Patriarchate (em inglês). [S.l.]: Wildside Press LLC. p. 39. ISBN 978-1-4344-5876-6 
  2. «Ραφαὴλ Β´» (em grego). Site oficial do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla 
  3. Runciman, Steven (1985). The Great Church in captivity (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. p. 270. ISBN 978-0-521-31310-0