Red Bull Air Race World Series

O Red Bull Air Race World Series, estabelecido em 2003 e criado pela Red Bull, é uma série internacional de corridas aéreas com a participação dos pilotos mais hábeis do mundo, em que os concorrentes devem percorrer um circuito no céu com obstáculos desafiadores, no menor tempo possível. Os pilotos voam individualmente contra o tempo passando por pilões especiais, conhecidos como "air gates".

Red Bull Air Race World Series
Temporada ou competição atual:
2018
Corrida em Barcelona, Espanha
Esporte Corrida Aérea
Fundada 2003
Temporada inaugural 2003
País(es) Global
Equipes 15
Atual campeão República Checa Martin Šonka
Site oficial redbullairrace.com

As corridas ocorrem principalmente em aeródromos, mas também acima das cidades, do mar ou das maravilhas naturais. São acompanhadas também, muitas vezes, por shows aéreos. As corridas acontecem nos fins de semana. O evento emocionante atrai multidões e também é transmitido pelo mundo pelos principais canais de televisão.

Nas corridas, atualmente 14 pilotos competem uns contra os outros. O vencedor da corrida é o concorrente que realiza o melhor tempo depois de duas voltas no mesmo circuito. Os pilotos competem em um circuito torcido com cinco grupos de obstáculos especialmente erguidos do pilão do "spinnaker". Voar com atitudes contras as regras ocasionam desqualificação ou acréscimo ao tempo de vôo. Os seis primeiros pilotos de cada etapa do Air Race ganham de 6 a 1 ponto, ganhando o vencedor 6 pontos e o sexto colocado 1 ponto. O piloto que tiver mais pontos no fim da temporada se torna o campeão mundial do Red Bull Air Race. O campeão de 2005 foi o americano Mike Mangold. Em 2006, o também americano Kirby Chambliss foi o campeão mundial.

Selo postal Russo de 2012 com estampa de Piotr Nesterov, inventor da acrobacia aérea

HistóriaEditar

A idéia do Red Bull Air Race veio aproximadamente em 2001, depois dos esforços da Red Bull de criar um evento novo da aviação. O alvo do evento era desafiar alguns dos mais melhores pilotos do mundo na velocidade, na precisão e na habilidade.Com estes critérios, a Red Bull aproximou-se de Péter Besenyei, então campeão por duas vezes do Campeonato Mundial de Acrobacias, procurando usar suas habilidades e sua experiência para adaptar o conceito às situações reais da corrida. Dois anos do planeamento culminaram na primeira Red Bull Air Race que ocorreu em Zeltweg, Áustria em 2003 durante a mostra de AirPower.

Participação brasileiraEditar

O Brasil faz parte da rota de realização das provas da corrida aérea e na temporada de 2010 participa o piloto brasileiro Adilson Kindlemann, que em 15 de abril de 2010, sofreu um espetacular acidente durante os preparativos para a prova a se realizar na Australia. O avião de competição (um Mx-2) caiu na água, mas ele nada sofreu de grave; a prova que seria realizada no circuito de seis quilômetros sobre o Rio Swan não foi realizada. A equipe de resgate levou cerca de 42 segundos para efetuar o socorro, mostrando rapidez e eficiência. [1]

Participação PortuguesaEditar

Portugal foi anfitrião na realização desta corrida aérea em 2007. As provas realizaram-se nas cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, entre a Ponte da Arrábida e a Ponte D. Luís I. Foi um projecto organizado entre as câmaras destas duas cidades em parceria com a Red Bull Internacional (sedeada na Áustria). Pelo sucesso que atingiu, quer em termos nacionais como internacionais, é considerado um dos maiores eventos de um só dia organizados em Portugal. À semelhança das provas realizadas na Hungria em Budapeste as provas da Red Bull Air Race realizadas em Portugal, nestas duas cidades, foram as que maior impacto internacional registaram, até ao momento, no histórico destas corridas.

Em 2007 a corrida contou com 600.000 espectadores (números oficiais da PSP), sendo que no dia de qualificações bateu um novo recorde mundial com 250.000 espectadores. A taxa de ocupação hoteleira no grande Porto próxima dos 100%, a restaurante completamente lotada em ambas as margens (Porto e Gaia).

A organização entregou o compromisso a que se propôs: realizar o maior evento desportivo de um só dia realizado em Portugal e excelente retorno de média global.

Em 2010 Portugal perde um evento excepcional para a comunicação do País devido ao não cumprimento do acordado por parte do Governo, sendo o evento deslocalizado.

2017 foi o ano em que as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia viram regressar esta prova, onde foram batidos os recordes de assistência, tendo em dois dias obtido um recorde de 850 mil pessoas presentes, superando as anteriores etapas fora de Portugal no presente ano.

FormatoEditar

 
Air Race no Brasil

Em 2005 e 2006, os pilotos faziam dois treinos para determinar a ordem de largada. Quem tinha o tempo mais rápido, começava por último. A corrida era feita em duas séries, e na época combinava-se os resultados de ambas as séries para se determinar o vencedor.

Em 2007, um formato novo do mata-mata foi introduzido. Durante os treinos, os 12 pilotos com os melhores tempos do curso prosseguem à sessão do "mata-mata". Os oito pilotos com os melhores tempos vão para as quartas-de-final, os quatro melhores para as semifinais, e os dois melhores para a final.

O campeonato é decidido pelos pontos, que são concedidos por como o piloto termina em cada evento.

Posição 10° 11° 12° 13° 14° 15°
Pontos 12 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 0 0 0

RegrasEditar

 
Red Bull Air Race na Inglaterra

As regras são simples, os pilotos devem passar pelos "air gates" corretamente ao terminar as manobras acrobáticas requeridas. Três tipos diferentes de gates requerem uma maneira específica do cruzamento. Os azuis devem ser cruzadas no vôo nivelado, os vermelhos devem ser cruzadas no "knife-edge" ou no vôo vertical, e nos gates do circuito de acordo com o que seu nome implica.

As penalidades são usadas quando há violações das regras.

Penalidade de 3 segundosEditar

  • Passagem incorreta de uma porta
    • muito alto
    • o Knife-edge incorreto (vertical) ou cruzamento (horizontal) nivelado
    • o Lado incorreto do knife-edge
  • Manobra acrobática incorreta

Penalidade de 10 segundosEditar

  • Tocando em uma porta

DesqualificaçãoEditar

  • Vôo perigoso
    • Cruzando a linha da multidão
    • Vôo perigoso
    • Aproximação perigosa
    • Voar muito baixo
  • Não voando o curso
    • Desvio de curso
    • Não executando a manobra acrobática
 
Imagem do avião de Kirby Chambliss, campeão de 2006
 
Grafite da Air Race no Rio de Janeiro, onde se realiza a etapa brasileira

AviãoEditar

Os concorrentes usam aviões acrobáticos high-end tais como Zivko Edge 540X, MXR Technologies MX2, e Extra 300, que são equipados com motores Lycoming.

A série começou a ver concorrentes desenvolverem versões realçadas de seus aviões para melhorar o desempenho, e assim os tempos também.Entretanto, as implicações de segurança do motor ou das falhas da fuselagem significam que o desempenho que é ajustado pelas equipes individualmente, como é feito geralmente em outros eventos do motorsport, é limitado no espaço da série.

 
Mostra da Red Bull Air Race World Series em San Francisco

ManobrasEditar

A Red Bull Air Race envolve complicadas manobras acrobáticas.

  • Borda da faca
  • Cruzando um Gate
  • Laço
  • Oito cubano
  • Meia cubana
  • Círculo horizontal
  • Oito horizontal
  • Rolo horizontal
  • Quarto vertical
  • Metade vertical
  • Rolo vertical
  • Tailslides

ResultadosEditar

Master ClassEditar

Ano Vencedor Vice Terceiro colocado
2003   Peter Besenyei   Klaus Schrodt   Kirby Chambliss
2004   Kirby Chambliss   Peter Besenyei   Steve Jones
2005   Mike Mangold   Peter Besenyei   Kirby Chambliss
2006   Kirby Chambliss   Peter Besenyei   Mike Mangold
2007   Mike Mangold   Paul Bonhomme   Peter Besenyei
2008   Hannes Arch   Paul Bonhomme   Kirby Chambliss
2009   Paul Bonhomme   Hannes Arch   Matt Hall
2010   Paul Bonhomme   Hannes Arch   Nigel Lamb
2011–2013 Não se realizou
2014   Nigel Lamb   Hannes Arch   Paul Bonhomme
2015   Paul Bonhomme   Matt Hall   Hannes Arch
2016   Matthias Dolderer   Matt Hall   Hannes Arch
2017   Yoshihide Muroya   Martin Šonka   Pete McLeod
2018   Martin Šonka   Matt Hall   Michael Goulian

Challenger ClassEditar

Ano Campeão Vencedor fase regular
2014   Petr Kopfstein   François Le Vot
2015   Mikaël Brageot   Mikaël Brageot
2016   Florian Bergér   Florian Bergér
2017   Florian Bergér   Florian Bergér
2018   Luke Czepiela   Florian Bergér

Locais da disputaEditar

Red Bull Air Race World Series
País Local Disputas em
2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2014 2015 2016 2017 2018
  Austrália Rio Swan, Perth 12º
  Áustria Zeltweg
Red Bull Ring, Spielberg
Wiener Neustadt
  Brasil Rio de Janeiro
  Canadá Windsor, Ontario
  China Pequim 9
  Croácia Rovinj
  França Cannes, Provença-Alpes-Costa Azul
  Alemanha Berlim
EuroSpeedway Lausitz
  Hungria Rio Danúbio, Budapeste 6
  Irlanda Castelo de Cashel
  Japão Makuhari, Chiba
  Malásia Lago Putrajaya, Putrajaya
  México Acapulco, Guerrero 11º1
  Países Baixos Erasmusbrug, Roterdão
  Polónia Gdynia
  Portugal Rio Douro, Porto
Lisboa 7
  Rússia São Petersburgo 2
Sochi 10
Kazan
  Espanha Barcelona 3 5
  Suíça Interlaken, Berna
  Suécia Estocolmo 4
  Turquia Corno de Ouro, Istambul
  Emirados Árabes Unidos Mina' Zayid, Abu Dhabi
  Reino Unido Longleat
Kemble
Rio Tamisa, Londres
Ascot Racecourse, Ascot
  Estados Unidos Monument Valley, Arizona/Utah
Reno, Nevada
San Diego, Califórnia 10º
São Francisco, Califórnia
Detroit, Michigan
Nova Iorque 8
Texas Motor Speedway, Fort Worth
Indianapolis
Las Vegas
  • 1 A 11ª ronda de 2017 em Acapulco, México foi cancelada.
  • 2 A 4ª ronda de 2006 em São Petersburgo, Rússia foi cancelada.
  • 3 A 5ª ronda de 2007 em Barcelona, Espanha foi cancelada.
  • 4 A 4ª ronda de 2008 em Estocolmo, Suécia foi cancelada.
  • 5 A corrida em Espanha foi cancelada.
  • 6 Cancelada
  • 7 Cancelada
  • 8 A localização da corrida em Liberty State Park na cidade de Nova Jérsia.
  • 9 A corrida na China foi cancelada. Substituída pela Aústria.
  • 10A corrida na Rússia foi cancelada. Substituída pela Croácia.

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar


Referências