Reino da Albânia (Idade Média)



Regnum Albaniae
Reino da Albânia
Byzantine imperial flag, 14th century.svg
1272 – 1368 Topia coat of arms.svg

Bandeira de Albânia

Bandeira
Localização de Albânia
Continente Europa
Região Bálcãs
Capital Durrës
Língua oficial Albanês
Governo Monarquia
Rei da Albânia, Duque de Durrës Carlos I de Anjou
História
 • 1272 Conquista de Durrës por Carlos I de Anjou
 • 1368 Conquista de Durrës por Carlos Thopia

O Reino da Albânia (em albanês: Mbretëria e Arbërisë; em latim: Regnum Albaniae) foi uma dependência angevina nos Bálcãs medievais, em sua extensão máxima correspondente aproximadamente à Albânia moderna, e centrada em Durrës.

HistóriaEditar

O Reino da Albânia foi fundado por Carlos I, Conde de Anjou, em fevereiro de 1272, com a conquista de Durrës. Durrës foi conquistada do Império Bizantino com o apoio de caudilhos albaneses locais, após Carlos prometer-lhes restaurar determinadas antigas liberdades.[1] Anteriormente, as terras albanesas eram reivindicadas por Manfredo da Sicília, mas este, carecendo do domínio de fato sobre as mesmas, as cedera a Carlos no Tratado de Viterbo em 1267, junto com a maior parte das terras que no passado pertenceram ao Império Latino.[2] Carlos perdeu a maior parte de suas terras após uma ofensiva bizantina que culminou em um cerco a Durrës em 1274, mas manteve a própria, além de Krujë e Vlora.[3] Entre 1279 e 1280, contudo, recuperou a maior parte de suas terras, com apoio da Sérvia e da Bulgária.[4] Seguiu-se uma recaptura de Durrës por Andrônico II Paleólogo em 1288 sob o reinado de Carlos II, filho de Carlos I.[5]

O Reino seguiu inexistente de facto, embora seus direitos continuassem sendo dinasticamente circulados. Em 1302, contudo, Filipe I de Tarento, filho de Carlos II, iniciou preparações para conquistar Durrës em 1302 com apoio dos católicos locais. Com a morte de Filipe I em 1332, João de Gravina comprou direitos sobre Durrës, transmitindo-os com sua morte em 1336 a seu filho Carlos de Gravina.[6] Seguiram-se tensões com a Sérvia até Ducham, o Grande reconquistar toda a Albânia em algum momento até 1346.[7] Em 1368, o caudilho albanês Carlos Thopia, que tinha uma antiga reivindicação à Albânia, tomou Durrës com apoio dos cidadãos locais, episódio que pôs fim ao reino, iniciando o período do Principado da Albânia.[8]

Referências

  1. Nicol 2010, p. 15.
  2. Nicol 1984, p. 12.
  3. Nicol 2010, p. 18.
  4. Nicol 2010, p. 25.
  5. Nicol 2010, p. 27.
  6. Nicol 2010, p. 68.
  7. Nicol 2010, p. 128.
  8. Fine 1994, p. 384.

BibliografiaEditar

  • Fine, John Van Antwerp (1994). The Late Medieval Balkans: A Critical Survey from the Late Twelfth Century to the Ottoman Conquest. [S.l.]: University of Michigan Press. ISBN 978-0-472-08260-5 
  • Nicol, Donald M. (2010). The Despotate of Epirus, 1267-1479: A Contribution to the History of Greece in the Middle Ages. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-13089-9 
  Este artigo sobre a Albânia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.