Resistência Ariana Branca (Suécia)

Resistência Ariana Branca (sueco: Vitt Ariskt Motstånd, VAM) foi uma rede militante neonazista ativa na Suécia entre 1991 e 1993. O nome do grupo foi derivado da organização supremacista branca americana White Aryan Resistance (WAR).

Resistência Ariana Branca
Vitt Ariskt Motstånd
Resistência Ariana Branca (Suécia)
Fundador Klas Lund
Fundação 1991
Dissolução 1993
Ideologia Neonazismo
Supremacia branca
Sucessor Frente Nacional-Socialista
Movimento de Resistência Nórdica
Slogan "Vit Revolution - Utan Pardon!"
"Revolução Branca - Sem Perdão!"[1]
Sigla VAM

De acordo com Stieg Larsson, um pesquisador de organizações de supremacia branca, o grupo foi bastante estilizado no então já extinto grupo de supremacia branca dos Estados Unidos The Order, liderado por Robert Matthews. [2] O VAM foi fundado por Klas Lund, outros membros importantes foram Torulf Magnusson e Peter Melander, editor da revista Storm do grupo. O símbolo da organização era o "Wolfsangel". O VAM foi implicado em muitos crimes graves na Suécia, incluindo os infames assassinatos da polícia de Malexander, carros-bomba de jornalistas políticos e assassinatos de supostos opositores.  De acordo com um relatório preparado e publicado em novembro de 1999 pelos quatro maiores jornais diários da Suécia, Aftonbladet, Expressen, Dagens Nyheter e Svenska Dagbladet, muitos ex-membros da organização são membros de organizações neonazistas atuais. [3]

Depois do VAM, Klas Lund organizou o autodeclarado Movimento de Resistência Nórdica. Outra ramificação do VAM foi a agora extinta Frente Nacional Socialista, formada em 1994 por simpatizantes do VAM em Karlskrona.

Referências

  1. Från Vitt ariskt motstånd till Nordiska motståndsrörelsen "Under the slogan 'White Revolution - Without Pardon", the White Aryan Resistance; WAR, demonstrated in the streets of Gothenburg in the early 90s."
  2. Expo: Terrorism som folkrörelse - från Milano till Nacka
  3. Aftonbladet: Här är organisationerna som leder terrorn mot Sverige