Abrir menu principal

A Revolta de Jacareacanga foi uma rebelião de militares da Aeronáutica, liderados pelo major Haroldo Veloso e pelo capitão José Chaves Lameirão, que tomaram a base militar de Jacareacanga, no Pará. Consistiu numa reação contrária à posse de Juscelino Kubitschek, sendo seu governo visto pelos líderes da revolta como a volta do governo de Getúlio Vargas e ligado ao comunismo, e ao Movimento do 11 de novembro, que ocorreu no ano anterior, 1955.[1] Teve início na noite do dia 10 de fevereiro de 1956, quando os dois oficiais tomaram um avião caça AT-11, no Rio de Janeiro. Durante os 19 dias de revolta, a cidade de Santarém (Pará) e mais alguns pequenos povoados foram tomados pelos rebeldes, tendo o governo encontrado dificuldades para repreender o movimento, ainda mais pela recusa da Aeronáutica em ajudar nesse processo. No dia 29 do mesmo mês e ano, teve fim a revolta, após ser controlada pelas tropas legalistas, tendo a prisão de um de seus líderes, Haroldo Veloso. [2]

Referências

  1. Globo, Acervo-Jornal O. «Revoltas de Jacareacanga e Aragarças contra JK ameaçaram a democracia». Acervo. Consultado em 30 de março de 2019 
  2. «Revolta de Jacareacanga | CPDOC». cpdoc.fgv.br. Consultado em 30 de março de 2019 
  Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.